Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

segunda-feira, 25 de maio de 2009

A regra

Todos amarão a cobiça
e odiarão o amor

pois é certo já dizia
o grande sabio

''a beleza é jovem
portanto temporaria,
quanto ao que é feio
sim isso é eterno''

Todos amarão a cobiça
e desejarão
apenas poder cobiçar

e eu serei
alguem que quer ser como voce
que é descontente
por ser igual a todo
o resto
inclusive
eu.

Hino Fontoura

Todos juntos numa dança estranha
fogueiras para todos
está completo o missal

a religião sem deus
o deus do homem
e o homem bem animalizado.

Filhos e filhas do grande capital
cabelos soltos
sim é o seu missal

e vão marchar como as crianças do senhor
todos bem brancos e bestiais
toso bem brancos e bestiais

Está completo deus do homem animalizado
sua fogueira para louvar o capital
seremos brancos e liberais

seremos bons e bons até demais
salve o estado que é nosso senhor
e a patria mãe que tambem é nossa familia

seremos brancos e liberais
todos bem brancos e bestiais
todos bem brancos e bestiais...

Ela vem do mar

Dentro da noite como uma criança
o demonio chora sua mentira branca
talvez por inveja da luz que clareia agora
talvez por medo da mentira devora-lo

eu apenas sorrio como a grande babilonia
dentro de meus olhos claros de cristão fanatico
ela virá do mar de sua magoa como um poço sem fundo
penteará as barbas do falso profeta que é seu marido

eu tão somente comerei de suas infamias
pois pactuo com suas miserias
e ela eu sei virá num numero

Arvores de codigo e proteção
detalhes de assombrar e fazer sorrir
tudo será dor uma dor menor que as de agora...

Galeão Andaluzo

De novo
e de novo
como um navio antigo
dentro de uma pintura amarelada
naufrago numa praia
de lembranças

E ela diz que posso seguir e seguir
de novo e de novo
novamente...

Luzes escondem a noite
deixando a vaga presença
dentro das sombras inocentes
entre as areias que o vento empurra

ela sabe que partirei novamente
e que partiria mesmo se a amasse realmente
mas seus olhos agora se enchem de tudo
mareados de dor e angustia
enquanto o horizonte se afasta da minha busca
e eu vivo como um antigo corsario
contra o rei e suas leis de moral e pobreza.

Ondas me arremessam para o abismo
como uma mão diabolica valsando com a cobiça
eu sei tão bem sobre o fim minha querida

''eu mesmo já estive lá antes mesmo de qualquer outro''

crianças se afogam
dentro das lembranças estranhas
como o unico amigo
quando só nos resta a esperança...

Ela me pede para não ir
e isso é apenas mais um porto
e isso seria apenas mais um porto
ou outra peça para encher o bau

pedaços de cristais desfilam no céu
antes de rasgarem minha alma imunda
e repleta de ritos negros
e pecados imperdoaveis
somos como uma dança pagã
onde o mundo é o preço
do nosso pacto...

Pedaços de cristais dançam no inferno
seduzindo o brilho das estrelas
enquanto nossos sentidos
beijam os pecados mais sujos
pecados quenós mesmo inventamos...

Por favor me deixe partir agora
e mais uma vez seguirei
para talvez ou nunca mais...
Como um galeão espanhol
bravio contra um mar bravio
me deixe seguir para longe agora
e novamente...

Por favor me deixe seguir como um demonio
dentro de uma noite estranha
numa dessas quinta-feiras.
Fantasmas de mim
surgem dentro de meus sonhos
como imagens sem rosto
para assombrar
minha aventura
unica e final...

Me deixe ir
de novo
e de novo
me deixe ir...

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Asma

Meu pulmão se recolhe agora
linhas vermelhas passam
por meus olhos agora
e falta o ar agora.

Impossivel sorrir
meu peito se aperta.

Meus olhos guardam a vontade
encher o peito de coragem
ou ar ou algo que me deixe respirar
e mandar essa dor para o mais intimo do inferno.

Minha cabeça dança
entre meu ombro
e meu pescoço
respirar agora
é impossivel
impossivel tambem é sorrir.

Asma...
Quando se é criança
e seus primeiros amigos
são medicos e enfermeiras
e antes de papa ou mamá
se vai logo dizendo
injeção...

Não te aceitarão no exercito
tambem não jogará football com seus coleguinhas.

Asma...
Um demonio preso em seu pulmão
aprisonando sua liberdade.

Asma...
Para que ande feito um morto entre os vivos
e na vida não se possa arriscar um pouco
pois o minimo para todos
já seria o bastante
para o fim claustrofobico

Encerrado em si mesmo
tudo que se deseja é
puxar todo o ar necessario
para soprar com força invejavel
esse demonio
para o mais intimo do inferno.

terça-feira, 19 de maio de 2009

Vida

Hoje dormi o dia inteiro
teci uma capa co meu medo
e a rosa dos desejos murchou
pois seus olhos agora estão distantes
e eu apenas olho a chuva acontecer

Voce chorava enquanto eu dizia algumas coisas
lembra que voce chorava enquanto eu partia?

Eu fiquei aqui
e foi justamente deixar o que eu fiz
para negar o que sempre fui

a razão para me entregar
assim a essa dor
que insisto em chamar
pelo apelido de mais triste

Vida...

chaves

Tenho a chave em mãos
mas são
tantas portas
todas tortas tantos vãos...
Terei de transpassá-las...ou esperarei nas ante-salas
nas prisões vassalas
ou habitarei as cidades dos cidadãos?

Quantas chaves! tantas travas! tantas trancas!
quem se isenta, quem se afasta, quem se arranca?
não se move, é só escrava negra, verde, branca!
Abra aquela que não vemos pois lutamos no breu
aquele vão que não se mostra ou já se esqueceu.
os segredos nos portões, na farra dos patrões
e do céu infindo que queima nos fios dos cercados vulcões

jogue as chaves e as portas ao chão!
não se protege, nem se inveja, nem ilusão
derrube as paredes, e o sol não precisará
entrar pelo caramanchão!

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Cosmerama

Crianças dormem durante a noite
as horas passam sedosas
por entre o rosto

sem razão obvia sinto saudades
de um tempo
um pouco antes

bem pouquinho
antes
de tudo nascer

Crianças dormem
e a noite segue
congelada e escura
dentro da valsa estelar
das horas

num romance cosmico e humano
sinto saudades
é verdade
e é bem pouquinho
de tudo renascer.

Monstro Branco

Um monstro branco nasce no lago
repleto de angustia ele surge para nossa tristeza
frio como um livro
angonizante como uma mordaça

Um monstro branco nasce no lago
dentro de nossos olhos
para devorar nossa letargia.

Eu sou o monstro branco
dentro de um sabado qualquer.

Voce é o monstro branco
numa mesa classe media num almoço de domingo

nós somos o monstro branco
com a quietude do deixa disso

ele é o monstro branco e se alimenta
do nojo de povo e das coisas mais verdadeiras.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Um dia com Maiakovski

Aconteceu comigo certa vez.
Grande poeta veio das paginas para o meu delirio
era de todo um delirio
mas não era inteiro um sonho.
Afinal era Maiakovski
preto e branco das paginas
com seus versos vermelhos de poeta e georgiano
homem como poucos homens
repleto de fé como todos os inimigos de deus.
Ele dizia coisas lindas
dizia por exemplo que se a terra era azul
e as estrelas tambem
era bom saber que mesmo o azul da terra sendo triste
em noites tristes da vida
é certo ainda há esperanças
na oração que as estrelas tecem
ao brilhar.
Tambem disse que era obvio viver
mas seria covardia se negar a tanto
mas quando o tanto nos é negado
cabe a nós homens e mulheres
correr com impeto
e tomar o nosso bocado.
Aconteceu comigo certa vez e isso eu conto aqui
que preto e branco com seus versos vermelhos
me apareceu um georgiano
de olhos ternos e olhar severo
mas tinha passos angustiados de criança só
e me dizia as coisas que eu ouvia de mim
e me pedia apenas para esperar
mas esperar lutando
e me disse dos relogios que esperam as horas
passando o tempo inteiro
mas sem saber qual a razão apenas esperam.
Aconteceu comigo certa vez
e foi magico
magico apenas seria tolice dizer
sonhei com o georgiano
sonhar apenas ele me disse
sonhar apenas é tolice
nada que é apenas nos serve
pois o que apenas
apenas serve
e assim foi o dia que junto do Georgiano apaixonado
senti pulsar
sua imagem
preto e branco
pulsos vermelhos de seus versos humanos
o dia que passei com o camarada Maiakovski

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Catecismo Catolico

Jesus existe
existiu e não era judeu

Deus tambem existe
e não há entre seus filhos
herdeiros da miseria

Pois bem depois de tantas verdades
cabe dizer a verdade real

não houve holocausto
eu aprendi no catecismo
eu ouvi do meu bispo

seria heresia descrer
de São Pio XII
e dos arautos de Weimar

terça-feira, 5 de maio de 2009

Resmungo

Repleto de ideias e mentiras
como um padre sem deus
com sua biblia capital
barba grande de celibatario
fala do povo
distante do povo

Repleto de ideias e mentiras
uma via-crucis neorealista italiana
cabelo grande e rosto de pederasta
afetadinho
com seus seu cabelo fetido
fala de estetica
para atrair inocentes-uteis.

Esses são os nossos amigos
pseudo humanos
pseudo humanistas

observando dentro de seus egos inflados
como quem vê animais no zoo
as pessoas de verdade
vivendo uma vida bem real.

Tudo

Quando a hora chegar
pronto acabou
é atraso ou acerto
e pronto
esta feito ou
não

Quando a hora chegar
toda a moral será só a moral
toda moral será imoralmente proibida

alcool
carros e batidas

Quando a hora chegar
eu serei filho de meu pai tambem
e não seu filho apenas

certamente quando a hora chegar
iremos rir de tudo
da moral
na crença
e da crença no fim de tudo.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Sobre o fim

Triste fim de outro coitado
ali no canto morto
aqui no meu canto encerrado

sem nome e sem sina
ele apenas morte agora
ele agora apenas rima.

Nem sei do que vivia
talvez mesmo da fome
ou qualquer outra ferida

Triste fim de mais um coitado
esquecido de deus e do estado
só fé e fome fica a fome

um crente com fome
não é crente
é apenas esfomeado.

Olha deus lá céu avé maria
outro noite na rua fria
pra morrer de fome e de agonia

triste fim de outro coitado
esquecido de deus e do estado
aqui no meu canto encerrado.