Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Isabela II

Hoje eu ando pelas margens
guiando as sombras dentro de paginas
eu sou a fera escondida atras do muro
e a casa vazia repleta de barulhos
a sua espera  minha doce pequena
a sua espera como quem não sabe mais
o pesado fardo da desesperança
eu me atei ao seu corpo feito uma criança
meu sonho sempre foi da cor do seu
sim seu beijo agora é o meu porto
onde meus lábios querem se deitar
minha pequena e doce esperança
como não querer você em minhas veias
se meu corpo quer sentir seu cheiro
se tudo em mim já pede por você
não sei como dizer o que eu sinto
sim seu corpo agora é o meu porto
como é sensível o toque e doce seu gosto
como é perfeito te ouvir me chamar
não sei como por fim eu naufraguei
para enfim em seus braços aportar
sonhar contigo o mesmo sonho
que eu pensei que fosse apenas meu
vai ver tudo até aqui foi um grande engano
e já fazíamos parte dos nossos planos
antes mesmos do que o destino nos fez descartar
nem sei se foi tão certo quando te acertei
mas foi tão magico quando enfim te achei
na fantasia de um dia te beijar
sim pois é como um sonho que nunca sonhei
ainda melhor do que um dia pensei
meu peito pulsa em sua mão
e o meu destino com o seu quer andar
como andar sozinho se existe você
e só você enfim foi quem me fez ver
que mais que nunca é bem melhor que agora
que minha vida dança a sua volta
e que meu peito pulsa dentro do seu
sim minha alma quer pela sua alma cantar
em versos longos a vida entregar
sinto que agora eu já nem sei mais
sei que seus olhos são a minha paz
e nada me fez assim tão capaz
de sentir que na vida podia haver tanto sentido
e agora esse sentido é você
não me diga adeus como outras disseram
não me diga adeus como eu disse a tantas
beije-me com ardor
cale minha boca com amor
me cale com beijos
pois eu tenho medo que seja apenas um delírio
e acordar assim numa manhã cinza
ainda mais cinza num mundo sem você
num mundo sem você
qualquer coisa pode me ocorrer
sem essa ideia de amor que paira no tempo
guiando minhas velas num vento sem par
quero ir junto de você minha pequena
para te dizer o que outubro diz as flores
para fazer contigo o que a primavera faz a cerejeira
eu que subi tantas vezes tantas escadas
onde cada patamar era um abismo
agora ao seu lado eu me ergo febril e ultrapasso
com a força de cem mil nuvens a dor
como um trovão eu me ponho diante da vida
ouço os apitos da fabrica
ouço os carros
sim como é linda a mulher que ama
como tem o rosto iluminado aquela
cujo desejo e a entrega se destinam ao seu amante
assim é voce minha linda
assim é sua luz minha pequena
como é linda a imagem de seus olhos
quando seus olhos me olham
mel iluminado da visão
como é linda a mulher decidida a amar
cuja entrega final é o principio de nossa alegria
como é lindo o seu sorriso pequena
como é doce o seu beijo
pequena espanhola como é doce o seu corpo
brancas colinas onde meu desejo se encerra
onde meus olhos se acendem
onde a primavera faz sentido
quero você aqui como assim estava a quase pouco
quero você aqui para que meus músculos 
se estendam em seu conforto de caricias plenas
quero me afogar na noite de seus cabelos
perfume macio da mulher que desejo
doce canção é sua voz mulher de estrelas
cujas as estrelas são mais lindas
pelo brilho que roubam de você
como eu te amo minha doce pequena
te amo como amam os pássaros
com a liberdade de um voo
eu vou até ai e te amo
com a liberdade de um voo
eu vou ai e te beijo num beijo que quer te levar
e eu só posso ir se eu quiser ir
mas como eu sempre quero e faço daqui
um novo lugar para poder dizer
um novo idioma para te fazer entender
que meses ou dias, horas ou semanas
nada é igual nada me engana
seria minha assim como sou seu
meu peito pulsa em sua mão
sim minha sorte se encerra em seu caminho
minha doce espanhola 
minha doce pequena você é o meu destino
e como eu quero ir ai agora
te beijar com força e desejo
pois tudo que eu desejo é seu amor e seu beijo
é sua entrega mulher de meus sonhos
quero me enforcar em seus negros cabelos 
noite de perfumes onde quero me deitar
quero me encerrar em sua boca
quieto suspiro entre nosso beijos
em ti eu me encontro como quem se procurava
pois adiante de você é meu lugar
pois diante de você estou
como certos devotos fervorosos
minha devoção se mostrará 
nas noites em vigília ao seu lado
e nossas orações terços de horas
por muitas horas dentro da noite 
a nos fazer em um só numa só devoção
pois teus pés são minhas puras relíquias
 torando o santo o lugar onde te encontro
teu beijo a hóstia de minha eternidade
onde eu comungo em plena contemplação
meu coração como um templo
teu corpo minha catedral onde os ícones expostos
fazem ver a alegria que é você em minha vida
sim o meu passo anda alegre
e minha alegria mais feliz agora
faz testemunha do bem que você me faz
eu sou o seu homem e você minha mulher
o mundo é apenas o mundo
todo o resto alem de nós é coisa qualquer
como eu amo agora eu sei
como eu te amo espanholinha
você é minha mulher
e tua a minha vida e doce o meu destino
desde que entrou em minha vida
cruzou a linha que separa o amor da poesia
sim minha poesia agora é você
mulher da minha vida
mais que vida você me faz querer viver
pois agora ao seu lado é meu sonho
como sempre foi e eu sequer sabia
sua alma e seus olhos contem toda a poesia
de amor que eu pretendia
por toda vida enfim agora achei
aquilo que eu tanto perseguia
e entre  os seus dias e suas noites
que sejam nossos dias e nossas noites
minha pequena
meu amor
amor de toda a minha vida
por toda vida eu sei que eu vou te amar
e  é tanto amor que mesmo assim amando tanto
nunca tanto amor é capaz de acabar
feito um sonho que se sonha tanto e quanto mais se sonha
mais se quer sonhar
assim eu te amo minha doce pequena
e assim eu vou te amar
prepara o caminho minha mulher
que noite dessas eu vou te buscar...

2 comentários:

Isa disse...

Ahhhhh amor que palavras lindas...*-*
E cada vez que me sinto sozinha,
releio este poema e você se faz presente,
Você me faz feliz, você me faz sorrir!
Moço bonito ♥ Moço lindo ♥

Jony disse...

Cara você se superou com esta, bonita demais!Pro meu gosto, é mais bonita de todas que voce ja escreveu. tá apaixonado, só pode!