Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Qualquer coisa

"É proposital quando você imita o Chico ou é apenas tietagem mesmo?" Pois é... Escrevo no feminino porque nunca ganhei um poema, faço canções porque não sei tocar um instrumento e não tenho a voz afinada, escrevo peça pois o mundo precisa de alguma sátira ou crítica, faço poesia pois acho melhor que fazer inimizades, mas concordo que alguns poemas meus me arranjaram certas inimizades. Prefiro não ter partido para não precisar advogar qual censura me representa ou me oprime. Tenho comigo isso, tenho em mim essa parcela que escreve no feminino, pois é assim que eu gostaria de ser descrito por uma mulher. Não sei fazer nada, nada além de criar, tudo que não é poesia, tudo que não cabe na poesia, dentro do dia, no escritório, na conversa mole de bar entre uma cerveja e outra, tudo que não pode ser alegria ou sequer possa ser dor, tudo isso é destruição e isso não me interessa, viver e rimar com o pulmão.


Em uma fotografia qualquer eu te vejo,
truque moderno, para enganar o medo,
o vestido da primeira vez, o que podia ser e não foi

Ele esta vestindo seu terno mais justo,
olhando pela janela o sol chegar, a manhã nascer
e todo o resto que chamamos mundo

Aquele disco do Milton,
o clube da esquina e o seu beatle preferido.

Tem mais sonhos no olhar agora
suspeito  que ainda terá  quando partir
sabe  seguir, sabe  sorri, sabe mentir

Só sei que ele me fez melhor com o seu beijo
mas é que eu sempre tenho medo

engraçado é pensar,
que passo por certos lugares
e ao passar por esses  lugares
vejo o tempo passar.

Tenho comigo um sonho
e esse sonho  eu não digo,
mas me faz acordar
me faz ter algum  brilho

engraçado é pensar,
que passo por certos lugares
e ao passar por esses  lugares
vejo o tempo passar.

Em uma fotografia qualquer eu te vejo,
truque moderno, para enganar o medo,
o vestido da primeira vez, o que podia ser e não foi

Aquele disco do Milton,
o clube da esquina e o seu beatle preferido.

Ele esta vestindo seu terno mais justo,
olhando pela janela o sol chegar, a manhã nascer
e todo o resto que chamamos mundo

Vou me mostrar daqui,
quem sabe assim me vendo desista de resistir.






Um comentário:

Briisa Biá disse...

Uau, você devia ter me mando esse! *-*