Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Sovietica

Você é soviética e não me engana
olhar de pantera e  passos de cristal
ouço sua voz dentro de um motor de  vegetal
replica inocente da noite te constelo com fabulas
alegoria popular demais para esses tempos
onde os muros florescem hediondos
maculas violentas de sabor papel

O concreto cairá e seus olhos outra vez verei
pois você é soviética e não me engano
aperto o passo na fila por pão
tomo meu chá e leio meu artigo
no jornal oficial
no jornal oficial
oficialmente agora sou um poeta
e cantarei seus seios de luz e perfume
textura  rígida onde meus instintos são vencidos

Recolherei pela manhã uma duzia de  metáforas no departamento de sonhos, carimbarei  minha carteira oficial de membro do sindicato oficial dos sonhadores e líricos, proporei hipérboles e alegorias. Levantarei de minha cadeira e me juntarei aos que já estão no guichê a espera de barbarismo e neologias autorizadas.

Vou depor em defesa da sua rosa de pelos e perfume
seu vestido oficial de domingo
e como te imagino enquanto sou autorizado a sonhar

Muros de horror e claustrofobia
clima de tensão e verão cancelado
o verão foi cancelado não autorizado está
caminhar pelo passeio publico como se verão fosse
observar os pássaros retornarem a seu ninho veraneiro
e fica impossível e passível de pena
te supor nua e suada  em minha cama
te supor cabelos soltos em meus braços
não posso não posso
o verão não foi autorizado esse verão

Você é soviética eu sei
 você é e não me engana
teu corpo é a reserva de minha divergência
interna convergência interna se externando
em perfumes e cheiros e  suores e  sabores
contração de músculos exaustão de  prazer
 onde não se pode apontar  a razão

você é soviética
sim eu sei muito
sei muito bem...





Um comentário:

Anônimo disse...

Que poema perfeito! Você é soviético...