Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Estrelar

Correndo atraves das estrelas
distante a milhas da sua casa
sim eu não sei como voce esta agora
talvez eu ainda esteja lá
mas eu não sei mais como dizer isso
como dizer de uma maneira que voce ouça
algo que voce consiga entender
entre estrelas corro como o vicio
eu não sei de ninguem que possa entregar essa carta
eu não conheço ninguem
que possa cantar essa canção comigo
sim eu estou tentando falar sua lingua
fazendo sinais para o circo ser extinto
ninguem pode entender meus passos agora
e eu não consigo reconhecer
sua alma
sua alma esta 
como numa festa onde não alcanço
eu não fui convidado
então estou aqui diante das frustrações
e planos arquivados
meu sangue encena um sorriso
quieto e frio
como se um segredo terrivel me assombrasse
me deixe te dizer como eu estou
me faça ser benvindo em seu mundo novo
como num jogo onde eu não sei as regras
gostaria de ir ao inicio do estagio
onde tudo começou a se pintar
sim eu coloriria com outras cores
Diga coisas em sua lingua
relate sua jornada excluindo onde estou
voce não pode entender
sim eu sei que voce não pode entender
coisas que eu faço
palavras que eu digo estou ferido
como um anjo antes do final
correndo diante do sol
pedindo por um pouco de insanidade dentro dos dias
Como eu queria poder sorrir para alguem agora
como eu poderia sorrir para alguem agora
sim estou seguindo adiante do tempo
entre nossas antigas historias me afogo
como um rato dentro de um classico da literatura
eu direi palavras macias
num idioma que voce não pode entender
sim voce está dentro de uma dessas estrelas
como numa cadeia de supermercados onde imigrantes não entram
os segredos e questões não respondidas
me deixe acenar para sua alma como antes
sim eu sei voce não pode entender mais
como eu poderia contar para voce como eu me sinto
se voce não consegue mais sentir nada
Meus olhos perseguem a sombra de Deus
minha alma se perde dentro do progresso
ninguem entende muito bem essa nova linguagem
esse seu testamento em vida
sim eu não sei mais como são as estrelas
ajuste as notas da orquestra
rompa o limite da minha sanidade
pois estou guiando um rebanho de alucinações
e voce não pode mais me entender
com as ferramentas que Deus castigou
escrevo nomes que sua mente não pode sentir
estou caindo de uma maneira triste e pesada
e se voce pudesse me ouvir agora
sentiria essa dor como eu sinto agora
olhe meu sorriso por favor
sinta que estou diante do sol
repare em minha alma
essencia desgastada pela noite sem voce
flores queitas dentro de uma sala
voce nunca vai entender meu espirito
acho qeu nunca mais serei capaz de entender tambem
como numa briga gigantesca
perdi algumas partes e não sei por onde começar
parece facil agora não parece
acho que não é tão facil assim
conte comigo não conte comigo
eu não sei o que dizer agora
sim eu não sei o que dizer agora
como num circulo sem começo ou fim
estou girando dentro de mim
estou criando um crucuito fechado de dor
como uma criança
como uma estrela
me deixe escalar seu predio
seus olhos são tristes
seus olhos parecem querer sorrir
me deixe ver seu corpo
por favor não me deixe só
por favor me deixe voltar só
Como numeros dentro de uma caixa
como canções descobertas numa ilha
voce não pode entender essa minha jornada
voce faz parte da minha procura
mas eu não quero encontra-la...




Nenhum comentário: