Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

sábado, 13 de julho de 2013

Tá f@¬#

Seu nome é lindo, tenho vontade de gritar cada silaba, me desespero a cada manhã desde a fatidica manhã que não recordo... Tenho comigo essa vontade terna e histerica de me converter em cem bilhões de megafones, ser terno cinza maoisa na orelha de cada homem ou mulher nesse planeta, acorda-los e por voce chamar.
Faço toda essa prosa, armo com o lirismo e num arroubo sentimental cometo poesias, quando sei... Sei muito bem, pouco sou ou fui, estou só, sou só, teu riso é o codigo russo ate as estrelas, corpo perfeito ao meu toque, romance que nunca ousei descrever...
Sua beleza é o noturno truque que a massa sovietica pouco entendeu, e eu mesmo sem entender te amei, não sei, pouco sei, nada lembro.
Meu pequeno corpo, acostumado ao sono estremecido, durante o dia eu tento com sorrisos me distanciar, a vida vai esperar mais uma maré?
O amor, tal qual a vida não vai entender, eu soldado vermelho, era só soldado então?
Meu amor, amor a vida é a vida inteira, pouco importam as credenciais se no final, o amor é a legenda. Eu quis te beijar, olhar e ver e ouvir ao seu lado o sol da tarde seguir, seguir, seguir ate ser só a noite e a noite conosco vir ter...
Quero teu corpo magro e flexivel, infalivel feito golpe de Bruce Lee.
Não sou pai do tempo e afeito a periodos dispares a aquilo que sou naquele exato momento, desculpe tudo,perdão pela liberdade e a rua instransitavel, tudo depende disso, qualquer coisa, mesmo coisa, sendo coisa outra coisa é...
Seu nome é uma triste canção, canto a cruel dor de uma paixão, triste é saber, aquilo que agora sei, seus olhos, crepusculos de marinho brilho, luzes para uma canção de adeus, portam as luzes onde o porto nos diz nunca mais.
Adiantado meu corção levanta as velas, sorri com cerimonia, sem ritual te acena e chora, quero teu beijo outra vez, quero teu corpo e toda a extensão diminuta, feminina e perfumada que é voce.
Como são lindas as mulheres decididas a fazer amor, vamos agora... Cada passo ou fala, dialogo ou silencio, quero ser beijado novamente por sua boca e visto por seus olhos, eu queria poder dizer seu nome, mas sei tão pouco de voce.

Nenhum comentário: