Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 5 de outubro de 2008

Como ficar louco

Parecemos um multidão de cegos guiados por ignorantes
todas as ruas até a proxima esquina
festas cheias de vicios e vaidades demais
Sem amor ou qualquer paixão humana
é necesario o que mais
desumanizar o que se desumanizou
ler bulas de soniferos e cair pela rua
dormir e esperar que o sonho seja melhor que essa ilusão

eu cansei de tanto navegar e me apagar por ai
talvez se fosse na semana passada
quem sabe se fosse com outro cara
mas foi justamente entre nós
é uma pena amor mas o amor ja passou

a mentira de nossas vidas devastou o meu espirito
quando eu pensava que seriamos nobreza em palacio de prazeres
veio o tempo das tristezas
em aliança com as brigas e confusões
numa piscina de feridas eu me afoguei com seu retrato
promessas de amor
mentiras de amor
tudo que voce me disse agora eu sei
era só me treinar para essa dor
para a dor de não saber mais o que fazer sem voce

Até o outro mês eramos tão proximos e intimos
agora eu já nem sei que horas são ou em que predio voce trabalha
ando pelo centro e entre prostitutas,alcoolatras e mendigos
nada faz sentido agora e sei bem mais de mim do que antes
sei o bastante para dizer que nunca fez sentido algum
quando chego em casa e algum amigo liga eu não atendo eu não respondo
sei que ainda lembro daquilo que conversamos
daquela vez que chovia e voce teve sair correndo para não se atrasar

porque voce aparece tanto dentro de mim e nos meus habitos
se tanto tempo ja passou e ja esqueci ate seu rosto
eu ainda lembro seu sorriso
ainda lembro seus passos abafados pelas meias coloridas
pela sala ou na varanda enquando o domingo seguia e a gente só tomava um cafezinho

parcemos cegos agora
crianças cegas e tolas demais
guiadas por ignorantes barulhentos
nossa vida é fria como a noite de ventos
retalhando nosso rosto com o passado e os nossos medos
é tão triste não é mesmo
mas foi a nossa escolha minha pequena

Nenhum comentário: