Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 19 de maio de 2013

Carta de Rendição


I've had a drink or two and I don't care,
There's no fun in what I do if she's not there,
I wonder what went wrong I've waited far too long,
I think I'll take a walk and look for her.

Though tonight she's made me sad,
I still love her,
If I find her I'll be glad,
I still love her


Santo André, 19 de Maio de 2013

Conforme os termos abaixo e respeitando a convenção de Genebra, gostaria de apresentar meus votos e  declarar-me vencido.
É com pesar e alguma lastima já pressentida,que lanço mão de minhas manhãs de sol, meu passeio despreocupado por qualquer parque da cidade, todos os passeios na verdade, afinal qualquer passo é seguido de um olhar pros lados te procurando ainda.
Suspenderei de imediato os sonhos, planos e esperanças, relaxe não precisa chamar a Terceira Frota ou acionar Tio Sam e seus porta-aviões, minha quota de sussurros tratarei de cessar em doses conciliáveis com o meu oficio. Abro mão do meu chapéu panamá e daquele cachecol suíço que ficaram contigo, o disco do Noel Rosa, as dicas sobre literatura russa e alemã também pode guardar, aconselhar e usar em comentários ou piadas, não precisa e sequer pretendo reclamar creditos.
Um adendo apenas antes que Nuremberg ou quer seja o que for me coloque na cadeirinha e questione ou investigue:
Sim por meses a fio venho criticando o seu amado Corinthians, idolatrado meu Palestra Itália, gritado amores a minha pequena Manchester paulista, criticado teatro de rua, falado horrores dos atuais espetáculos contemporaneos e deixado de lado criticar Adoniran, a razão todos presumem, mas poucos tem a dignidade de expor, pois bem, entregues as armas, me despedirei dos escudos: queria chamar sua atenção, te fazer notar e entender...
Metade do que eu digo é sobre você, a outra metade é sobre aquilo que te interessa, até o meu silencio é cronometrado, meu desespero e saudade ativaram o mecanismo absurdo dos hábitos.
Por isso me rendo, abro a guarda, libero minhas fronteiras e dispenso a defesa, me entregando como quem se desfaz, por trás das fileiras de dias, no escombro das horas saberá mesmo que não procure, sua ausência ardeu feito chama definitiva que queima ou explode o que não consegue consumir.
Afinal tudo que tenho escrito, como já disse: metade do que digo é sobre você e a outra parte é apenas para chamar sua atenção, quando você lê algum artigo no jornal, algum poema social, alguma critica musical ou cronica, algum amor possível, paixão platônica ou desencontro, entenda que mesmo quando não para você, fala de você.
Meu coração abriu os flancos, dispensou munições, s pensamentos em posição de sentido de tão fragilizados abaixam a cabeça e entregam os pontos, impossível resistir, não d~e aos mesmo, o mesmo que fim de quem vos escreve, tempero melancólico é o sereno e o desassossego, me recolho da luz e do calor das nossas lembranças e apenas peço para que as cuide com respeito e dignidade, elas tem lá alguma importância devem ter asseguradas a integridade que compete a tais seres dessa natureza.
Portanto como já no inicio disse, não por vontade própria, mas de alguma forma já sapiente do meu figado e paciência, me rendo e entrego, peço que como sinal de sua gentiliza e nobreza respeite os termos e fatos citados.
Para todos os efeitos me declaro rendido.
Reine sobre mim

Nenhum comentário: