Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

sábado, 18 de abril de 2009

Paigagn

Quanto mais eu posso ir assim?
Se tenho tanto
e o preço que pago
parece menor
que aquilo que destruo
no exato momento
que faço de mim.

Bolsos vazios e ruas desertas
sem regras ou planos
o que restou foi essa vontade,
feito sede de algo absurdo e bom
dentro de algo ruim e feio,
numeros dançam em folhas,
uma semana ou duas;
pouco importa
se passei ou se são voltas apenas...

Veias abertas
mais um sinal fechado,
e posso sentir a realidade
dizendo adeus,
feito moça relocada
num lugar da moda,
pouco convencional.
Quanto mais eu posso ir assim?
Alguns motivos reais para escapar
e outros que me ocorreram agora,
pois é tão bom e tão pouco sempre
apesar de feio e ruim depois...

Como um astro decadente
sempre com alegorias conhecidas demais
voce entende muito bem
as coisas que tento esconder
e o medo que encosto
qual taxi dentro da paisagem.

Jogando com minha sombra,
meu passado e os temores
dentro de uma sala apenas assistem.
Quando será?
O que é final?
Palavras cospem em meus olhos
enquanto componho uma prece,
precisamos dançar essa noite - eles diziam.

Uma disputa cruel e sadica
onde se ganha ao passo que perdemos,
frio dentro do que vejo,
meus olhos fogem de uma luz idiota
enquanto a repressão desconfia
do que toco ou sinto,
tempos de tristeza
dentro de um recipiente.
O asfalto me fez crer nas nulidades
dentre elas essa loucura
e quanto será para ser assim como estou
e tudo que desejo agora,
ser como eu era
mas é impossivel
ser tudo o que voce me roubou.

Um passaro voa azul dentro dos sonhos
e ele me diz:
Vê o céu azul da noite,
a noite azul e cansada e triste
agora olha as estrelas
luzes pequenas de angustia dentro de sua dor.
Tudo quanto vê é teu sonho
portanto é voce
e a parcela triste e vazia
do que sente,
é exatamente onde sua alma está.

Bolsos vazios e ruas desertas
sem regras ou planos
o que restou foi essa vontade ,
feito sede de algo absurdo e bom
dentro de algo ruim e feio,
numeros dançam em folhas,
uma semana ou duas;
pouco importa
se passei ou se são voltas apenas...

Como uma criança sem tempo para ser criança
minha alegria não tem tempo para ser minha
e isso me fez lembrar de voce...
Se posso andar agora
e meus olhos não desconfiam
é que o medo trouxe tudo
para um lugar bem limitado e chato,
mas estrelas são a loucura do céu,lembra?

Canções de paz e força,
esqueci como se faz para ser uma canção
e talvez até mesmo isso
seja uma razão improvavel
sem força ou santidade,
mas enfim esse foi meu pecado
vai ver eu nem saiba o quanto gastei de mim
para ter tanto disso
que não costumo ser.

Um passaro voa azul dentro dos sonhos
e ele me diz:
Vê o céu azul da noite,
a noite azul e cansada e triste
agora olha as estrelas
luzes pequenas de angustia dentro de sua dor.
Tudo quanto vê é teu sonho
portanto é voce
e a parcela triste e vazia
do que sente,
é exatamente onde sua alma está.

Veias abertas e
mais um sinal fechado,
posso sentir a realidade
dizendo adeus,
feito moça relocada
num lugar da moda,
pouco convencional.
Seus olhos tristes como tendencia
alguma coisa do passado
feito releitura pop da dor,
tons de azul e verde
trazem o frio para nossa distancia
quando foi que deixei de embalar
as trovas e fios
na composição dessa alegoria simples.

Nunca mais ouviremos nossas vozes?
E aquela vez era para ser eterna,
mas tudo acabou assim
e eu como um demonio sem tregua
para deus e seus anjos
fiz o favor de me perder com sua vaidade.

Como um astro decadente
sempre com alegorias conhecidas demais
voce entende muito bem
as coisas que tento esconder
e o medo que encosto
qual taxi dentro da paisagem.

Aquela noite...
Ah... meu unico amor
aquela foi nossa despedida azul,
modernos que somos
sempre mais e mais um pouco
até o inevitavel.
quanto mais até ficarmos assim
não me deixe descer...
Mas voce me deixou ir
e o que escapou enquanto eu ia,
custou demais achar
e ver,que não é mais
como era,e eu fui ver
mas ver só me fez crer,
tudo que eu era e tinha voce roubou
para agora serem parte de voce.

Um passaro voa azul dentro dos sonhos
e ele me diz:
Vê o céu azul da noite,
a noite azul e cansada e triste
agora olha as estrelas
luzes pequenas de angustia dentro de sua dor.
Tudo quanto vê é teu sonho
portanto é voce
e a parcela triste e vazia
do que sente,
é exatamente onde sua alma está.

Uma jornada por mais e até limites
onde estou e o que desejo
só me faz ver
o que eu desejo
e o quanto tempo eu tenho
para gastar com o que quero ter
para acabar com o resto.
Não me deixe descer agora
nunca deixe - eu dizia.
Mas voce me deixou...

Promessas maiores
que minhas alucinações
feito luzes rabiscando
um céu estranho,
quantos dias o branco
como inicio e fim,
num cliclo bom e baixo
de alternanças e venturas,
maré de desejo e beatitude
onde crianças se movem
como golpes de seda
e rajadas de luz
dias e noites o branco
como inicio
e apenas
o inicio
como regra.

Confortavel pelo que sinto
e quero sentir,
ainda sinto
e me faço sentir
dentro do que tenho
e faço forçar
até ser só meu desejo
e eu dentro de mim
e para todo o mundo
apartir de tudo
que toco
sinto
ou cheiro.

Ruas desertas de seus olhos
como uma atriz linda
num filme antigo
mas ainda capaz de fascinar
ali naquela rua por onde passo
noites como essas
e outras até,
lembro que as estrelas
são as alucinações de deus,
algo que eu disse um dia,
já não digo mais isso,
mas lembro bem do dia...

Com meus bolsos vazios
e os olhos repletos de neon
e anuncios comercias
de puteiros e boates gls,
sigo meu caminho
dentro da lembrança triste que o neon
impede de meus olhos refletirem
mas o reclame maximo disso,
voce pode constatar
são as poças da agua
por onde adivinho seu nome
em letras que só eu vejo,
eu chuto latas
e tomo um porre,
invento historias estranhas
e até uma briga atoa...

Nunca mais ouviremos nossas vozes?
E aquela vez era para ser eterna,
mas tudo acabou assim
e eu como um demonio sem tregua
para deus e seus anjos
fiz o favor de me perder com sua vaidade.
Seus olhos tristes como tendencia
alguma coisa do passado
feito releitura pop da dor,
tons de azul e verde
trazem o frio para nossa distancia
quando foi que deixei de embalar
as trovas e fios
na composição dessa alegoria simples.

Seremos isso o que vemos
serei o que sonhei
o que fiz até chegar onde desejo ir
talvez eu até seja só metade do caminho,
quanto a voce não sei
mas posso me arriscar,
nada vai mudar até voce mudar
e se a casa é o problema
sempre existem desculpas
aceitaveis para se viver.
Voce poderia ter sido outro lugar
aquele canto que desde criança sonhei
e por um instante pude ver em voce.

O asfalto me fez crer nas nulidades
dentre elas essa loucura
e quanto será para ser assim como estou
e tudo que desejo agora,
ser como eu era
mas é imossivel
ser tudo o que voce me roubou.

Um passaro voa azul dentro dos sonhos
e ele me diz:
Vê o céu azul da noite,
a noite azul e cansada e triste
agora olha as estrelas
luzes pequenas de angustia dentro de sua dor.
Tudo quanto vê é teu sonho
portanto é voce
e a parcela triste e vazia
do que sente,
é exatamente onde sua alma está.

Tudo está
mas só voce pode ser,
isso é mais do que uma dose diaria
e bem melhor que um trago
mas estou cansado de caçar
por algo que perdi e
a impressão de nunca ter,
dia e noite dentro de mim e mundo afora
reclinado numa mesa
para enfim ver o branco como conforto
quando é só euforia,
estou cansado de fugir,
afinal esse correr da caça
não é algo proprio de um caçador.

Inicio e fim assim
tudo é tão fragil e bom agora,
logo depois é que vamos ver
o quanto de mim resta,
nesse sorriso doentio
de quem esta sempre a procura,
dentro de mim e agora e sempre
me enfeitando
para mostrar
quem manda e faz comigo
tudo que toco sinto e cheiro.

Não me deixe descer agora,
quando a verdade é que voce
me deixou.
Confortavel pelo que sinto
e quero sentir,
ainda sinto
e me faço sentir
dentro do que tenho
e faço forçar
até ser só meu desejo
e eu dentro de mim
e para todo o mundo
apartir de tudo
que toco
sinto
ou cheiro.
Tudo está,
mas só voce pode ser.

Tudo quanto vê é teu sonho
portanto é voce
e a parcela triste e vazia
do que sente,
é exatamente onde sua alma está.
Voce poderia ter sido outro lugar
aquele canto que desde criança sonhei
e por um instante pude ver em voce.

Promessas maiores
que minhas alucinações
feito luzes rabiscando
um céu estranho,
quantos dias o branco
como inicio e fim,
num cliclo bom e baixo
de alternanças e venturas,
maré de desejo e beatitude
onde crianças se movem
como golpes de seda
e rajadas de luz
dias e noites o branco
como inicio
e apenas
o inicio
como regra.

Manchas de vida
sujam seu véu de afetação e força
para enfraquecer
quem torce por todos
e esquece de mim,
passei a contar os dias como um a menos
dentro da bruma escura
entre as ramagens entre os trilhos,
feito um lunatico ou um cego
me enforquei nesse vivio por prazer
em ver voce sentir a dor por mim,
quando eu só sei sintir isso por voce,
tão doentio pareço,
mas me esforço em desaperecer
e quase sempre estou bem do seu lado
só para ouvir bem de mansinho
enquanto evita,
ouvir escapar meu nome.

Ruas desertas de seus olhos
como uma atriz linda
num filme antigo
mas ainda capaz de fascinar
ali naquela rua por onde passo
noites como essas
e outras até,
lembro que as estrelas
são as alucinações de deus,
algo que eu disse um dia,
já não digo mais isso,
mas lembro bem do dia...

Sonhos vem como fantasmas sedentos
por nossas vidas e projetos,
mas meu coração jovem esta doente demais
para causar desejo
ou excitar algum demonio,
eu deixo minhas veias seguirem
para onde
elas podem me levar,
sou mais um desses caras
tentando alguma coisa
com voce.

Leio meu horoscopo todos os dia
mas e dai se não há
estrelas capazes
de me guiar ou convencer,
seus olhos tristes como um filme antigo
me ensinam sobre atrizes
e seus truques imorais,
me ensinam sobre
o que voce deseja
e minha vida não quer dar.

Dias e noites dentro de mim
indo e vindo em busca
de loucura e tempo,
incrivel é ver como é tudo
tão pouco e o maximo sempre
em meus olhos se vê o que acabou de ir
mas cada vez volta mais cedo,
engraçado como um filme russo
triste como sua vida vazia
pensar que chorei
lembrando de seus pensamentos.

Uma jornada por mais e até limites
onde estou e o que desejo
só me faz ver
o que eu desejo
e o quanto tempo eu tenho
para gastar com o que quero ter
para acabar com o resto.
Não me deixe descer agora
nunca deixe - eu dizia.
Mas voce me deixou...

Nenhum comentário: