Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Refletindo

Sabe aquelas pessoas que voce consegue sentir a ideia aparecendo junto das expressões do corpo, do olhar,da maneira como sorri antes durante ou depois de cada fala que senta no bar curvada como que querendo confidenciar algo e depois solta aquela gargalhada boa?
Gosto disso nela, mesmo como quando todo dia parece inverno, pela maneira dela sempre falar juntinho, dando a ideia de querer se aquecer, amo o jeito que ela fala e como aqueles olhos verdes irradiam liberdade e paixão em cada palavra, como se cada palavra, tivesse uma embreaguês propria dentro do som da voz dela, eu posso estar confuso agora,e acredito que realmente estou, ela sequer vai ler e entender tudo isso que estou escrevendo aqui, como eu queria te-la tirado para dançar uma noite dessas, dividir uma mesa de bar com sua presença que ocupa de subito tudo que a rodeia, como se ela fosse um perfume, ou mesmo uma ideia coletiva.
Andei fazendo muita besteira por ai, nesses ultimos tempos fiz muita besteira mesmo, cai de muro, fui assaltado, deixei de ir um mês ao trabalho e ultimamente sequer relogio eu uso, tudo isso por uma dor que ainda dói, mas não posso me privar de sentir isso novamente, em meus dentes ver florir a primavera.
Pois quando ela pisa o mesmo lugar onde estou, pode ser a mesa ao lado, pronto, fico logo com aquela meninice rasteira,de olhar quando ela não olha se ela não vem conversar.
Sabe tenho vontade de ligar para o seu telefone, numa noite dessas e chama-la para ir no cinema ver um filme europeu, quem sabe aé uma comedia romantica nacional, não sei direito se é medo de ficar sozinho, ou se eu tenho medo de admitir o que eu ando pensando e sentindo.
No fim escrevi até aqui para dizer que não sei direito, o que eu sinto quando olho nos seus olhos verdes, num outro tempo escreveria um bilhete ou uma poesia falando dela, mas todas as poesias ultimamente tem sido sobre ela de alguma maneira, enfim isso aqui era para ser sobre ela e eu acabei falando de mim, será que ela já faz parte assim de mim?

Nenhum comentário: