Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 14 de setembro de 2008

Cantiga

Todas as miserias do mundo num verso
seriam poesia?
Não preciso de conhecimentos sobre metafisica ou estetica
a resposta é que toda a miseria do mundo
não é poesia
toda a miseria do mundo não é artigo que se compra
para se verificar e embelezar com rimas

Essa madrugada uma crinaça morreu de fome e frio
não tinha nome sequer a idade sabiam

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

sem nome ou documentos
morreu ali mesmo naquela esquina que fede a urina e sangue
sabe-se apenas cheirou cola
deitou e morreu
o cadaver sorria

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

a criança sem nome que quando morre torna-se em cadaver
o cadaver que sorria
talvez sorrise pela efeito da cola
talvez apenas sonhasse algo
talvez seu sonho fosse mesmo morrer
e do sonho não acordou

todas as miserias do mundo num verso
sim a miseria não cabe na poesia
talvez o amor tolo dos que amam e nunca serão amados
talvez o lirismo tuberculoso dos poetas sem visão
cegos pelo amor afogados em seu egocentrismo infantil
todas as miserias num verso
a miseria não pode ser poesia

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

por exemplo seria bizarro cantar que uma mulher é violentada a cada 5 minutos
e que na Africa as guerras etnicas são o a cobaia belica do grande capital
não isso não é poesia mesmo

se eu dissese que um povo não tem direito a nacionalidade
se eu falasse do gás mostarda lançado nos Curdos
sim eu poderia matar essa tarde contando fatos interessantissimos
mas nenhum deles agradaria os ouvidos sensiveis de alguma bela moça
portanto não essas miserias não podem ser poesia

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

O projeto nuclear norte coreano não tem estetica o bastante
nem o regime chines e suas insanidades absurdamente desumanas
sequer a corrupção tibetana encarnada
nos discursos de ovelhinha proferidos pelo Dalai Lama
não é poesia criticar as teocracias e o populismo
todo o fetichismo
toda a hipocrisia
toda doença e as armas biologicas

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

me nego a cantar um mundo onde só o que é belo tem lugar
se o que canto não é poesia
parece loucura dizer
mas não ha poesia o bastante então
aos poetas cabe então arma numa mão caderno e caneta na outra
transformar o mundo num lugar realmente poetico
ja que não ha poesia o bastente na miseria humana

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

Poderia ser seu filho o estudante morto pela policia
e que no jornal insistem em chamar de de usuario
e despejar todo aquele discurso moralista
de defender pistas de guerra e comandos da morte
poderia ser sua filha a menina estuprada todos os dias na capital sem esquinas
pelos senadore bem votaods brancos e protestantes demais
todo o odio do mundo para quem odeia junto com o mundo
e parece mesmo que nessa cantiga
enquanto capital compõe a burguesia canta
e sou e é voce e é tambem a menina e o menino mortos
e sou eu e voce e todos
nos dançamos enquanto a ciranda segue

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

Nenhum comentário: