Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Oceano Atlântico

Nós vimos aquela garota outro dia,
estava muito tarde, verdade.

Ela parecia tão quieta, com seu copo e um cinzeiro cheio,
ela fingiu nos ignorar, mas seus olhos te procuravam entre nós.

Sim, parece que dessa vez é com ela,
então parece que não é apenas com você agora.

Ela mordia o lábio enquanto seu olhar se perdia,
na calçada molhada pela chuva, por onde andaram.

Por onde andaram juntos, 
ela deve ter pensado.

Nós vimos essa garota, estava bem tarde,
sim realmente estava, não para vocês.

Latas empilhadas em vitrines de mercados,
aquele vestido desbotado, 
esperando ser desabotoado.

Ela parecia te esperar, não nos disse nada,
mas foi como se sua presença nos perguntasse por você.

Não existe um tempo certo, você pensou que havia outro,
ela talvez suponha que haja outra, mas sabemos: 
vocês se esperavam.

Sim, estava tarde, não o bastante para vocês,
apenas seria difícil voltar para casa,
mas acredito voltar para casa seria a ultima opção.

Ela estava tão quieta, parecia tão distante,
sabe ela estava pensando em algo bom,

costumamos nos calar, apenas olhar,
olhar perdido é o pensamento passeando no passado.

Ela ficou lá na mesa do fundo, calada,
não parecia aquela atriz, não parecia aquela cantora.

Ainda era linda, mas agora estava triste,
ela não nos disse uma palavra.

Foi como se perguntasse.
Ela nos ignorou, pois procurava você.

Então meu caro, acho que agora é com vocês,
não é mais apenas você, ao menos que entendi.

Agora você escuta uma canção, ainda ontem você acreditava nela,
em um minuto apenas, então acho que é o que posso dizer,

mas sabe, aquele olhar?
Sim você precisa reaver aquele olhar...

Olhar perdido,
pensamento passeando pelo passado.

Então ela não dirá, mas sabemos: manhãs de sol te fazem recordar,
dias nublados para ela são sua imagem e a alma dela é o porta-retrato.

Ela mordia o lábio enquanto seu olhar se perdia,
na calçada molhada pela chuva, por onde andaram.

Seus olhos já não tinham aquele brilho,
eram a vaga ideia do que um dia foram

Pareciam os seus, tão apagados,
eram a vaga lembrança de quando eram iluminados.

Nos vimos aquela garota outro dia,
ela não disse nada, para dizer por ela
escrevi essa poesia.

Nenhum comentário: