Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

E ai que você tem o telefone dela?

  E ai que você tem o telefone dela?  
  Até uns dois meses atras você poderia ter ligado, agora seria estranho, ela já tem uma outra historia, sabe lá se com um cara ou uma outra garota. Mas sabemos muito bem que essa vontade bate, na mesma constância com que o uísque te assalta o figado e a corrente sanguínea. E sempre será visitado por essa vontade, olha no relógio e pensa consigo, ligarei amanhã, na hora do almoço, no almoço seria conveniente, mas uma centena de razões te fazem desconsiderar. Sabe o que é?  Você vai ligar, dia desses acaba ligando, para desejar feliz aniversario, para dizer que achou algum livro dela e gostaria de devolver, tudo desculpa. Você gostaria de ligar, queria ouvir a voz dela, inventar uma razão boa para se reverem, mas quer saber meu caro, quer mesmo saber? No fundo ainda não ligou, pois tem um medo danado, medo que la esteja tocando a vida dela  feliz sem você, com outra pessoa, sem citação alguma a você ou ao tempo em que estiveram juntos, no fundo não é mais interessante ligar, você sabe disso. 
  Você sabe, tem o numero dela, pensa em ligar, sabe onde ela trabalha, pensa em passar por lá, chamar para uma cerveja, mas dia menos dia, vai acabar se contentando com essa vontade de ligar, pois a mentira de que um dia vão se esbarrar, vai tomar um porte de esperança tão grande que vai engolir seus dias e noites, vai doer quando ouvir alguma musica que faz lembrar, vai se por a chorar quando as três da manhã quando não houver ônibus ou metrô para casa e no centro só restar uma cerveja ou cachaça e cigarros, ai meu nego haja ombro de amigo e conversa fiada em ouvido feminino.
  Com o tempo se aprende a conviver ou a usar como arma, essa dor, essa perda, essa desilusão. 
  E ai que você tem o telefone dela? 
  Ela também provavelmente tem o seu, mas ela não vai lembrar do seu aniversario  não vai te chamar para ver aquela peça de teatro, o novo filme do Selton Melo ou para aquele passeio descomprometido pelo Ibirapuera. E sabe o motivo?  Provavelmente, ela já te esqueceu, não que ela sofra de alguma doença de memoria, mas a razão central é: você supervalorizou. 
  Quer um conselho? Vai lá liga, chama ela para qualquer coisa, dá a hora e o local onde vai espera-la, se ela disser que não vai dar, finja que não entendeu, diga na sequencia estarei lá, te esperando. Se ela não aparecer (coisa que acho muito provável), pelo menos você vai entender uma coisa, não foi nada. Significou só pra você. Então meu amigo, é cachaça, amigos e seguir a vida, ninguém quer do lado alguém digno de pena, então faça um favor a si e entenda: foi bom, durou o que devia durar.
  Apague o numero e siga a sua vida, isso é, com alguma esperança, afinal toda rua tem esquina e a cada esquina um esbarrão pode ser um encontro.
   E ai que você tem o telefone dela?
   

Nenhum comentário: