Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Ink Stain

Um dia ela sorriu.
Não lembro da porta abrindo, sequer da porta fechando, ela partiu como chegou e eu estou aqui contando um ano depois. Aquela voz feminina e suave, aquele bar na Vila Madalena... Outra estação, exposição, fila e atraso.

Hoje faz um ano que virei samba, agora nem sei como contar...
Pois bem, a proposta aqui era publicar por um período relatos de outros, mas hoje publicarei como me tornei um samba:

Eu apenas estava ali, mesa só minha a espera dela, não sabia que a mesa estava a espera dela. Não sou o protótipo de Noel Rosa, desculpe pequena, mas sou um cara apenas e se o seu samba achou na minha vida algum verso capaz de inspiração, quem sabe se sou mais canção que a sua vida ou ao menos sua vida até ali achou ser canção.

Você cantou na minha mesa, sorriu com a minha timidez e se divertiu quando gaguejei. Meu terno chinês de Mao Tse Tung, meu jeito quieto de aguardar até a ultima musica (ir naquele camarim)...

Abertas as portas, o que posso dizer?
Um dia ela sorriu e fiquei lá... Acho que fiquei por muito tempo lá. Tempo o bastante para todo mundo perceber que já não era mais desejado. Não sou Noel Rosa, ainda te mandaria rosas, ainda te dedicaria poemas, a verdade é que ainda te dedico todos os meus poemas e peças.

Nao importa muito se agora ou depois de antes, o depois que é o agora, não importa. eu te liguei em Coimbra, você estava em trás dos montes... Fumarei.

Cante " O Ultimo Desejo'', diga meu nome, estou triste e acho que em abril estarei ai... Não haverá Louise para me socorrer, Carla não direi seu nome. Corte de cabelo limpo, sabonete higienizado, Argélia me espere.
Ainda te amo, Noel Rosa ainda te ama.

Colocarei meu antigo fardão e voce não me notará, tenho dupla cidadania, dois nomes um em cada documento, cançõ de adeus, canção de adeus...
Forjarei seus papeis de fuga e as desculpas mais aceitaveis se sua filha for uma ariana.

Um dia voce me disse que eu parecia Noel Rosa, chorei depois que te beijei, se que outros choraram. Carla Londres e toda a europa sabe seu nome.




Nenhum comentário: