Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 5 de outubro de 2008

A igreja de mim mesmo

Primeira parte

Ando preocupado demais esses dias
voce pode chegar a essa conclusão facilmente
mãos nos bolsos
olhar perdido no céu
as vezes cabisbaixo

sem alcool a uma semana
sem nada que fazia tão bem e me levava a vida

sem mentiras
ou desculpas aceitaveis só para mim
amigos vem me ver agora
estou começando a acreditar de novo numa chance

Talvez eu viaje nessas ferias
a tardinha converso com meu pai ou meu tio
costumo andar sozinho e chorar escondido
costumo olhar as estrelas e pensar num lugar feliz

mas no final eu sei vai dar certo
eu quero conseguir acreditar novamente nisso
eu quero me olhar no espelho um dia
e não me lamentar pelo que fiz comigo na noite passada

eu consigo um dia
e eu sei que posso conseguir um dia

no final eu vou acreditar novamente em mim
e nos sonhos que eu desisti de sonhar um dia
eu só preciso desses dias
e se não for o necessario eu quero mais um tempo

Segunda parte

um dia eu volto para mim mesmo
mas hoje eu quero dar uma volta a noite
olhar as estrelas
tentar lembrar quando apenas sonhar já era motivo de alegria

a tardinha conversei com meu pai
e depois fui na casa do Wagner
eu pude ver neles a lembrança
de quando meus olhos não eram perdidos como esses tempos


Não tenho lider nem herois
apenas o que é humano demais
e não choro quando erro
e nem choro quando acordo
tenho alguns amigos legais demais
tenho outros amigos que tambem são bem bacaninhas

dia e noite eu penso sempre
que se a vida é isso mesmo
então valeu pelo menos ter buscado

sem deuses ou gurus
meus passos parecem livres e serenos
uma crença que não me cansa
e não me faz pior ou cego
eu posso até amar sem que amar seja pecado

e se eu sou outro
ainda existe em mim um batalhão de outros eus

um cigarro para acalmar
outro tipo de cigarro para acalmar ainda mais
sem culto a virtude
meu dom é apenas seguir e pensar
como se eu fosse meu mestre
nos meus sonhos eu me ensino
tudo que meu universo mais precisa

todas as manhãs eu pratico
aquilo que me convem
e se querem saber
eu ainda lembro de quando eu era como voces

tenho ainda algum tempo e se nada funcionar
é porque eu não olhei direito
a culpa dos meus sonhos é minha
e culpa não é crime ou pecado

sem medo de ter medo
eu posso enfim ser a criança sem problemas
marchando e cantam seus prorpios hinos de guerra
sou do meu exercito e o uniforme é a esperança boba
de que uma manhã acordarei de outra maneira
mas ainda sim serei eu
só que de outra maneira

Terceira Parte

Deixar de existir agora...
Sem vaidades ou anestesia
me anular para alcançar a transcendencia
pouco me importar com perfumarias ou pequenices
sequer ser eu mesmo
apenas não ser e quando o universo me abraçar

estrelas de açucar me beijam
minhas mãos fazem amor com o vazio
meus olhos vitimas de minha dor
acusam com medo
o que parece perigo
mas é apenas o novo chegando
para me anular e tornar tudo vazio demais
eu quero me deixar ago...

Retalhos de algodão por entre os cabelos
seios de maçã e neve
todo o amor que é dor
toda a paixão que é anestesica
sem vaidades ou pregos
me desligar do tudo e ser o todo

12 passos até o lar do todo
chegar onde as estrelas fazem sombra
beijar a alma divina no sacrario do nada
12 passos e não estou mais aqui nesse instante

o melhor lugar sem ego ou dor
onde a busca se encerra onde as mãos entoam canções maravilhosas

12 passos e eu sei que posso cantar a mais linda canção
onde eu não existo e nada existe
ali o todo é o bastante para mim
sem ego ou vaidade
quero me desprender e deixar de existir
a liberdade é apenas não ser mais

Nenhum comentário: