Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Lobo do mar

Tenho muitos amigos e tive muito mais a algum tempo
meu nariz sangra e dói agora
o frio rasga meu rosto dentro da madrugada
como um corsario me embreago com rum enquanto conto historinhas
e pensar que meu peito tem uma cicatriz por dentro
é que o anzol do tempo me impos tal condição
sou um cego pelo exercicio do vicio

Cruzando mares dentro da tempestade
dobrando cabos e naufragando em busca
talvez a vida tenha sido apenas a busca
e sendo apenas busca ao menos busquei

Tenho os pés firmes dentro da noite
sequer um passo durante os dias que passam
velas expostas ao vento me recolho ao convés
ela é linda como uma carranca espanhola
ornando meu galeão estilhaçado de outros portos
ela é linda como a imagem de um oasis
o paraiso seria seu sorriso numa tarde pelo parque

Mãos tremulas como a carne mais instavel
todos sabem de meu estado fragil e tempestivo
dedos caindo pelo caminho de entrigas
a proa é meu trono
e dali eu corro o mundo rasgando as marés

Tenho alguns amigos e tive muitos a algum tempo
sou um maldito entre os rejeitados
cuspindo na hostia santa da moralidade
fiz meu oficio entre os piores dessa epoca
talvez se houvesse uma garota me esperando quando eu voltar
mas não há garota alguma me esperando apenas

tenho uma centena de olhos espiando meus passos
3.000 crianças sedntas por meu sangue
meu nariz coça demais e dói
o frio rasca meu rosto dentro da madrugada violenta e suja
o horizonte é uma extensão de negrume e solidão

Eu sou um velho lobo do mar...

Nenhum comentário: