Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Minha cura

A febre me atormenta agora
eu como um pequeno prego diante do vento
passo sem ferir mais do que onde me deito
rezando por uma melhora
distante a esperança a saudade me faz ver
imagens que suponho e quero
retratos ainda não retratados
ás margens de um toque
meu corpo quente pede por carinho
carinho que seja cuidado e também seja amor
a febre me atormenta agora
meu corpo dói duro fardo de meus passos
quando te ver como será ao te encontrar
me vera feio e magro e me sentirá esfumaçado
dentro de mim como uma luz
sem direção eu apenas queria o seu carinho aqui agora
teu corpo e teus olhos
sentir seu cheiro desfilar em roupas intimas
em suas mãos tocando meu corpo
em cores frágeis de sabor marcante
como eu queria te amar
te amar com minha boca
com meu corpo e imaginação
sentir cada pétala se desfazer suspirante
em meus lábios que agora se desfazem de febre
sentir meus lábios rezarem um prece apenas nossa
onde seus gemidos minha mulher
é a mais doce oração
como essa noite eu queria te amar
e de minha febre num ato de amor
pelo amor da febre
em teu corpo quente me curar
pois teu amor meu amor
me sacia e enlouquece me faz querer continuar
febril jogo de nossos músculos açoites de suor
palavras caladas em beijos
sim essa noite minha pequena
eu queria te amar...

Nenhum comentário: