Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 31 de março de 2013

Voce parece feliz, por isso estou feliz

Você vive feliz, por isso eu devo me concentrar na felicidade,
se algum dia nas ruas do centro até o mercado nos encontrarmos,
devo ter isso comigo, sentir essa tua alegria como fosse minha.

Afinal você agora é feliz, da minha amargura ou solidão,
não nascerá o pão que alimentara a classe operaria,
minha triste feição não denota amor ou a ausência do mesmo,
quem com a alegria do outro se ofende, amor não sente.

Por isso quando na multidão em marcha em outro partido te olhar,
você me olhará de sua brigada, eu te olharei da minha e seguiremos,
pois você é mulher, operaria e atriz,
eu o que sou? Poeta e agitador, algum dia quem sabe feliz.

Espero profundamente que tenha contigo os meus conselhos,
de amar com mais amor não o teu companheiro, mas a tua liberdade.

Pois a vida segue e as noticias correm dentro das horas,
não há tempo para ser propriedade, se tempo houver e haverá,
que nesse tempo só haja espaço para se ser homem ou mulher e lutar.

Você vive feliz, isso eu sei pelos outros, dizem que sorri melhor agora,
torço para que um dia eu também consiga
alcançar com impeto a graça dessa gentil hora.

Meus olhos não devem mais chorar a solidão ou a tristeza,
agora esta claro, não é mais tempo para a tristeza.

Pois se você esta feliz, o que me cabe é seguir e entender;
da minha amargura não nascera o machado que desata a ditadura.

Por isso se na fila do cinema com ele por mim você for vista,
estenderei a mão e desejarei toda a alegria.

Ainda é tempo de se ser humano e justo.
Afinal a paz é a cura do mundo.
Eu que ainda me emociono com cartas.
Eu que coleciono bilhetes e lembranças.

Ainda choro com poemas, com poemas de amor,
poemas e palavras de ordem da classe operaria.

Não farei da minha dor o algoz que oprime tua emancipação,
por isso esse poema como resolução:

Você parece feliz agora, torço pelo melhor em teu caminho
que tua vida seja de amor, paz e liberdade,
em nenhum momento pensei em ti como propriedade.
Você parece feliz, por isso não devo ficar triste.

Para minha solidão eu respondo: a esperança ainda insiste.
Outro tempo virá e que os dias marchem

Se algum dia te encontrar, tenha certeza,
te estenderei um sorriso e palavras gentis.
O seu amor me ensinou a grandeza.


Nenhum comentário: