Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sem respeito

Ela parece feliz agora
sai a noitinha com seus novos amigos
se dá a beber e falar coisas rasteiras
Ela parece feliz agora
de uma maneira maior e que me faz querer
ter novamente essa mulher comigo
passear pelor arcos seguir em seus olhos
falar poesia pequena
pequena poesia demais
Ela parece feliz agora
feliz e sorridente eu posso sentir isso
enquanto eu arqueio as noites
dentro de lembranças e porres
com mulheres varias
dentro de aventuras
deliciosamente embriagantes
no final resta isso essa imagem é o que fica
ela feliz como nunca foi ao meu lado
como nunca pude faze-la ser
As armas do dia se desafinam agora
aqui como em qualquer outro lugar
a dor parece acostumar
os nervos a pressão
Cores se perdendo no amarelo do tempo
estou curtido na saudade esfumaçada
sem grandes planos eu lembro
e mais uma vez e adiante então
Ela parece feliz agora cara
segurem meus pés que desaguam
retalhem meus dedos desnorteados
sem uma razão real para um até logo breve
dentro do carro menores de idade bebem
apos a igreja um trago escondido dos clérigos
Estou triste por te ver feliz
sua alegria me fere tanto agora
agora que não participo do seu novo missal
Cara estou flanando em potes de indiscrição
pois as canções se pagam
no amarelar do tempo ouço os ecos da loucura
Sim ela parece feliz agora
estou triste por sua alegria
não há respeito quando amamos
não pode haver respeito quando amamos
não sei qual a razão disso
mas sei que não pode haver respeito
Por isso eu espero na chuva com o meu copo
enquanto os dias passam apagados
dentro das luzes noturnas
Os passos choram um destino
 inevitavelmente ocasional
precipitando o final numa dolorosa cegueira
temos que entender melhor
Marchamos em nossa vaidade egoísta
um novo lugar  para se sofrer
num tempo quando a dor se fez cair
ficou em casa para quando eu voltar
e pode ter certeza tudo um dia tende a retornar
ela parece feliz agora
passeando em meus ferimentos mais sórdidos
com sua mesquinhez mais suja
vivendo uma mentira doce e sem razão
não pode haver respeito quando amamos
Então na partilha final entendemos assim
sim não pode haver respeito quando amamos
meus amigos e seu time
meus amigos são o meu time agora
veja da arquibancada o monstro engolir
todas as facas que sua sombra projetou
ao me ejetar
Eu odeio a maneira como tudo tomou corpo
desvelando os mistérios por onde passamos
esqueça as coisas que eu disse
e saiba eu sempre perguntarei
por que não existe respeito algum quando amamos?
Ela esta feliz agora não é mesmo cara?
Queime meu pulmão com sua ausência e desapego
me deixe ver os lugares onde irei
estou distante de suas palavras agora
apenas o seu descaso me fere e alcança
saiba que eu te amei e não sei porque ao certo
mas não pode haver respeito quando amamos...

Nenhum comentário: