Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz 2012 a todos!


2011 esta indo embora, esse não foi um ano fácil, muitas coisas tristes aconteceram e demorou um tempinho para tudo se resolver, algumas se resolveram com outras aprendi a conviver, briguei muito, bebi muito dei muita risada,fiz novos amigos e amigas, voltei a conversar com pessoas essências para minha vida,me reconciliei com o passado, dei um pega no cachorro, um tiro no pé,cai do terceiro andar, emagreci em dois meses coisa de metade do meu peso e depois me recuperei,fui triste e reaprendi a ser feliz ao lado de meus amigos. Muita gente torceu para que em algum momento eu caísse feio, fizeram troça e eis me aqui pois tenho sangue de tigre e no campo de batalha estou vencendo, venci 2011 e que venha 2012 e que algumas cabeças explodam, não recuarei um segundo sequer,DNA de Adônis vencendo sempre.Não sou o assassino do Vaticano,nem meu trono tem display automático para caçar repteis, a GCM me adora por tudo que eu falo deles e de seus filhos legais, afinal sempre é 4;20 na minha eterna Chinatown.Não espero muita coisa para 2012 pois eu vencerei como sempre, o sangue de tigre é algo que os fracos não podem entender, estão ocupados demais por ai enquanto estou vencendo, sobre 2012 galera só posso dizer, será o meu podio e lá espero todos para comigo celebrarmos, pois se estou vencendo nesse campo de batalhas, mais do que apenas o sangue de tigre voces estiveram comigo!
Enquanto você esta ai 2011
2012 vem chegando
e Igor está vencendo!!!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sem cartões postais

Parece mesmo que vou cair da ponte
vejo meus pés deslizando mesmo antes de chegar a ponte
o carro vai sozinho o cinto não quer abrir
eu sonhei com isso a vida inteira
eu sonhei com isso a vida inteira
e ela não vai se importar se eu for
e ela não vai chorar tanto se eu for
Parece mesmo que estive assim a vida inteira
e seria um prestigio morrer essa noite
acelerar até romper os cabos
Desfazer o sorriso com um leque titânico de imagens inventadas
esfumaçar o cotidiano com promessas falsas
dei um basta na mentira e um pega no cachorro
dei meia volta até a esquina e parei em um bar
e quando a tarde caiu eu resolvi cair
Parece que sempre estive aqui
e ela não vai se importar se eu for
e ela sequer vai em meu derradeiro missal
pois afinal a vida inteira cabe em um cartão postal
solte o cinto agora
apare minha barba depois
solte o seu cinto agora
eu quero ver coo é mergulhar
por isso mesmo eu fico aqui
por isso mesmo eu vou ficar aqui
demônios fardados
sem credenciais invadindo ocupações urbanas 
a mando do prefeito general
e sim eles são guardas municipais
Solte o seu cinto
solte o seu cinto
solte
solte
solte
eu vou ficar aqui inflando o pulmão de água suja
enquanto o carro rompe os cabos
a hora do pesadelo acabou
caindo da ponte
caindo da ponte
solte seu cinto e saia rolando pela estrada
eu vou ficar aqui inflando meu pulmão de água suja
sinto como se eu sempre estivesse aqui de alguma maneira
pois afinal a vida inteira cabe em um cartão postal

Saudando

Enquanto o mundo segue eu vou vencendo 
e nada é simples como se desenha
na volta para casa quem pode voltar entende
que só tem mais quem não é de nada
vou me perdendo para ver se acho algo
qualquer confusão que eu arrumo
é pelo menos um troféu ou no minimo uma cicatriz
Me reinventem  em boatos e mentiras
em sua cama eu fui e ainda sou feliz
Deus deu aos cínicos esses anticorpos e
aos poucos que caíram só restou comentar
afinal beira de estrada é para quem não quer passar
o meu pecado eu mesmo invento
e só eu sei como pecar
Enquanto o mundo segue eu vou vencendo
não importa se o pódio é uma mesa de bar no fim da tarde
meu premio é ao meu gosto e é tão amargo
sinto calado toda essa fome e sede
toda essa saudade sem cor ou cheiro
essa vontade de morder o tempo com força e loucura
essa loucura por comentar e aglutinar a ilusão em um assombro
dedilhar os arranjos e rabiscar os rascunhos
desfazer tudo em algo novo
Apenas flanar...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Meus passos em seu caminho

Vai me dizer tudo que sempre quis ouvir
de uma maneira verdadeira dessa vez
pois quando acontecer eu posso quase crer
o pesadelo já se foi e todo o resto acabou

Sim como é bom poder sentir novamente
sangrar entre os dedos o que havia caído
e sim se já caiu pois bem por bem eu revivi
me leva agora com você me deixa crer me faz beber

Eu posso agora passar por sua quadra
gritar seu nome e até cantar se eu quiser
pois bem  por bem somos enfim

Apenas isso apenas homem e mulher e se quiser
o que mais quero eu prometo não negar
meus passos  ao seu caminho ( meu destino).

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Acrostico

Beijos de açúcar e luz
Luzes de cores e perfumes
Ondas de sentidos e sentidos tremulantes
Nada se parece com seus olhos 
Deixo ao acaso e no caso de sorte desejo te reencontrar

Paz

Me deixe em paz ela dizia
vou te deixar eu disse um dia
e ai a deixei em paz certo dia
agora não adianta mais ligar
não vai mais adiantar se por em frente
da rua ou da rua trabalho me ligar
E seja como for é assim que é
como começou pois bem e era assim
seja por fim apenas o fim
É o final do bem meu bem
e bem alem nós fomos
quando alem do mais
não há mais nada 
que o vazio nos incomodando
morando na alto da rua
o velho triste e pobre e só
apenas vê da minha janela o vapor que eu faço
enquanto espero abril ou março
eu marco as folhas e guardo jornais
recorto fotos e refaço o chão
com poesia e uma canção 
dizendo que é sobre ela 
é para ela a poesia
que desce da janela e troca as roupas
para entrar naquele samba
que ela deu mas não me convidou
é isso mesmo e sim isso dá medo
e faz tremer agora eu creio
só pode ser amor
e se não for
seja o que for
é amor
é amor
é amor
não cabe na métrica mas
quanto mais eu disfarço
mais eu peco e falo
quando é assim
eu sei 
só pode terminar em sim
pois é sim 
é amor


Verde

Eu tou pensando em compor um verso que seja só refrão
eu passo pela sala e na varanda não tem você
fico olhando da sacada só para ver se consigo te ver
e qualquer canção eu faço para te chamar a atenção
com tanto cuidado e prudencia para não te causar medo
pois o meu desejo cruzou a esquina certa tarde
passou no bar e ensaiou uma canção sobre você
e era um verso de saudade e mesmo se eu disser
que o verso é sobre outra mulher você vai rir e entender
que toda a minha poesia foi feita para te dizer
ou pelo menos essa eu fiz para merecer
sua atenção e seu carinho todo bem que quero ter
então se eu disser seu nome e eu prometi não dizer
você pode ate não entender o que de pronto entendi
quando meus olhos tocaram seus olhos e pude sentir
era só o tempo passar e a amizade se firmar mas agora como aguentar
eu morro um pouco ao resistir em não declarar
mas toda poesia parece querer te contar
esse segredo de amor que pode até te assustar 
mas pode até não adiantar muito declarar que  que todo esse amor
que eu canto agora é bem pouco ao expressar tudo que quero te mostrar
mas eu já falei que não vou mais te incomodar com essa poesia
que no fundo só quer dizer  o quanto eu me encantei ao te encontrar
Por isso já deu e vou embora agora
pois no ultimo verso eu quase disse seu nome meu amor

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Bibliografia Basica

Eu gostaria de dizer aquilo
mas o final da rua dá em outra quadra
correndo para onde estava
correndo apenas
para ir longe...

Parece que vi um rosto agora
dificilmente saberemos onde estou
e estou onde me deixaram
sem um numero exato
para calcular

Sara foi viajar para tão longe
eu não sei onde bem longe fica
e é realmente tão longe se não posso ligar

Janaína deve ter outro cara e
ela foi um capitulo, sim ela foi um capitulo
eu sou apenas nota de roda pé

P*** e seu namorado se amam,
eles se amam tanto e há tanta confiança,
não há espaço para mim e nunca houve...

Louise por favor não venha aqui,
não toque meu rosto, sequer diga que me ama,
eu estou para baixo, acho que tudo me deixou para baixo...

Tatiana por favor atravesse a rua com seus filhos
não olhe com seus olhos verdes em meus olhos apagados
você foi um capitulo, é isso mesmo um capitulo...

Foi significativo demais...

Não entre aqui novamente
não ouça mais minha voz
estou cortejando
o doce embalo do calor
tentando entender
porque esta evitando tanto
depois de tudo que tanto conversamos


Para você sou nota de roda pé
quando para mim
você nunca deixará de ser o amor
mesmo que esse amor não seja mais amor
pelo menos
já não é para você

*** Não revelarei esse nome aqui para não despertar intrigas.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Primeiro

Eu te amei primeiro
mas você não percebeu
a porta sempre fechada
estava sempre ali
e nunca quis entrar

Como um enfeite antigo
envelhecendo no porão
eu esperava por algum motivo

Cortei meu cabelo para ver chegar o verão
e parece que vai chover novamente
ai em sua casa eu posso ver as luzes

enquanto isso
dentro do meu caminho
onde você esta
não é o meu destino
apenas parte do trajeto
apenas um ponto que dói
enquanto não vem o verão

Eu te amei primeiro
mas agora apenas espero
o verão acontecer
no meu caminho chove
olho meus passos
vejo minha barba crescer

agora apenas espero
o verão vai acontecer
nos braços de amigo
a novidade vai me aportar

Quando assim por um acaso
o verão acontecer
talvez aconteça de te esquecer
por enquanto leio meus livros
e  fumo meu cigarro

É tão certo agora
por isso é tão triste
eu te amei primeiro

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Sem assunto

Quando voce passa por mim
desde aquela nossa conversa

eu não sei mais o que faço e logo corro
me escondendo de tudo que é voce

pois o nosso amor que nasceu feito chuva no sertão
era pouco demais e raso ao extremo
nos beijavamos exatamente pela ausencia de assunto

beijavamos apenas em sonhos tão amenos de nossa solidão

e mesmo ali quando no sonho parecia bom
era justo o corte ao acordar e perceber um sem o outro

Preciso inventar um tempo apenas nosso
dentro do que somos ou fomos um para o outro
e ali enfim quando cair quem sabe
então a mão a espera seja verdadeira
eu que sempre amei e fazia descaso
agora sei tão bem como é apenas esperar

construi o meu caminho pela estrada da noite
e numa esquina clara num momento de angustia parei
e ali voce estava para me dar a dor no lugar da cura

mas sei que um dia a gente se acerta
a porta aberta para minha alma cega
em teu corpo sonho encontrar

e se acaso coisa alguma ocorrer de não ser dita
saiba amor que seja o silencio a nossa poesia

afinal sabemos bem como nos sonhos sem nada dizer
entedemos o caminho do outro
para aquele sorriso.


Essa não era para ser uma poesia para você

Nunca entenderão o amor nos meus olhos
pois nunca descobrirão 
quais esperanças me mantem ainda vivo
parece mesmo que troquei a logica
pela poesia
e sigo assim cantando
como se minha voz fosse um refrão
mas não
mas não
não é
e pouco adianta falar
mesmo se eu gritar com força
e meu grito cismar
atravessando quarteirões
em busca de um lar
vai ser melhor
eu posso ver
como quem olha
e não quer
crer
que
 qualquer lugar
é como a lua
e se eu quiser
só atravessar a rua
para
dentro de
um
minuto
ou
dois
tocar na sua casa e dormir no seu quintal
fazer canção em suas datas
e bancar o sentimental
te chamar por outro nome
não vai me fazer
menor
e
sequer
te enraivecer
eu corto a rima
com saudade
é verde
feito
o
seu
nome
de
verdade
mas eu jurei
não dizer
seu nome
verde
verde
sim
é verdade

Crescente Lunar ( ideia para um verso melhor)

Olhos confusos no vermelho da festa
tenho pés e mãos
e auto-confiança.
Olhos confusos
alma bifurca
caminho longo
                                   até outra cidade noturna
                                                até outra cena estranha       
pela rua
girando
girando
pela
rua
                                            lua crescente
é o sol dormindo
                                           e a noite é o sonho
do tempo

Suas mentiras

As mentiras continuam viciando os ouvidos
com bajulações e falsos conselhos de amor
como me feriu da ultima vez
e foi tão bom enquanto eu não sabia
que podia ser pior e foi bem mais que isso
quando disse aquilo que te ensinaram
Não tem tanta graça 
quando é você quem tomba
seu sorriso não vai seguir 
o mesmo passo da sua dor
acordamos de todas essas manhãs
sem a presença real do outro
e sim não precisamos de telefonemas
para entender que isso acabou agora
na verdade nunca houve algo
esse era um jogo para dois
e sinto dizer mas isso 
não era para ser um jogo
Porque todos os dias estão mofando 
dentro de uma gaveta de ferro blindada
por isso eu estou rasgando 
todos os detalhes 
Todos os dias quieto
eu pertenço a um lugar diferente em sua vida
estou num arquivo
para possíveis consultas biograficas

Egocentrismo

Todos os dias eu acordo maior e mais velho
estou me tornando o todo mas ainda sou menor
dentro de mim como um pequeno cancer eu estou
ali dentro comigo mesmo converso e choro
pois sou pai e filho e santo...

Mergulhando no vazio como um astro
me interrogo sobre o mundo
e não sei como dizer as coisas
na verdade algumas coisas são melhores caladas
é no silencio que me entendo melhor
talvez seja melhor
ser meu deus e me entregar
ser meu demonio e me vencer

Quero ser outro e não me trair
quero cotinuar aqui na sala escura
da minha alma e meus medos

Quero morrer a cada hora
e renascer num breve delirio
sorrir ao dançar com o diabo
beijar minha tristeza com força e magia
até ela deixar de ser triste
quero chamar a algria por um nome que a vida atenda
e expulsar toda essa insegurança
no quintal do meu pensamento

Pendurar toda a saudade num postal
e telegrafar para a autoconfiança
tudo que desejo é apenas não desejar tanto
ou querer mais d que eu possa ter
saber entender o quando posso compreender
beijar minha tristeza com força e magia
até minha alegria infectar todo meu coração

Quero esquecer a vida e sair para dançar
poder ter certeza nas coisas pequenas da vida
poder ter certeza que terei as coisas pequenas da vida
e saber da vida apenas por saber
sem querer motivos pra chorar
quando a vida me fizer sorrir

Pois se agora a dor me fere a alma
eu sei que vou voar mais alto que essa ferida
e tudo que até nos pesadelos vem me zombar
sei perecerá e morrerá com o tempo
pois telegrafei para a certeza
e ela confirmou que será assim
e toda dor que agora sinto
não anestesiará a alegria quando ela chegar

Pois tenho um amor que me espera e me quer
e nela está toda cura para toda essa dor
e daqui a pouco eu sei isso vai passar
e tudo que a´te nos pesadelos vem me zombar
sei perecerá e morrerá com o tempo
telegrafei para a certeza e ela disse
que com tempo toda a dor que agora sinto vai passar
e não anestiará a alegria quando ela chegar

Mergulhando no vazio como um astro
me interrogo sobre o mundo
e não sei como dizer as coisas
na verdade algumas coisas são melhores caladas
é no silencio que me entendo melhor
talvez seja melhor
ser meu deus e me entregar
ser meu demonio e me vencer

Quero esquecer a vida e sair para dançar
poder ter certeza nas coisas pequenas da vida
poder ter certeza que terei as coisas pequenas da vida
e saber da vida apenas por saber
sem querer motivos pra chorar
quando a vida me fizer sorrir...

Porquinho fardado

Eu sei muito bem como é ser como voce
noites dormindo enquanto a noite acontece
mas eu sou pop demais para tocar no seu radinho AM
cabelos grandes e sotaque estranho demais
noites dormindo enquanto a noite acontece
eu sou rock and roll demais para tocar no seu radinho AM

Cinema europeu para enganar as garotinhas
pseudo-isso,pseudo-aquilo
nada, nada, nada, nada
voce não sabe sequer seu nome agora
pseudo-isso
comentarista da luta de classes
nada, nada, nada, nada
voce sequer leu um romance do tolstoi

e eu sei muito como é ser como voce
afinal eu devo ser pop demais para tocar no seu radinho AM
mentiras e ações covardes
mas eu cuspo na sua cara e vou em frente afinal
todos tem cedo ou tarde
aquilo que merecem

enquanto isso eu canto para sua namorada
nada.
nada.
nada.

Afinal o neoconcreto deve sujar os seus ouvidos
bem treinados com o pop alternativo e
toda a legenda trash e comercial demais
pseudo-humano eu não quero ser como voce
pseudo-homem tenho odio de seus passos
pseudo-passo em um pseudo-caminho
ouvindo pseudo-bandas
tocando em uma pseudo-guitarra
suas pseudo-composições

Porco
Porco
Porco
Filho de porco fardado
enganando com pseudo pedagogia
sem distintivos entrando em ações as escuras
na calada da noite não você não é
o filho da classe operaria!

Incompreensivel para os mais liricos

Não chegarei no céu nunca
talvez as portas do paraíso nunca se abram para caras como eu
eu sei muito bem como é esperar e esperar
foram anos ate aqui e n final
eu sei que não vou para o céu
o paraíso não aceita caras iguais a mim

dentro da noite o frio acaba com nossos sorrisos
desculpe vou fazer a curva agora
todo esse tempo apenas pensando se é permitido estacionar aqui
mas no final a festa acabou mais cedo para quem desejava não acordar

Tenho medo de todos essa noite
luzes ameaçam meus olhos dentro de quartos sujos demais
adoeço cm corpos iguais ao seu
com almas que nunca me salvariam como a sua
desculpe
eu sei que não vou para o céu
o paraíso não aceita caras iguais a mim

ruas e mais ruas
escuras e vazias
apenas filas apenas
ninguém vai me convencer que tenho chances agora
por isso naquela noite eu sai com meus amigos de sempre
enquanto todos bebiam nos saímos para outros lugares
enquanto a vida seguia tudo se perdia

eu sei que não existe salvação para mim

outros corpos iguais ao seu
outras almas que não são capazes de me trazer a salvação
nas outras ainda busco você

aquela ideia que era um sonho

Lembra eu sonhei por você?


Ode a ideia fixa que veio me assaltar certa manhã

Tudo que eu sempre quis para mim é um pouco daquilo que todos tem
e eu sei muito bem que não posso ter agora
seria pecado ou mesmo errado
                           por isso escrevo assim
           escrevo poesia
                                                                    como quem vai embora


Italianissima

Eu sei bem pouco desses lugares
me mostre bem por onde andar
pra não pisar em seus segredos
e não manchar sua  credibilidade

Eu tenho medo também meu bem
nem sei se isso é realmente medo
mas sei la suspeito que se seguir
assim desse jeito eu vou sair de mim

É maré alta na maré mais traiçoeira
puro dezembro
onde o olhar só quer riqueza
é tudo meu e eu vejo com clareza

que nada vai mudar eu sei
mas pouco importa me faço
em quadra mas se preciso for termino em três

Explicações

1000=10xA
E isso explica muita coisa
eis a moderna poesia ocidental
                                                 e outras latarias
disponíveis
                                                                             em embalagens ao gosto da clientela
                         Um quadrado azul
uma esfera vazia repleta de vaidade
                                         mas não é vaidade o que se enxerga
                                                                         é apenas esse mesmo tom te azul
                                                                         nessa tela
                                                                         uniforme
                                                                         frente a outra tela igualmente uniforme
                                       mas a outra é amarela

Olhos imaginaticos

Vem você
         vem         comigo   
     agora
               deixe estar
eu estarei lá
ninguém
vai assistir
nosso pequeno                                                                  espetaculo dantesco
eu sou pequeno
diante de tudo
e tudo pode ser muita coisa
menos uma coisa só
pois já é                                                                              uma só
 coisa

Chapéu de chuva

Qual um pardal triste e cinzento
senti meus olhos infernais 
tornarem o mar em saudade
e o céu em lembrança

Como uma pipa sem dono
cando em quintal sem criança
as cores parecem partir de meus olhos
dizendo adeus ao horizonte sem alguém eu sigo

Como um poeta sem poesia
como vida sem vida
e assim eu vou

Para dizer em cada pé sobre o caminho
para inventar nova maneira de seguir
prometo cantar a alegria sem que me esqueça como é sorrir

Recadinho em dó menor

Quando eu procurar a lua
no céu a estrela vai me ver
eu dentre os postes oficiosos da cidade
junto da fumaça tóxica das chaminés
com minhas estrofes e versos
quem sabe eu cante esse poema de amor
como o turno de uma livro caixa
como o sinal de uma fabrica
como o ponteiro de um ponto 

Para você que passa 
e sequer me olha
nem atende ao meu chamado
sequer sabe o que eu quero
e já de pronto 
me deixa entre os ignorados
ouça bem o bom conselho
eu sei bem do seu jeito
e se algum dia assim por medo
resolver me rever
saiba bem 
muito bem moça que o passado
não passa o tanto que queremos
e ele fica apenas guardado
e hora ou outra
é a hora de chorar o mal causado

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Carnaval sem bloco

Eu ando perdido assim
caindo aos cantos
sem um canto eu sei
ainda vou cantar
seu nome era meu canto
como eu era feliz
como eu te cantei
agora é cada um pra um lado
fica assim combinado
fica assim sem canção
é cada um de um lado
Eu prometo
dessa vez
é sem refrão
liga outro dia
alias liga não
me deixe em paz
eu vou sair
e se eu cair
é coisa de rapaz
é coisa de rapaz
sair e beber
e seja como for
mesmo se eu cair
agora sem você
pode crer
eu vou sair
e tudo que
acontecer pode crer
Eu juro dessa vez
eu juro pra mim
vai ser diferente
mesmo sendo assim
Agora é sem você
sem você a espera
dentro de cartas
entre filmes e lembranças
sem esperanças
sem reconciliação
apenas uma canção
sem refrão
sem refrão
Matando meu tempo
com os dias
sem paz
e o que eu faria?
Sentimentos...
Sentimentos...
O amor esta aqui...
Curvamos o destino
com feridas
sem poesia
você me deixou
apenas essa ferida
sem poesia
O amor está aqui
embaixo de um guardanapo
agora sem poesia
apenas guardado
sem sonhos
sem nada planejado
sem poesia alguma
eu vou pela rua
eu olho para o céu
buscando em vão a lua
sem poesia alguma
uma vida sem poesia
O amor esta aqui
guardando meus pedaços
sem cuidado algum
pois para onde você foi
nem mesmo
a esperança alcança
nada quer alcançar
e eu estou vazio
e é tudo vazio
sem poesia
sem esperança
sem um remédio eficiente
como sem pernas
como ineficiente
debeis opções
me circulam sem poesia
não há mais vida
não há mais alegria
Agora eu posso ir lá
mas é que lá agora
é lugar algum
eu posso ir a praia
e até só olhar o mar
ir ao museu e ficar lá
eu posso tanto agora
e tem horas
que nem quero
tanto poder
e era só poder
o bastante para poder
dizer que não as vezes
nem quero sair
tanto assim
pois já não há poesia
não há mais vida
e o samba esgotou a Vila
e a Vila inteira chorou
é que sem poesia
restou só mesmo o amor
e nem mesmo
a esperança conseguiu restar
agora que é
sem você
agora mulher
posso ser
o que eu quiser ou não
A verdade é que
agora não tem poesia
é apenas essa tristeza
doendo repetidas vezes
feito fosse um espinho
chamado refrão
doce ilusão
doce ilusão pensar
que  dia menos dia
o rio alcança o mar
é tudo agora
é tudo Ipanema
e já não há mais
problema e nem nossa senhora
o que tem para hoje
é só o agora
é só a vida
restou o amor
mas acabou a poesia

Boas recordações

Enquanto o dia corre dentro de um girassol
as horas imitam uma luz quieta no canto da sala
parece mesmo que estamos saindo com outros destinos
uma nova estrada se aponta como faca cega
sem chances agora não é mesmo

Enquanto voce olha os dias dentro de alguem
eu me deito em outras camas
acordo sempre em nosso lugar predileto

Reinvento sons dentro de uma cicatriz
como se as noites cuidassem de mim
numa canção qualquer ouço a voz
tudo indica que o sonho não acabou
mas eu sei que é impossivel sonhar
crianças brincam no quintal com as cores
num aceno triste a solidão me chama para o verão

E eu pensei que haveria salvação
mas como voce disse
são apenas boas recordações

GCM

Lembro quando me despedi de um passado
que agora esta distante
tão distante que esta logo atras de tudo
Enquanto você ainda era o futuro
mas agora você também está no passado...

Em seus olhos escuros quis erguer uma noite
deixando tantos lugares
para estar ali realmente
vejo que apenas esperei sozinho
quando devia estar do meu lado

Calça jeans e camisa de tenente
olhos profundos de quem preferiu a diversão ao sono
assim entrei em seu lar pela primeira vez
sentei em sua cama
e conversamos a tarde inteira
eu me despedia do passado que agora é distante
ali você era o futuro
mas agora esta no passado e está tão mais distante

Enquanto preferia seus olhos ao meu conforto
esqueci de viver a minha parte cuidando de você
nutria a ilusão de que eramos nos
enquanto apenas eu
estava esperando ali sozinho

Faça meus planos enquanto a vida quer continuar
os olhos dão folga as lagrimas
a esperança veio aqui dizer
que não há mais certeza
e o bom plano é ir com meus amigos
dentro da noite sem rancor
pois já me despedi do passado por você certa vez
e agora você é o passado
que estou dizendo adeus

A cria do guarda azul
                              te guarda agora do meu cuidado
                                                                               como um macaco amestrado
como um cotonete sujo
A cria do guarda civil
te guarda...



segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Ode ao seu sorriso

Para chama-la minha voz se troca 
com a terrestre matéria das flores
tocando a essência luminosa da lua
quem sabe os campos  se estendam junto ao vento
para alcançar a magica de sua alma
com o encanto silvestre e súbito que te faça suspirar
diante de minhas recalcitrantes palavras 

Para alcança-la meus pés se mutam em primavera e estrela
e perseguem passo a frente das horas 
o destino humano de seus beijos
Minha poesia já não basta
Minha poesia quer tornar-se mão e boca
para tocar a juventude litorânea de tua carne com amor e sede
e fartar-se da luminosidade  de seus olhos verdes

Repleto de paixão meus pêlos seguem 
dentro da noite  entre as ruas e bares e casas vazias
te recriando em cada fase ou flerte
sua presença é a conclusão do meu ser em poesia

Doce menina que canto o teu encanto me tomou
tornando assim o poeta em seu próprio canto
e a poesia que canta é o panfleto desse amor

Ela é inteira poesia

Sete dias para o Criador foram necessários
para a terra firmar e o céu compor com estrelas
eu no entanto apenas uma noite de sábado precisei
para que se encantasse o meu olhar do teu
e ali soubesse dentro da embriagues a girar
que era você ali parada junto a mim
feito fotografia impressa em cores vivas
restando o verde de seus olhos em mim
como se tudo fosse mais que a poesia
como se amar e viver
pois tudo nela é poesia

A lua inspirou o amor a amar

O céu como um soberano 
exibe aos astros a lua
as nuvens que do horizonte surgem 
feito um dragão 
curvam o pescoço
erguem as garras 
para flertar com o cosmos
As margens do mar 
cortejam a orla dos confins
é a dança da existência expressa
em luzes e sons e perfumes
a brisa está próxima
dentro de cada pétala
em cada olhar
como é linda a mulher
na noite em que decide 
fazer amor.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Haikai

Quando casar sara...
                               Quando casar sara
                 e é assim
                               vocês com qualquer um que encante
e eu aqui
              encantado
                            com a Sahara

Triade

Bem me quer
já não me quer mais tão bem assim...
Por bem pouco invadiram Troia
ruína é o que costuma sobrar 
de quem desafia os mitos
Pobre criatura é como se designa 
aquele que confronta a maré
pois o mar tudo arrebate e fere
quando é do mar o desejo de engolir
Nem Esparta para com o que pode o vento
quando a poeira é levada junto das lembranças
ficam as imagens feito um Titã de ocaso
As nivens chutam a maldição
enquanto a vida se esvai
num momento breve de prazer
a vida se abrevia
no verso de uma poesia
que sequer  o tempo escreveu

Soneto decassilabo

Ela apenas achou meu verso bonito
agora uso a linha desse verso
para dizer que sequer o universo
é capaz de alcançar seu brilho

Pois o verde de seus olhos
inspira em mim a esperança
traz a beleza e um novo ritmo
que me faz girar feito criança

Seu nome é vida e poesia
sua presença é a doce paz sorrindo
que faz sarar e florir a ferida

mas essa menina sequer
por mim vai saber
que essa menina é você

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Era para ser um poema melhor

Estou pensando em como chamar sua atenção
talvez quem sabe pavimentar de poesia 
o caminho da sua casa até o trabalho
que é para fazer maior e mais bonita 
e te mostrar a vida
como essa seria 
se você viesse do meu lado

Daqui do alto eu quase posso adivinhar a sua rua
e é tão perto que se minha visão dobrasse a esquina
minha mão junto da tua 
seria antes do beijo a introdução da poesia junto a lua

Se ao menos tivesse sua amizade
sim dali partiria meu projeto então
eu estrelaria o céu costelando o cosmos
com as possibilidades luminosas para o mundo
entrever por entre as frestas e janelas
o seu nome que é lindo e tem nele os seus olhos

Eu percorreria as quadras da avenida  por entre paralelas e transversais
iria a pé até na chuva pelas ruas que me levariam a rua onde você mora

se seus pais fossem contra a união eu nem ligava
comprava um lugar perto do vazio e nos refaríamos ali
seriamos a açucena e o navegante cortejando o nada

e te daria um anel com seu nome gravado no meu
e bem no seu a pedra que leva com ela o nome que é seu

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Era para ser dizendo o seu nome

Uma valsa lá fora no ponto
onde a janela pode alcançar
estou em sua rua de madrugada 
perdido onde nos encontramos
como um oceano fora da maré por toda a vida
me encontre naquela mesa em sua sala
me deixe entre as coisas atras de seu armário
me anuncie entre os lugares 
que sua mentira não pode alcançar

Essa noite nenhuma resolução faz sentido
como desfazer o caminho se a resposta sopra dentro do destino

Uma estrada aponta para onde você observa
precisava conversar com você dia desses...

Precisava entender um pouco dos seus 19 anos
me dê sua mão 
pois moramos tão perto
e de onde eu te procuro 
se você quisesse
todas as noites eu iria te encontrar

Carta naufraga

Eles não esperaram para escrever sobre o nosso amor
pois esses sentimentos não constam do que percebo
que alguém já pode sentir por alguém
Enquanto meus olhos brincavam com as luzes do céu
sua vida deu uma volta
na alameda do meu destino sem você

Me deixe entender suas listas e sequencias
quero a cronologia de suas fantasias possíveis e de amor

eles farão ruas com nossos nomes depois de nossa entrega
pois toda uma cidade despertou quando nos demos as mãos

Toque meu rosto com uma canção espiritual
olhe meus olhos como uma boa ação e feliz novo ano
sorria enquanto me diz sobre o campo onde posso te colher
seus olhos são o pasto onde me desponho
a depositar minhas alegrias e esperanças...

Pois desde aquele sábado eu soube dentro de um adeus
que as pernas do dia correriam
companheiras do destino em um olhar trocado,
me trazendo desde enlaces e flertes,
seu olhar
feito um lugar por onde passo
para pro fim te olhar...

Quintal

Eu ponho meu terno chinês
guardo uma açucena no bolso
e tudo isso é pouco agora
e tudo isso não faz esquecer
mas é para dizer apenas que eu estou vivendo
e o resto pode crer
quando meu carro passar por ai
eu sei muito bem as vielas do teu bairro
conheço até o cara da banquinha de jornal
e isso não é sobre você
pelo menos não era para ser sobre você
acho que isso é sobre tudo
é que agora o mundo esta suspenso no ar
Não volte para casa agora
eu estarei em outros lençóis
ficou confuso falar de nos agora
pois de repente te amar se tornou algo triste
triste para mim
pois no final acho que
isso só importa para mim
O amor afinal só interessa aos amantes
e então o que esta distante
não é questão de espaço
é só o tempo inaugurando a primavera
que chega ao meu quintal...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Terno Chinês

Ela voltou para a cama essa manhã,
deitada em minha espera ela perseguiu a liberdade
e por um bom tempo eu apenas segui,
sacrifícios do tempo eu sei muito bem como é
e assaltaram meus olhos
com essa pequena ação estranha e solitária

Podíamos reescrever a historia o cara na TV diz
leio o jornal dentro de uma capsula branca
a transparência da minha dor guia o destino
entre normas e vida
eu peguei o carro errado para uma casa
onde eu jamais voltarei a pisar

Por favor destino seja menor agora,
estou cansado daquilo que não floresce
e meu piano esta triste com as notas esquecidas
e os livros não constam em um idioma aceitável,
nossa historia se tornou um folhetim,
sua historia divergiu da minha
em uma esquina do tempo
onde estávamos ocupados demais para o amor,
e agora que veio o verão tudo ficou tarde
seu numero não atende ao meu chamado
meu caminho não é mais no seu destino

E sua casa esta distante
distante como aqueles lugares
onde não pode chegar
é não é o espaço lá fora
é o que ruiu aqui dentro
estou perdido e sei
que quando te encontrar
eu não vou me reconhecer mais em você

Ela voltou para deitar em sua cama
e agora o novamente está disperso em filas
esta confundido em bairros onde nunca pisamos juntos
com pessoas estranhas demais
abrindo a janela do meu quarto
as cores vão correr para outra estação
sem o calor do dia
o peito opina entre as coisas pelas quais
vai dizer não...

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Margaridas em greve

Como será agora
que as margaridas entraram em greve?
Que o laranja do céu desbotou
e o verão não veio na minha varanda
falar de você
como será?

Como será, eu não sei mais...
Sem um sorriso que anuncie o começo,
um recomeço
se refaz todas as manhãs
gestando uma esperança vaga e cinza
desenrolada nas lembranças que os sonhos
me fazem reviver
de novo
e de novo sempre
e novamente.

Podem guardar o cenário da vida
arquivem as terças, quartas,quintas e sextas,
não será necessário devolver os fins de semana...

Agora que nada faz sentido e eu vou embora
mas eu não vou embora
e foi um domingo como aquele
onde meu coração se partiu contra a maré
agora as margaridas fazem greve em meu canteiro
e só posso imaginar
que isso signifique algo como:

Elas tinham a certeza
de florir e enfeitar o teu quarto
todas as vezes que eu ia
ai te visitar...

Pois é acontece que agora elas cansaram de florir
elas floresciam para enfeitar o nosso amor...




É ilegal para a vanguarda, é ilegal para o partido

Não me deixe pensar no amor
pois não devo pensar aquilo que ainda posso sentir

façamos um trato
um decreto-lei ou um ato institucional:

Fica  terminantemente proibido versar sobre beijos,
falemos portanto das misérias mundiais e 
do descaso com a classe operaria,

cada vez que me ocorrer esse lirismo acionemos o politburo
e se ocorrer de maneira desvairada,
assim de assalto um sonho
convoquem uma assembleia geral
após uma reunião com o comitê central é claro.

Tornam-se assim crimes gravíssimos e
desvios ideológicos gritantes 
-(passiveis de tortura e exílio)-
sair assim, pela noite  para  com o amor ter,
peço a meu partido e minha classe,
que denunciem em documentos internos
e logo após me mandem para a reeducação
caso me vejam assim com esse brilho  bobo no olhar novamente

Se faz necessário negar as pequenices cotidianas e humanas
para fazer florir em concretude a marcha do novo que vem

não amarei façamos greve de amor
não viverei façamos greve de vida
e o brilho em meu olhar
caso reluza uma centelha a mais sequer
peço aos camaradas 
que sangram comigo nas mesmas fileiras
caso brilhe o meu olhar
sequer a mais uma centelha
me denunciem para o C.C.

Que meus escrúpulos se exilem na sibéria
ou na manchúria se forem maiores

Se aproxima a hora que o tempo anunciou
se faz necessário o que o mundo aboliu

é o mecanismo engolindo a maquina
é a ideia atrofiando os músculos
é agora pois toda a historia nos esperou para agora
e agora é exatamente quando estamos aqui

sábado, 3 de dezembro de 2011

Dylaniando

Sei ouvir a voz das luzes dentro da noite agora
eu realmente posso pisar cada lugar
eu realmente consigo te querer novamente
é um requerer sem ser bem quisto por quem se foi
em minha carteira os centavos e nos bolsos os cigarros
uma identidade onde da foto se pode ver a alusão
ao passado distante e confuso ao lado de alguém
e nunca houve realmente alguém depois de você
tristes redes vem me aportar de azul entre os olhos
dentro de ruas onde os pedaços se refazem  sem entender
pois eu nunca realmente estive lá
e servos cegos vieram te anunciar disponível novamente
mas a sede se refez como piedade por sua dor
não há mais amor e sim saudade 
de seu doce encanto que um dia resolveu me desencantar
e agora como eu quero apenas entender tudo isso
e te dizer tudo que eles querem me ouvir discursar
sobre a verdade da saudade mas não é mais verdade
a parte que direi sobre te amar
pois eu andei  algumas milhas com outras pessoas por lugares legais
e lá você nunca pode entrar
pois você minha princesa nunca esteve realmente lá
e uma fanfarra veio me dizer sobre as canções que quero escolher
sobre a vida que eu sonhei por mim e por você
Uma mina escura dentro da capital do meu ser se encobre
para remoer um mar de sombras do passado
onde eu já havia me avistado como um velho operário
negro e solto aos meus descuidados eu segui
E não importa muito minha mente a mentir para mim
se agora é aqui e o aqui é apenas mais um lugar
todos os dias eu estive aqui e agora não consigo recordar
pois eu resolvi me esquecer dentro de uma porção 
de coisas infindáveis
e lá você não pode estar
pois você partiu e ainda não tive coragem 
de ir até ai te reencontrar
para dizer todas as coisas que eu decorei para você
e nunca mais haverá um outro dia como o nosso dia
toda a vida agora é minha quando eu percebi 
que você nunca me amou e por isso partiu
desfazendo em julho o que  se fez num doce abril
espero estar de volta 
mas aquele lá 
não esta mais aqui comigo não
o medo aqui se diluiu 
quando me refiz e a dor consentiu em me fazer maior 
agora talvez eu até seja melhor
em dizer tudo que eu queria falar
mas é que agora não há tempo para se preocupar
sonhar eu já sonhei e não quero mais sonhar
eu pego meus cigarros e minhas garrafas
e sigo só e não há mais estradas
que me refaçam novo como eu tanto desejei
mas é que se agora é minha vez
só eu mesmo posso decidir por mim
Eu voltei  para a noite e vi uma garota  lá
e ela tinha tanto pra falar
enquanto eu disser que o medo esta aqui comigo
farei do medo o meu melhor amigo
mas é que nem medo há aqui  comigo não
ouço o pulso forte do meu coração
pulsar feito uma cancão 
engraçado é que essa não diz 
seu nome no refrão
fala de um menino triste e só
e que agora pode se entender
depois de mim vem o mundo
e depois do mundo eu não sei
só sei que o mundo é bem depois de mim
e nesse mundo também há você
num lugar como um lugar qualquer 
por isso ouça bem mulher
esse sorriso falso e essa postura
toda essa força é só postura
mas se quer mesmo saber
veio uma canção aqui falar um pouco de você 
e dai lembrei que foi 
foi bom viver
mas é que viver é agora
e não há outra resposta 
que não essa
então  agora oque me interessa
é entender
como eu vou fazer na hora em que voce quiser voltar
pois acho que voce
acredita mesmo que eu vou estar lá
e talvez eu até esteja
mas é que provavelmente 
esse que eu sou talvez seja outro 
que você ainda não conheceu
e então por isso eu escrevi essa poesia
sobre a nossa vida
a nossa vida já se foi
agora tudo quando vejo
ou quanto desejo
é apenas isso dentro de mim 
dizendo assim
que tudo agora para mim 
só vai me bastar 
se for por mim
é só saudade o que você sente
o amor já não existe mais
e o amor foi você quem matou








O rei

O rei esta deitado em sua vaidade
contando suas medalhas ele não vê diante de si
e esta triste por motivos estranhos
e nada parece cercar esse sentimento
Quando se é grande nem sempre se é adulto
e ele está olhando o passado
Toda uma nação esperou por ele
seus sonhos eram a esperança de um tempo
e seus planos os sonhos
daqueles que estavam cansados demais para sonhar
Ele recostou seus olhos por um momento e sentiu o tempo
nada parece fazer sentido e seus cabelos caem em seus olhos
seu olhar cansado gagueja ao passear pela sala do trono
ele está tão quieto com sua coroa de fortuna e gloria
e ele sabe que esta só e ele sabe que estará só eternamente
O rei está só e ninguém viu
enquanto famílias se refazem em sua vitoria
e os príncipes casam novos territórios
ele está lá diante de sua gloria e só
diante de sua fortuna e só
com sua coroa e poder apenas
desposado pela solidão de sua tirania
Ele deita em sua pilhagem e se recosta em suas lembranças
nenhuma gloria convenceu a alegria a ficar
todos o mundo veio ao seu lar
marcharam com sua canção predileta
ouviram sua dor e aconselharam
mas o rei está só
o rei sempre está só
ser rei é estar só
Quando venderam a vida
esqueceram de dizer
que até o topo do monte
pode significar apenas até o topo do monte
adiante disso apenas o horizonte que não se pode alcançar
mas disseram ao rei que ali é o seu lugar
e ali é apenas a solidão diante dele pois diante do rei não há mais ninguem
quando estamos no topo estamos sós e quando estamos sós isso é o poder
e ele apenas olha de seu trono o brilho triste de sua honra
e o caminho que só ele fez
O rei esta só e ele chama isso de poder
e quando aprendemos a conquistar
descartamos a liberdade dos outros
e quando aprendemos a falar
ignoramos o que os outros tem a dizer
a verdade está só
o rei está só
no topo do monte ele contempla sua vida
a vida silenciosa de quem não viveu
ele é apenas um garoto com suas medalhas
e sua voz potente e forte
e abaixo de sua coroa existe um homem
cujos sonhos de homem foram engolidos pela vida de rei
e ele é apenas um garoto só
e ele é só pois ele é o rei
e ser o rei é estar só

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Se puder apareça hoje lá onde todos estarão

O coração aqui levinho vai seguindo bento
e outra vez aqui é outra vez uma outra sexta-feira
e se não se apressar meu bem só posso entender
que no meio do caminho o príncipe apareceu
e antes disso a carruagem virou abobora
e todo o baile viu a dança 
se desfazer numa valsa mecânica
e o chofer em rato se tornou
e nada adiantou em busca do amor
ela veio mas é que o amor acabou

Os pés voando bobos pelo caminho
eu posso quase adivinhar seu nome num salto
e se eu estiver aqui enquanto ela estiver lá
me ponho tranquilo a perguntar com aquela certeza boa
sim nós ainda vamos nos reencontrar 
em algum lugar no meio de alguma conversa
meu nome vai aparecer
e ela vai lembrar de mim e daquela noite 
feita pra gente se conhecer

Olhinho brilhando e o coração sem conta não quer parar
a noite é fria e eu ponho meu casaco chinês 
aparo a barba ao invés de me barbear
pra quando encontrar com ela 
ela ter minha barba para encostar
sua pele branquinha  e as sardas para eu contar
descobrir desenhos  parecidos como em nuvens
mãos suando e aquela certezinha infantil que vou te amar

Se não aparecer logo eu vou mesmo assim
pois se a carruagem virar abobora 
eu nunca mais vou me perdoar
e eu vou lá e é pra agora pois hoje é o dia
e eu vou saber seu nome e telefone
e te levar depois para algum lugar
e eu vou agora meu bem pois se eu te perder
e a carruagem virar abobora eu não vou me perdoar

Guarda lugar na mesa diz que é pra pedir aquele rum
e que ninguém nos atrapalhe hoje o mundo para
e eu vou ai te reencontrar saber um pouco mais
quem sabe a gente nem entre lá pra onde todo mundo combinou
e a fiquemos mesmo assim lá no bar a conversar
e eu prometo por você que eu me esforço e faço o papo render
a noite inteira se assim precisar
para entender que eu tou esperando por você

E que venham os carros até o nosso lugar
que se for pra ir ai eu vou assim ou bem melhor
que eu me faço príncipe para você reparar
será que sabe o meu nome ou como eu fiz também esqueceu
é só comigo ou aconteceu assim com você também

Pois bem eu vou ai meu bem coração mansinho e puro
bento de batismo em lagrimas por outro alguém e já passou
e eu só suponho que você vai estar lá
e já me vejo assim por lá bem do seu lado
como se do seu lado fosse o lado oposto de onde estou agora
é que do seu lado moça é onde eu sempre quis estar
e então  espero que lá esteja
pois ate lá pelo caminho eu vou rezar
para que você esteja lá












Sem natal

Vou largar mão desse amor eu prometo
olhando para o céu de dezembro eu vou partir
e se bem me lembro de tudo que ocorreu
eu vou esquecer desse fato que aconteceu
pois agora é apenas mais um fato
encaixando num lugar qualquer
fazendo a vida seguir e eu percebi
que isso é o passado e eu vou seguir
com meus amigos novos e os antigos
com meus novos sonhos e os antigos
toda a vida que eu  percebi ser minha
depois que o depois tornou-se agora
e já não há você aqui comigo
e aqui comigo não é aqui sozinho
eu tenho meus bons amigos
e eles são tão legais e quando tudo mais não dá
a gente acelera um pouco mais
e da de cara com o tempo
voltar tarde é sempre bom o sentimento
de ser o ultimo a sair do bar
e quer saber de amor
pois é passou e o que ficou foi isso mesmo
essa impressão nossa sobre a vida
e a percepção de que você foi um erro
e eu só estou tentando te ferir agora
já que até agora foi você quem me feriu
prepare-se que eu vou sair do barco
e toda a tripulação de insultos veio comigo ao baile
são gigantescas alegorias da realidade
sobre a felicidade que você fez ruir
estou apenas tentando de te ferir
já que até agora quem se feriu foi eu
Seja bem vindo dezembro
esse ano eu não terei natal.



Jalisco

Desde Tijuana até San Diego seguimos
olhos cansados e bolsos cheios de futuro
enquanto ela dizia aquela mesma conversa
eu só sentia o vapor de seu cigarro
Pelo deserto um homem descobre quem é
e é bem sozinho junto de seus segredos
e o próprio silencio que a canção 
se pode fazer ouvir melhor
Em Monte Rey vendi meus documentos
e na fronteira eu escondi um corpo
antes de atravessar olhei pra trás e vi apenas
os federais e em suas viaturas luminosas a ameaçar
Mas no deserto o homem é um outro animal
sem ninguém ao redor 
o seu pecado é você quem julga
e olha o trem levando outros postais
e quem é mesmo que vai entender 
se eu fizer descarrilhar o bem que segue
Eu estava tão bem em Jalisco
com minha chola e sonhávamos com filhos
mas meu cartel armou todo o um esquema
e quem está fora sabe que estar fora é um problema
e lá fui eu para o norte em busca do el dorado
fazer fortuna e retomar minha fama
pistola em punho nem guadalupe me evitará
com fogo em punho e vermelho nos olhos
eu sabia onde eu iria chegar
cruzei todo o pais de costa a costa recolhi a encomenda
e fiz rosais e mortalhas tão finas
com a tinta vermelha que faz jorrar
a minha metálica amiga 
E agora eu vou cruzar de Tijuana a San Diego
e no deserto quem sabe eu despeça o medo
lá em Jalisco eu deixei minha vida
uma chola linda e uma acharcara bem polida
e se eu disser que ainda ouço os mariachis a cantar
minha partida para a linha da morte que eu fiz traçar
pode parecer um pobre sentimentalismo
mas foi assim que eu deixei minha querida em Jalisco

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Canção feliz ( mesmo para baixo eu posso escrever coisas que parecem alegres)

La vem a chuva mas eu vou sair pois logo tem o sol
e se seu guarda não vem e outro que eu vou fazer render

Eu tenho truques bem ensaiados e todos você desmontou
vamos sair agora e ver quem tem o que dizer

Pode ser engraçado e se for vai ser perfeito
prometo meu amor
prometo e nem vem me negar nada

Pois eu tou contigo e sei
que essa alegria é meu direito

Essa festa no meu corpo vendo a vida chegar agora
e eu não vejo  a hora de ver ai e te olhar

tocar sua beleza alva e calma e você é minha mulher
quando voce passa alava luz clara se pondo em meus olhos
feito um dia de sol e de cheiros que mexem tanto

e é tanta coisa
e já nem é tanto assim

a verdade meu amor
é que voce é o meu amor e ter voce comigo me faz feliz




Esperando

Não tenho tantos motivos para sorrir
eu olho para o céu e quanto sigo dentro da noite
pego o primeiro ônibus de uma linha vazia comumente
e enquanto sigo de volta eu percebo sua ausência

qual seu nome mesmo e onde você mora
qual seu cantor favorito por que você não diz
com quem você foi naquela festa e por que foi assim
lembra se chovia aquele sábado?

Temos que nos encontrar no céu de algum dia de janeiro
e que faça sol e seja no céu da grama de um parque
pois choveu o ano inteiro
e eu lembro deles dizendo que choveria esse ano inteiro

Vamos rir um pouco de como eu te procurei
mas acho que não verei tanta graça se não te achar logo
com sua roupa preta
ou algum vestido floral

Ninguém pode entender se algo acontecer agora
se ao ir para um bar na fila por uma cerveja eu te ver
e se você não me reconhecer
e ai como que eu volto se isso for daqui um bom tempo

Sem seus olhos claros e rasos me perfurando como naquela noite
invadindo a sala onde todos nos olhavam
me ocupando inquieto e alegre como se fosse o sol
e eu o dia a me iluminar por você