Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 4 de janeiro de 2009

Divindade

Longe da dor que a vaidade causou em meu espirito de prata
escorro com chuva por bueiros publicos e bilhetes de amor
nada faz sentido enquanto eu sonho assim
nada faz sentido quando tenho esperanças
a musica de mil amantes como o som de sussurros me chamam
para um lugar adiante do universo que eu sei gelado e vazio
eu estou dentro de mim agora querida
me sinto como um deus fetal gestado no utero do infinito

Estou pequeno diante das estrelas mais lindas que se pode ver
um coelho me comprimenta com cordialidade e amor
ele me mostra o caminho para casa e fala do amor
como um gafanhoto cego estou brigando com minha sede
milhões de papeis escritos com os mais diversos nomes
as letras parecem querer me fazer alcançar o amor sem limites
mas nada é tão real quanto a sensação do sol iluminando minha alma

nada faz sentido quand estou sonhando comigo
mas preciso seguir navengando por dentro dos meus sentidos
nuvens de algodão e animais amigaveis
voce precisa me abondonar
passeio por um jardim de gases e luzes tão magicas

preciso estender meus braços para alcançar o azul
por favor parem as crianças elas estão me causando felicidade
ninguem ai tem uma lanterna?

Longe de mim estou melhor que o inexistente
se eu pudesse me ver sentiria inveja da minha insignificancia
preciso alcançar o vacuo e as estrelas mais estranhas e lindas
que dançam dentro da janela de minha boca e nariz

Eu estou alto e nem deus pode me alcançar agora
por favor tente me achar antes que seja tarde eu me torne deus
jardins de amor e prazer dentro de meus bolsos
estou sozinho como um orfão ou uma virgem
e nada pode me ferir alem do meu orgulho e vaidade
mas tão alto mesmo os vicios não podem me alcançar agora
medo algum dentro de meus olhos
estou o mais proximo de mim que alguem pode chegar
por favor me encontre antes que eu me torne deus

o grande segredo é não há segredo algum
o grande misterio é está tão obvio amor
uma grande orquestra de substancias toca em minha alma
variações coloridas e desformes dançam em mim
como cartas endereçadas ao grande amor
eu passeio pela praça e sigo colhendo ideias pela avenida
tenho uma nuvem de seda e nicotina entre meus olhos
meus dedos podem tocar a grande gloria
eu posso tocar a grande gloria antes que a vaidade vence
ninguem pode entender do estou falando
quando converso comigo no escuro
ninguem pode entender minha dor quando choro

vozes me chamam pelo universo agora e sempre
meus ouvidos abertos expandem minha mente sem limites
para encontrar a fonte de todo carinho e afeição possivel
minha pele parece açucar e asfalto de ouro
nada pode me atingir agora que sei onde posso ir
o grande segredo é que nunca houve segredo
o grande dia chegou e sempre foi o grande dia
para meus pés de alface e objetos que voam para longe

Nenhum comentário: