Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Poema de amor

Eu quero compor um verso de amor
não um verso de amor feito carta de amor
mas que transpire e grite
feito agressão e seja um mantra de paz

Eu quero cantar uma canção universal
um estribilho qual o céu
um turbilhão qual a maré das sensações

Não quero ser piegas
não quero ser inquieto
não quero ser nada

Na verdade não quero sequer
escrever poemas de amor
greve é greve
e isso é uma guerra!

Esse era para ser um poema
sobre querer escrever um poema de amor
e isso não é verdade pois
eu só quero não escrever poemas de amor

Nenhum comentário: