Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

terça-feira, 12 de junho de 2012

Acrostico de 100 Estrofes

Mesmo assim tão longe
Ainda penso nas possibilidades
Isso por que nem sei mais por onde seguir
Remando contra as horas e a perspectiva
Ainda é o amor revelando como ineficaz esperança

Muitos lugares até onde estaremos
Assim eu projeto mentalmente as ondas
Ignorando que a maré é fruto de outras vontades
Realmente é um fruto sem estação correta
Ainda assim posso entender sua dor

Meus pés querem um caminho
Ainda que seja mais adiante
Isso eu sei me tornará maior ou melhor
Realmente estava esperando por você
Até aqui foi apenas espera e a vida ensaio

Minha carne irriga sangue e se fere
As agulhas da existência me picam feito sensações
Intrigante jogo de palavras que se atiçam
Respingando lirismos ao mesmo olhar que açoitam
Antes de seu nome ela era imagem da poesia

Multidões se juntarão em marcha ou festa
Assim que seus passos preencherem a mesma trilha dos meus
Isso é tão pequeno e parece tão frágil mas tem tanta verdade
Representaria um novo nível acima dos outros possíveis
Acima do que é meu ou seu é o que será nosso

Maior que o céu ou ainda bem mais que acima dele
Ancorou uma embarcação de sonhos e poeira
Incrível espaço onde as imagens se perdem e renascem
Rezavam por tal feito e o esperavam qual uma benção
Apenas um beijo e era um beijo apenas

Meus discos todos falam desse momento
Artistas feito profetas cantaram nosso encontro
Imagine cada canção ou cada filme  feito uma encenação
Repetindo décadas antes o primeiro olhar
Antes de nós já nos cantavam em algum single

Meus filmes tem na legenda o seu nome inserido
Algumas cenas como referencia de fotografia e luz
Ignorando o adeus e pulando os créditos, epopeia sem final
Refilmando a partir do original sem cortes numa versão real
Armas do tempo disparadas antes mesmo do acontecimento

Multidões se possuem na primeira fila
Ávidos pela estreia do que muito antes foi anunciado
Impossíveis aplausos arrancados desde os instantes iniciais
Realmente o mundo espera por nós
Antes de mim eu já te esperava

Minhas verdades se completando em seus argumentos
Aquela canção que ouvíamos ao pé da arvore noturna
Inquietante tradução do que somos
Releitura do futuro e um retrato de bem antes de você
Andei por tantos lugares mas meu lar é você

Mensagens escondidas em cada passo
Aleatoriamente me disponho a interpreta-las
Investigando o rastro ancestral dos significados
Rezando o latim dos gregos e tornando russa a situação real
Antes do amor a vida é simples (junto dela faz sentido)

Meu espirito circulando a energia que irradia
Antes do que foi o nada primordial
Imagino um mundo sem você como o inimaginável
Resisto a solidão ao te supor aqui
Assim passei os anos, como quem apenas matava o tempo...

Maior que o céu ou ainda bem mais que acima dele
Ancorou uma embarcação de sonhos e poeira
Incrível espaço onde as imagens se perdem e renascem
Rezavam por tal feito e o esperavam qual uma benção
Apenas um beijo e era um beijo apenas

Matei as possibilidades mas a ressurreição ainda é cogitável
Arqueando o olhar e sentindo a cor da estação
Isso parece tão caro e claro e especial
Realmente algo limpo e tão suave e justo
Amar do amor com tanta força é se despir ao universo

Muitos lugares onde estaremos
Arqueando o olhar nas cores do horizonte
Ignorando o destino em um improviso lirico
Reinar feito um sol entre mil sóis em explosão
Amar a urgência de nossa fome com a angustia própria de viver

Meus pés rastejam diante do palácio
Arvores cercam o jardim até o seu sorriso
Isso é sempre tão doce e bom mas dói esperar
Ruas onde o sentimento circunda e se ri
Ainda sei como chegar pois é só o que consigo ver

Meu plano era ser o seu plano
A vida só conspirou o que a alma quis transparecer
Indo assim juntar a logica mais absurda ao acaso mais inquieto
Restando então o que agora é isso
A vida que não pode ser sem que também esteja a sua

Meu grande plano era só mais um plano
Assim eu seguiria distraído e sem saber
Ia até aí e sem perceber bem perto
Reparando assim na pausa do café
Ainda havia esperança e por isso o amor é fé

Mensagens escondidas em cada passo
Aleatoriamente me disponho a interpreta-las
Investigando o rastro ancestral dos significados
Rezando o latim dos gregos e tornando russa a situação real
Antes do amor a vida é simples (junto dela faz sentido)

Maior que o céu ou ainda bem mais que acima dele
Ancorou uma embarcação de sonhos e poeira
Incrível espaço onde as imagens se perdem e renascem
Rezavam por tal feito e o esperavam qual uma benção
Apenas um beijo e era um beijo apenas

Milhares de vozes ecoam no coro do que nem sei
Assim eu ouço seu nome repercutir feito um verão azul
Imprimi as expressões mais cômicas e respondi como
Respondendo assim por nós o que só você pode responder
Ainda não acabou o sonho ainda não acabou

Muitas outras noites 
Antes da noite decisiva
Indo mais adiante ou fazendo o tempo retroceder
Refilmando com o elenco original
A peça sobre o amor e o acrostico que aqui componho

Me ensine a seguir pelos seus lugares
Aprenderei seu idioma mais intimo
Inspirarei meu verso no manancial onde 
Repousa o teu sossego e
Ardo ao cogitar a eternidade assim

Maré onde as ondas se aquietam
Arco de cores onde as cores se mostram
Impossivel é não te olhar
Rede de olhares que só querem cativar os seus
Atmosfera de outono te chamarei  pelo nome...

Meus sonhos juntos aos seus
Afagam o horizonte num instante de luz
Imprimindo de preces o que é esperado
Revolvendo até o inicio
As cartas e gestos, os olhares e as flores...

Mesmo quando estou pensando em outros tempos
Apenas saber que não estava lá
Isso apenas já é o bastante
Retorno em imediato
As cenas não tem sentido sem você

Mas nada vai mudar aqui
Aqui é como sempre foi
Impera a esperança
Resistindo na orla massante dos dias
Ainda te-la aqui e saber... Apenas saber...

Minha estrada até voltar para casa
Assim como todas as noites se desenrolam
Isso não pode significar o final
Rastros de luz se refazem num novo olhar
Ainda tenho fé e te quero ainda mais

Meus sonhos como gaivotas
Aparecem e seguem famintos de horizonte
Inquietando meus impulsos e buscando seu olhar
Raízes de cor e fontes de luz
Assim pretendo a liberdade, no abrigo do seu beijo

Marulho de carinhos delicados
As vezes eu sonho com o futuro
Isso significa dizer que nos sonho já velhinhos
Radiante imaginação onde os pés compõe
Aquele caminho por onde só em sonhos se pode passar

Meus pés querem um caminho
Ainda que seja mais adiante
Isso eu sei me tornará maior ou melhor
Realmente estava esperando por você
Até aqui foi apenas espera e a vida ensaio

Magica incomum e luminosa
Aspiro seus mistérios mais íntimos
Ignorando o tempo e o espaço
Respiro o perfume de sua existência
Assim como uma nova especie de sentido

Meus motivos eu já nem sei
Assim como um inventor procuro um método
Invento estrelas para me desculpar
Reinvento a poesia
Ainda vou criar algo capaz de te fazer amar

Minha hora não se escasseia
As minhas verdades se parem em dores
Isso me faz pensar e pensar é sentir
Revistas relatam o novo poema
As criticas serão sensíveis e pouco sensatas

Meu verso quer te dizer tanto
Assim como meu coração quer dizer tanto
Ignorando o adeus e revisitando aquele olá
Reinventarei outro motivo para uma aproximação
As vezes eu só queria não ter te magoado...

Multidões de versos desfilam
Assegurados pela minha lirica
Inquietude poética que se nutre de seus olhos
Rápidos flash's que te querem comigo
Anseio por você e seu carinho

Meus pequenos planos e esquemas
Antes de você se encaixavam como o sol
Isso parece tão distante agora
Realmente tão diferentes agora
Agora não é mais possível estar só

Meninos e meninas brincavam na chuva
A chuva e a noite nos assistiram abaixo de um céu nublado
Intuíam as estrelas ocultas acerca de um beijo magico
Realmente não é mais possível ficarmos sós
Agora que sei seu nome eu vou te cantar

Musicas que querem apenas dizer
Aqueles sonhos que querem ser poesia
Instituída a sede é a vontade que me cerca
Reação cósmica entre os nervos e a visão
Alquimia avessa e insaciavelmente tocante é o amor

Meus passos querem o amor realmente
Assim como crianças que esperam o natal
Insistindo em crenças doces e numa fé sagrada
Rastejo na orla de uma vida
Assim como as horas em que te espero

Minhas verdades se completando em seus argumentos
Aquela canção que ouvíamos ao pé da arvore noturna
Inquietante tradução do que somos
Releitura do futuro e um retrato de bem antes de você
Andei por tantos lugares mas meu lar é você

Medos do passado apenas como arquivos de consulta
Antigas palavras descobrindo uma nova sonoridade
Isso apenas para dizer como eu quero você comigo
Realmente quero dizer como eu quero você
As desculpas querem apenas dizer como eu quero você

Meus poetas todos não escreveram tamanha poesia
Angariei versos como um apanhador só
Inventaria palavras caso elas se escapulissem
Reuni todo o lirismo para cantar esse
Amor que é o maior cântico do cosmo

Muitas canções falam de amor sem saber
Algumas ocultam o nome para quem quer saber
Isso comigo não ocorrerá
Releia o verso cada letra inicial e
Assim saiba o nome do meu amor outonal

Meus medos são segredos dissolvidos em seu olhar
Andei por muitos lugares
Investiguei o céu em minha busca solitária
Reuni uma coleção de sensações
Aspirei me deixar seguir e então te vi.

Muitas estradas na marcação da fração.
As horas se predestinavam ao destino e assim estou...
Instigado pelo que foi.
Relembrando cada instante até você
As vezes o amor ocorre assim...

Magica sem pra que
Assim aconteceu
Isso é foi assim comigo
Realmente foi assim como se fossemos
Antes até mesmo de sermos, eu já estava aí...

Minha poesia por mim quer gritar
Aquela palavra que sequer uma linha gasta
Inquietante monossilaba
Reunindo toda a beleza
Ah vai ver é amor...

Meninos brincando anunciam
Aquela que é você e eu tanto esperei
Imperou aqui as dores e o descuido bem sei e
Reconheço a desdita e o desmazelo
Assim peço desculpas com mil versos

Minutos na sua ausência são desleais
As horas rastejam na poeira da espera
Imagino cenas e suponho seus passos
Refaço o mundo e nele há você
Assim como o ar...

Meu grande plano era só mais um plano
Assim eu seguiria distraído e sem saber
Ia até aí e sem perceber bem perto
Reparando assim na pausa do café
Ainda havia esperança e por isso o amor é fé

Mesmo quando estou pensando em outros tempos
Apenas saber que não estava lá
Isso apenas já é o bastante
Retorno em imediato
As cenas não tem sentido sem você

Mesmo assim tão longe
Ainda penso nas possibilidades
Isso por que nem sei mais por onde seguir
Remando contra as horas e a perspectiva
Ainda é o amor revelando como ineficaz esperança

Meninos e meninas brincavam na chuva
A chuva e a noite nos assistiram abaixo de um céu nublado
Intuíam as estrelas ocultas acerca de um beijo magico
Realmente não é mais possível ficarmos sós
Agora que sei seu nome eu vou te cantar

Mentalidade cósmica e uma canção universal
Assim como um pequeno sol dentro de outros sóis
Isso devia ser dito com novas palavras
Reinventaria a sonoridade das estrelas
Admirando o encanto de seus olhos

Mesmo agora e
Assim tão distante
Insisto em sentir
Relembrar os vagos momentos
As coisas que me trazem você

Meus pequenos planos
As antigas ideias
Impossíveis sonhos me assaltam agora
Refazendo minha fé
Amparado pela sua existência

Meus pés rastejam diante do palácio
Arvores cercam o jardim até o seu sorriso
Isso é sempre tão doce e bom mas dói esperar
Ruas onde o sentimento circunda e se ri
Ainda sei como chegar pois é só o que consigo ver

Meus passos querem o amor realmente
Assim como crianças que esperam o natal
Insistindo em crenças doces e numa fé sagrada
Rastejo na orla de uma vida
Assim como as horas em que te espero

Menina eu estou te dizendo tudo
Antes que o poema acabe eu preciso dizer agora
Isso que estou dizendo é sobre você
Realmente estou querendo te dizer isso faz um tempo
Assim sendo ou te dizer: te amo...

Mas por favor não me tome por louco
Antes me tenha por apaixonado
Insistirei no meu canto pois ele é seu
Reverso de poesia é poesia
Amar com teu amor será minha vida


Minha carne irriga sangue e se fere
As agulhas da existência me picam feito sensações
Intrigante jogo de palavras que se atiçam
Respingando lirismos ao mesmo olhar que açoitam
Antes de seu nome ela era imagem da poesia

Meus pequenos planos e esquemas
As horas rastejam na poeira da espera
Insistindo em crenças doces e numa fé sagrada
Ruas onde o sentimento circunda e se ri
As coisas que me trazem você

Menina eu estou te dizendo tudo
Assim sendo vou te dizer:
Isso que estou dizendo é sobre você
Reinventaria a sonoridade das estrelas
Antes mesmo do primeiro amanhecer

Meu mundo dissolvido em seu olhar
Anoiteço em métricas tresloucadas
Insisto em sentir o que quero dizer
Refaço o mundo e nele há você
Assim sendo vou te dizer: te amo...

Multidões se juntarão em marcha ou festa
Arvores cercam o jardim até o seu sorriso
Inquietante monossilaba
Rascunhando o cotidiano com meus suspiros
Ainda sei como chegar lá pois é só te seguir

Meu grande plano era só mais um plano
Assim como um pequeno sol dentro de outros sóis
Intrigante jogo de palavras que se atiçam
Rastejo na orla de uma vida
As desculpas querem apenas dizer como eu quero você

Menina eu estou te dizendo tudo
Assim eu projeto mentalmente as ondas
Isso é tão pequeno e parece tão frágil mas tem tanta verdade
Refilmando a partir do original sem cortes numa versão real
Até aqui foi apenas espera e a vida ensaio

Matei as possibilidades mas a ressurreição ainda é cogitável
Arqueando o olhar nas cores do horizonte
Ignorando o destino em um improviso lirico
Resisto a solidão ao te supor aqui
Anoitecer de cores banhada por minha poesia

Multidões se possuem na primeira fila
Aleatoriamente me disponho a interpreta-las
Imagino um mundo sem você como o inimaginável
Ruas onde o destino choraria sua ausência sem saber
Alamedas da minha dor dispostas pelas avenidas

Maior que o céu ou ainda bem mais que acima dele
A vida só conspirou o que a alma quis transparece
Isso parece tão caro e claro e especial
Realmente parece que estou no lugar certo dessa vez
Agora sim posso dizer que descobri onde quero estar

Meus pés querem um caminho
Ancorado numa embarcação de sonho e poesia
Ignorando o adeus e pulando os créditos, epopeia sem final
Representaria um novo nível acima dos outros possíveis
Antes de nós já nos cantavam em algum single

Minutos na sua ausência são desleais
as horas rastejam na poeira da espera
Imagino cenas e suponho seus passos
Refaço o mundo e nele há você
Assim como o ar...


Maré onde as ondas se aquietam
Arco de cores onde as cores se mostram
Impossivel é não te olhar
Rede de olhares que só querem cativar os seus
Atmosfera de outono te chamarei  pelo nome...

Minhas manias todas se esquecem diante de você
Assim como meus dias escapolem na sua ausência
Ignoro o tempo ou o espaço
Realidade é besteira se posso sonhar
Assim o amor é maior e a fé é uma arma de sons

Medos do passado apenas como arquivos de consulta
Antigas palavras descobrindo uma nova sonoridade
Isso apenas para dizer como eu quero você comigo
Realmente quero dizer como eu quero você
As desculpas querem apenas dizer como eu quero você

Muitas canções falam de amor sem saber
Algumas ocultam o nome para quem quer saber
Isso comigo não ocorrerá
Releia o verso cada letra inicial e
Assim saiba o nome do meu amor outonal

Mesmo agora e 
Assim tão distante
Insisto em sentir
Relembrar os vagos momentos
As coisas que me trazem você

Mundos se fundindo aos universo
Ásperas rimas flertando com a luz
isso era o que queria dizer
Realmente sempre quis dizer isso para alguém
Agora eu sinto essa certeza...



Meu tempo não cessa
Aqui por cessar nem mesmo o que nasce findo
Inquietante poesia nasce e palpita no verso
Refaz a lira e se enrosca em cores e vida
Aqui tudo quer dizer seu nome

Mesmo agora
Ainda é agora e sempre será
Isso pode dizer tanto e já diz tanto
Rastros líricos onde a voz se perde
Amor é quando amamos e também é apenas amor

Me diz ai o que fazer se
Assim sem querer eu te encontrar e
Isso significar tantas outras coisas alem das que supomos
Rivalizarei com a realidade ou apenas devo aproveitar
A doce intriga de nossas línguas em um beijo?

Meu olhar com o céu se esvai
Ainda me perco na possibilidade de partir
Ignorando o fato de ter que te levar junto de mim
Reajusto as malas e grito feito um vapor qualquer
Acalmando assim a saudade de você mulher

Minhas verdades se completando em seus argumentos
Aquela canção que ouvíamos ao pé da arvore noturna
Inquietante tradução do que somos
Releitura do futuro e um retrato de bem antes de você
Andei por tantos lugares mas meu lar é você

Me ensine a seguir pelos seus lugares
Aprenderei seu idioma mais intimo
Inspirarei meu verso no manancial onde 
Repousa o teu sossego e
Ardo ao cogitar a eternidade assim

Milhares de vozes ecoam no coro do que nem sei
Assim eu ouço seu nome repercutir feito um verão azul
Imprimi as expressões mais cômicas e respondi como
Respondendo assim por nós o que só você pode responder
Ainda não acabou o sonho ainda não acabou

Meus filmes tem na legenda o seu nome inserido
Algumas cenas como referencia de fotografia e luz
Ignorando o adeus e pulando os créditos, epopeia sem final
Refilmando a partir do original sem cortes numa versão real
Armas do tempo disparadas antes mesmo do acontecimento

Meninos e meninas brincavam na chuva
A chuva e a noite nos assistiram abaixo de um céu nublado
Invento estrelas para me desculpar
Reinvento a poesia
Ainda vou criar algo capaz de te fazer amar

Meus discos todos falam desse momento
Artistas feito profetas cantaram nosso encontro
Ignorando o adeus e pulando os créditos, epopeia sem final
Refilmando a partir do original sem cortes numa versão real
Armas do tempo disparadas antes mesmo do acontecimento

Minhas verdades se completando em seus argumentos
Aquela canção que ouvíamos ao pé da arvore noturna
Imprimindo de preces o que é esperado
Revolvendo até o inicio
As cartas e gestos, os olhares e as flores...

Meus pés querem um caminho
Ainda que o tempo rasteje até lá
Indo como um pássaro de papel sem poesia
Realmente você é a poesia impressa em meus papeis
A poesia tingida em meus dias mais turvos feito esperança

Meu mundo dissolvido em seu olhar
Anoiteço em métricas tresloucadas
Insisto em sentir o que quero dizer
Rascunhando o cotidiano com meus suspiros
Ainda sei como chegar lá pois é só te seguir

Mensagens escondidas em cada passo
Aleatoriamente me disponho a interpreta-las
Investigando o rastro ancestral dos significados
Rezando o latim dos gregos e tornando russa a situação real
Antes do amor a vida é simples (ao seu lado faz sentido)

Multidões me possuem na primeira fila
Ávidos pela estreia do que muito antes foi anunciado
Impossíveis aplausos arrancados desde os instantes iniciais
Realmente o mundo espera por isso
Antes de mim eu já te esperava

Mil corações desenhados em seda
As gaivotas do meu olhar buscam o sorriso em seu lar
Investigam em sua alma e entre seus passos
Rastros que denunciem por onde posso começar
A longa e doce jornada até seu coração

Mas eu já sei e mesmo assim eu vou
Aquele que não se entrega nunca se integrará
Isso eu aprendi sentindo
Resta saber se a lição é tão certa quanto a sensação
Apenas você me basta e isso é uma nova canção

Meu espirito circulando a energia que irradia
Antes do que foi o nada primordial
Imagino um mundo sem você como o inimaginável
Resisto a solidão ao te supor aqui
Assim passei os anos, como quem apenas matava o tempo...

Magica da luz que compõe um sol acima do céu
A canção de amor maior que o amor
Imaginando cada detalhe onde a vida se esvai
Recados do universo se cruzando com as ruas
As ruas todas até lá querendo dizer

Meu peito quer dizer o mesmo
Assim como minha alma também quer dizer
Ignorando o tempo ou o espaço
Relativizando a realidade
Assim como uma canção sem fim que diz amor

Meus passos tem fome dos seus pés
Assim como meus olhos querem a sua visão
Intuindo como um cego ao sol sente o calor
Resisto as mazelas cotidianas
Apenas te imaginando junto a mim


Meu plano era ser o seu plano
A vida só conspirou o que a alma quis transparecer
Indo assim juntar a logica mais absurda ao acaso mais inquieto
Restando então o que agora é isso
A vida que não pode ser sem que também esteja a sua


Meu verso quis dizer por mim do amor
Assim como também tentei pedir desculpas
Isso não sei se entendeu
Realmente tudo o que sinto eu quis dizer
Agora só me resta esperar por você...

Nenhum comentário: