Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 30 de novembro de 2008

Improviso olhando para Botafogo

Chega do lirismo piegas com formula pronta
entregar rosas
fazer poemas
dar presentinhos e só apenas
parece mesmo que sujaram de caretismo o amor
ao anular a suas liberdades

Agora mesmo em algum canto da cidade
deve haver alguem esperando como um poste
por alguem que não vai chegar na hora certa
isso é se realmente chegar

Chega do romantismo na espera
de promessas feitas para si
e de toda a loucura que é a insonia e o pieguismo

Tudo isso no amor cabe mas e então
não apenas disso é composto o amor
essa essencia humana demais para limitar-se
e livre de mais para ter formulas pré-estabelecidas
como quem ve e sente e fosse preciso checar com tabela e gabarito
atendendo aos requistos ai sim podendo ser chamado de amor

não isso não é amor
nem tem o azul das coisas sequer é sentimento que valha algo
puro pieguismo
falso e moralista
careta ate nas intimidades

chega de tudo isso que venha o novo
pois sendo assim que seja para derrubar os lares
e libertar os grilhões
que seja a doença mais absurda
e o remedio mais criminoso

que seja o improvavel
por voce por mim

como numa manhã de sol no verão em recife
eu pudesse te responder com metaforas
aos passos mais insolidos e percussivos de nossa alma
com lingua verde de coisas e fatos

que seja improvavel
quase onirico
longe
longe da caretice dos livros
que os livros se limitem a nos citar apenas
mas alem diso não seremos limitação apenas

Vence na vida quem se vende

As mentiras continuam viciando os ouvidos
com bajulações e falsos conselhos de amor
como me feriu da ultima vez
e foi tão bom enquanto eu não sabia
que podia ser pior e foi bem mais que isso
quando disse aquilo que te ensinaram

vence na vida quem mente
e quem trai é tido como heroi em vida
virtude só é vista no 2 de novembro mesmo
parece que ser bom saiu de moda
humanismo é coisa tão demode
afinal o que interessa mesmo é gritar aos quatro ventos
tudo aquilo que não somos
tudo aquilo que eles não são como se eles fossem

parei no meio da cidade olhei para os predios mais altos
e ouvi as vozes mais diferentes na confusão do dia
na pressa das horas remuneradas ou não
e vi a mentira e ouvi a traição
nenhuma verdade para hoje
afinal no seu cardapio só existe desafeto e pouco caso

quando a dor é uma piada
e vida apenas uma desculpa para se esquecer
perdemos o necessario ao olharmos para dentro apenas
perdemos o que é bom quando dissemos certas coisas
quando rezamos de uma cartilha viciada em mentiras e dor
o que escolhem por voce te faz cegar o que veria
se fosse voce quem escolhecesse por si

Mas tudo bem
vence na vida quem rouba
é bem feliz quem trai e mente e causa dor
entre as cidades com meu tenis de borracha e pano
feito na china possivelmente por uma fabrica de mão de obra semi-escrava
onde crianças trabalham
onde mulheres gravidas trabalham
onde na vida assim como aqui
lá tambem
vence na vida quem causa dor ou mente ou trai ou faz pouco caso

dentro do moralismo revolucionario e pequeno-burgues
do falso-moralismo
essa cortina a esconder a cretinalhia travestida de marxismo
os seres podres escassos de humanidade
repletos de si e de suas vaidades egocentristas
essa cortina a vestir de pompa o que há de pior
entre criticas e pouca ação

o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica

Um pensamento que pode ser ideia e tambem pode ser apenas contra-ideia
para respirar o ar da apatia com quem ingere o licor da tempestividade
serenos demais em suas farsas de cinema italiano e frances

Mas en então esta feliz agora com tuas colinas de areia e agua
onde pode enfim construir os mais formidaveis castelos de mentira
para atacar reinos de solidez e verdade com a dor que agora faz sentir
e logo tambme por isso sentirá
mas então eu sei que vence quem trai
que é mais feliz quem rouba
e a apatia é mesmo o dom mais divino
nos faz mentir para o melhor de nós com doenças
que nos cegam para o que existe

na vida e no mundo
na vida de farsas ardil para esquecer o mundo e suas dores
nos corrompemos com as sujeiras e sanidades de agora
mas quando enfim do sonho nos acordamos
sabemo que não era sonho o que sonhamos
sabemos ao sentir a dor e a mutilação
que nos causou tentar evitar viver o mundo
ao escolher o que escolheram por nós.
e nunca esqueçam

a pratica é o criterio da verdade.
Todo o resto apenas perfumaria
todo o resto invenção de quem nos engana
todo o resto se afastar da realidade
engraçado mesmo é ver o quanto e triste controverso
vence na vida quem mente
vence quem se nega a lutar e fica em casa
vence quem não quer o bem
vence mesmo quem deveria perder
vence quem deveria estar do nosso lado mas nos trai
e recua e se acovarda

Vence na vida o que é feito para destruir.



heroína da torre

uma heroína levará minhas invenções
no inverno,
ao alto da torre
sobre as nuvens...
com seus lábios com aroma de maçã
elas terão a altivez e brio,
e o brilho das farsa do mundo
serão afogados na enxente e no frio

Podendo buscar a qualquer momento
toda a verdade cairá com a chuva
exato, essa é a invenção:
seus lábios doce heroína
soprarão as verdades sobre as nuvens
serão o orvalho em lágrimas de menina
abrindo os olhos vãos.

Ela cantará durante todo o inverno
e a música que compus soturno
transformar-se-á alegre e eterno
a manhã em ardor noturno
a noite no fervor do dia
assim quem sofre o frio
terá o calor que se escondia;
se fracos os trajes
forte o ânimo
forte imagem

Humana minha heroína
levará toda minha esperança iludida
ao fato e terei porque orgulhar-me
a torre sobre o monte de miséria
feito de braços
contaminados e milenares ,
ruirá sobre os reis
que determinam o motivo dos amores
e do percurso das vidas em dores.

sábado, 29 de novembro de 2008

Poema sem titulo por enquanto

Voce é tão linda quanto uma manhã de sol,
seus olhos são magicos como um lugar da infancia,
estou gostando de conhece-la essa noite
por favor,me deixe ir mais adiante nisso,
pois voce,me faz querer ter poderes magicos,
estou me sentindo como um lenhador,
mas sei que sou um cara com um passado improprio

Voce é tão especial,
e faz sentir como os outros caras do mundo,
voce sabe realmente o que faz comigo,quando conversamos,
voce tem olhos magicos e vivos demais,
como uma manhã linda,num lugar especial da infancia,
então me diga,o que voce acha de caras como eu?
Quando conversamos eu consigo sonhar sabia?
Voce sabia que costumava suspirar pouco
e quando saio por ai fico no lugar mais escuro,
tenho uma cicatriz no rosto
e adoro as pintinhas no seu rosto,
pois seus olhos são como uma manhã magica,
no mais lindo lugar de nossas infancias.

Eu poderia roubar o sol,
sim eu poderia cair e rolar com alguma estrela,
mas sabe estou me sentindo tão bem...
Pois estamos conversando
e quando vejo suas mãozinhas,
meu deus,eu quase posso voltar a acreditar em deus
e ninguem me fez isso,
então por favor me faça isso de uma maneira incrivel...
Agora me sinto como um desses caras normais,
voce me faz sentir que a Terra é o meu lugar realmente.

sim eu costumo sair com alguns amigos,
e somos os caras mais loucos da cidade,
mas conversar com voce,me faz sentir tão normal,
como um milhão de outros caras:
felizes com suas namoradas lindas,
lindas,carinhosas e normais tambem,
é tão magico encontra-la agora
seria uma honra ir com voce para onde tivessemos que ir.

domingo, 23 de novembro de 2008

De onde eu venho chamamos eles de...

Engraçado como a vida é , lembro agora de minha priminha me perguntando sobre como chama o homi que voa no céu , eu quase que automatico disse homem não voa keka , mas ela seguiu e disse o homi que ta no ceu la na lelevião , entendia que ela tava falando do astronauta brasileiro , como chama esse homi , ela me perguntava enquanto apontava para a televisão , respondi Cosmonauta , esse homem keka se chama cosmonauta , meu tio entrando na sala disse que chamava-se astronauta , o que rendeu uma breve discussão , mas enfim minha priminha me olhou e perguntou novamente , como chama esse homi , dai respondeu meu tio astronauta e eu respondi cosmonauta , ela sem saber me olhou caladinha , como esperando uma resposta definitiva , olhei para ela e disse que de onde eu vinha costumavamos chamar esses homens de cosmonautas , mas isso era passado mesmo para o lugar de onde eu vinha.
Por um bom tempo , segui a um partido como quem segue a uma religião , odiando quem odiava o partido , admirando o comite central,isento de pensar o secretariado refletia a politica contida em cada passo meu , fui disciplinado demais , tramava contra quem sabia ser um problema para o que eu acreditava o partido servisse , lia e relia sobre a historia de nosso continente , viajei e trabalhei a serviço da revolução , dediquei minha vida dos 14 aos 18 aos mandos do bureau politico do pc , esse foi meu país , minha causa e meu unico amor , ali aprendi a odiar e como trabalhar esse sentimento , aprendi a engolir sapos inteiros e sem digeri-los , exatamente para depois num momento oportuno vomita-lo inteiro , aprendi a considerar que aliado é bem diferente de companheiro , em suma entrei idealista e sai mais realista e frio que um punhal.
No meu país costumamos chamar esses homens de cosmonautas , somos barbudos , fumamos bastante , falamos frances e espanhol , gostamos de de beber rum e vodka.
Engraçado mesmo é pensar que o muro caiu faz um tempão , mas ainda choro e conheço uma porrada de gente , que ainda chora quando ve o muro caindo , ainda somos ou tentamos ser como aquela velha guarda , somos camaradas da noite e da subversão , comunismo e coca com pizza num combinam mesmo , fico tentando imaginar o Maiakovsky bebendo uma sukita enquanto escrevia para Lila e bebendo sukita no maximo ele escreveria uns michas versinhos como a cecilia meireles , oras marxismo que num vai pra fabrica panfletar , no país imaginario agora , resto de ideia planando no peito , onde os cosmonautas figuram como pioneiros no espaço pelo progresso do socialismo , onde os cartazes fazem anuncios de campanhas populares de formação e treinamento , no meu país onde vivem uns michas lutadores de verdade , onde o rocky balboa perde facil pro Ivan Dracov , sem perestroika ou glasnost .
Minha priminha me fez pensar nisso , me fez lembrar num tempo que eu andava descrente que , mesmo que não seja por mim ou pela humanidade , que seja no minimo pela memoria , pela memoria de meu avô , que lutou na guerra civil e veio para cá , e nos seus ultimos tempos me contava sesu feitos como se fossem estorias de ninar , quando ele morreu eu era bem jovenzinho , mas lembro dele sempre que topo com um desses pensamentos durante a vida , apartir de ali nada nem ninguem me faz parar um segundo , e se paro um segundo recobro rapido e sigo em frente , lembro de meu tio que apesar de ser como é hoje , voltou nas primeiras levas de anistiados em 78 , poxa as vezes fico pra baixo , mas ai lembro desse país sem fronteiras onde os homens são herois exatamente por serem mais humanos e onde sensibilidade não é uma desculpa para ser afeminado,mas sim algo bem maior e superior , nesse país onde chamamos homens que vão ao espaço de cosmonauta , talvez menor para a visão cirtica dos intelectualoides de classe media , mas o melhor lugar da terra exatamente por me lembrar um tempo incrivel onde viver não representava uma deculpa para a fuga , esse país para mim é meu avô.

sábado, 22 de novembro de 2008

Branco demais

Poema para uns tipinhos tipicos nas universidades


Somos brancos demais
e conservadores
pra que acordar cedo e panfletar

Somos brancos demais
e intelctuais demais
pra que sair em passeata

Somos brancos demais
e lemos marx demais
pra que o trabalho de po-lo em pratica

somos brancos demais
e é bem melhor comentar
pra que lutar a luta que não é minha

afinal não sou classe operaria
sequer sou classe
filho da classe media
branco demais
moderno demais

Somos brancos demais
e eu vou ler engels
e criticar trostsky até o final
e fazer cena com cinema
para conquistar menininhas ingenuas

Somos brancos demais
e foda-se os soviets
eu quero andar com meus patins
e foda-se a greve geral
não vou ocupar reitoria
estou preocupado em inventar insultos
vanguardistas baratos

somos brancos demais
e tão afeminados
e sempre tão moderno
e sempre tão honesto
e tão intelectualizado
esclarecido como um professor

somos brancos demais
e a causa popular
não é minha causa
afinal sou branco demais
e gosto de comentar a revolução
que eu devia fazer
se tivesse alguma vergonha na cara

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

vazios e completudes

Hoje que não estou ocioso me toma o cansaço
se houvesse descanso o tempo seria escasso
hoje que tenho emprego certo me falta sossego
quando desempregado ninguem me queria nem pra pelego
vivo no oficio sem beneficios, no proprio abandono
não teria sequer minuto de sono

hoje que amo e sou amado plenamente
me arrebatam aos montes belas nubentes
é tanto amor, tanto cansaço a empreender
que tenho todos vazios e completudes do haver
me tentando e me elogiando junto a meu ao lado
e como resistir se tão bem aprisionado.

domingo, 9 de novembro de 2008

Campus

Quando ando por aí costumo lembrar de seus olhos
tenho ocoração cheio de amor triste e intocado
voce nunca percebeu como eu realmente era
lembrar seu sorrizinho pequena
como me dói recordar nossos momentos juntos
hoje no café lembrei de sua voz
e quando tocou a sirene
como estou sozinho sem voce
por favor me salve desses dias

tenho alguns amigos ainda
tenho alguma razão para continuar
mas tenho pensado ultimamente em voce
quando ouço aquela canção do noel
quando ouço aquela canção que lembra voce

tenho medo do que possa acontecer com voce amor
essas noites sem mim ou mesmo essa noites sem voce
estou triste pois nunca quis me amar
tenho um coração triste e cheio de um amor intocado
as ruas vão se repetindo no meu caminho durante a noite
ouço ua voz familiar e não é como a sua
pois só sua voz me faz sentir o amor
capaz de me tirar da solidão

Palaciano

Parecemos fios de seda enfeitando os olhos
tentar agora seria um erro
só encontrariamos nossos passados nos acusando
a hora da loucura acabou precisamos transcender agora
como faremos essa noite minha pequena perola do pacifico
como faremos agora com toda essa loucura contida em nossos corpos

pegarei meu carro até o litoral essa noite
vamos acender a maior fogueira para despistarmos
entraremos naquela antiga cidade de nossas vaidades
com escudos de pretensão e odio impresso nos ossos
como crianças pagãs dançaremos para a lua
até a serpente lá fora invadir nossas almas castas

precisamos de um pouco de insanidade é certo
mas eu sei que podemos transcender essa noite
com toda essa vida apagada não podemos sequer rirmos
a hora da virgem
a hora da virgem
como faremos essa noite minha pequena perola
pequena perola do pacifico transbordando em luz

sim eu sei que iremos causar frisson neles
a febre de nossos dentes fomentará intrigas douradas
terminaremos por nos encerrarmos em prazer e palacianismos
mas não me faça ser nada alem de imperador
não me faça ser nada alem de infiel e carrasco
eu quero acabar com tudo diante de meus olhos

por favor essa noite
entraremos nos lugares de nossa infancia
promiscua de imagens e ideias
como acabar com essas sombras
somos suditos revoltosos no pais dos morcegos
prepare-se minha doce perola de viagens
essa noite adentraremos como barbaros no castelo dos fortes
pouparemos apenas nossa dignidade
a hora da loucura acabou precisamos transcender agora
as legiões do medo enfeitam seus cavalos com nossos sonhos
parecem arvores agora mas adiante nos engoliram jocosamente
prepare-se para essa noite
amnhã ceiaremos com os demonios
no pais dos morcegos entramos como dois jasmins de cristal
o tempo da loucura passou agora apenas transcenderemos

adoro o cheiro de sangue estranho
adoro o barulho de outros gritos detestavel paz de outrora
precisamos beber mais rum agora minha pequena e doce mulher

vamos cair por nossos vicios eu sei
cairemos por nossos vicios eternamente
então por favor me deixe preparar as mortalhas
essa noite entraremos acompanhados no inferno

Fronteira

Querida vamos cruzar a fronteira esse verão
eu sei o ar anda pesado demais
fugir só pioraria saiba disso
então nosso exilio será nas ilhas do norte
eu sei muito bem como tudo nos cospe aqui
parece mesmo que nenhuma alma atravessou viva
ate aqui permanecemos como amantes frios
adiante nos amaremos como cães sem pudor

por favor me açoite
os cavalos anunciam o lastimavel pressagio
tenda no deserto por uma decada
lagartos reinam em minha oração
sou o sacertode dos malditos
fugir agora só pioraria saiba disso
então nos guardaremos no litoral ao norte

Pegue a serpente de vidro leitoso
ela persegue o homem com as chaves do abismo
todas as mentiras já se revelaram ate aqui
a fome nos aplaude como num enforcamento
crianças abortadas e pedaços humanos
secos e podres demais para o consumo
pegue a serpente de vidro e seremos como a criança do demonio
lindo sorriso de açucena e calice cerimonial
tunica de sal e ventania
devemos punir o santo homem com suas acusações insanas

Hei cara no banheiro saia dai agora
estou com uns amigos hoje e a coisa vai ser diferente
poremos voce para fora antes de articular qualquer talismã
voce quebrou o selo da ingenuidade com os seu deuses
adeus homem de mil kilometros de paz
queremos atirar na sua cara e depois pintar os espelhos com seu sangue
parece uma piada suave e recomendavel tirar sua vida agora
saia daqui agora cara
estou com uns amigos e hoje a coisa será diferente
duas quadras até o utero
tres mil leguas até os erros
ninguem pode ouvilo dentro dessa cupula noturna
esfera dourada e esmaecida de outras intrigas
cale a boca agora e por favor seja um bom cadaver

Por favor me açoite minha linda mulher
os cães cismam com meus olhos de feitiço e maldição
chute o bau das heranças divinas
cuspa na arca sagrada minha doce prostituta
tenho que servir as hostes nefastas do leste
pois osu o homem do ocidente que as profecias falaram