Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 31 de agosto de 2008

Sp-capital de mim

São Paulo e suas ruas de neon e gas
o transito belicoso de quem vai ou vem do trabalho
a cidade que é irmã de si apenas
o espaço que pode ser dois mundos
o dia dispare da noite
e a noite dispare de qualquer outra noite no mundo

não temos praia em São Paulo
não temos deserto em São Paulo
em São Paulo temos apenas a noite
em São Paulo temos apenas São Paulo
e mesmo a noite paulistana parece não caber numa noite apenas
é correto dizer uma noite apenas é pouco
para a noite que dura o quanto da noite desejar

os bares,os clubs,os bares e a noite
os clubs da noite durante o dia
os bares da noite duante o dia
a noite durante o dia
o dia que para a noite tambem não basta
a noite é uma outra cidade chamada São Paulo
uma outra cidade tambem chamada São Paulo

o neon dos anuncios escarra em nossos olhos
as meninas que mais parecem londrinas
o tempo absurdamente discrepante da realidade moralista e cristã
o modernismo dos antropofagistas
o paulistanês dos bairros e festas de imigrantes
mesmo os nomes impressos nas ruas
nomes femininos de mulheres que supomos
nomes masculinos de generais e herois
expoentes da caretice nomeando a festa urbana
tudo tudo ignoramos pois é São Paulo
e aqui a noite é açoite e libertação

Não quero outra São Paulo
quero essas cidades dentro do urbanismo caotico e fumegante
selva de concreto armado e neon ofuscante
cidade que tambem pode ser cidade
cidade que tambem é mais que cidade
outros lugares tem seus encantos é verdade eu sei
contudo a urbe apostolica de outros tempos
grita agora e sempre o adiante da raça
seus poetas e seus bebados e suas tantas prostitutas doentes demais

cidade que tambem pode ser cidade apenas
mas tambem é São Paulo como se ja não bastasse
nome de apostolo e santo
destino de migrantes e forasteiros
eis a capital do Brasil moderno
Essa é Sao Paulo e exatamente por isso
tambem pode deixar de ser

São Paulo lar de tudo
abrigo do mundo quando a noite vem

Nosso Tempo

Que tempos terriveis são esses
mesmo a mais simples fagulha doe na carne como seta
a urgencia dos dias atropela a vida
desfaz o mundo em inumeras siglas e cifras

esses são os nossos dias onde amar alguem
pode e certamente é sinal de fraqueza
o simples bom dia dito como sinomino de educação
esconde por tras dos dentes risonhos
o pressagio de um fato horrendo e nefasto

a noite ainda não chegou e
a agonia em tudo que se demora devora tudo
parece mesmo engraçado ver tudo assim como verso simples
mas não ha poesia nesses tempos
ser poeta então é cantar as dores
e o sonhador diante desses dias tornou-se em saudosista

que periodo absurdo vivemos
a vida custa menos que a munição dos cães
acendo meu cigarro
e ando pelas ruas o cigarro me entretem de tudo
por alguns minutos me apago da vida
é no entanto absurdo ainda viver esses tempos

Perdi meus sentimentos no pavilhão dos miseraveis
amarguei o doce de meus labios
na ausencia e na saudade de outros tempos
viver tem sido um exercicio de resistencia
esses são os nossos tempos...

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Caindo pela cidade

Caindo por ai eu não tenho eu
desisto facil dos sonhos que nunca tive
eu mudo logo de casa e de sotaque
parece mesmo que eu como fui
nunca
nunca existiu em mim

sem pais ou familia certa
sem patria ou passaporte
ninguem me prende
nada me absorve

Caindo pelos cantos da cidade
entre predios
feios e predios bonitos
eu sou o jardim e não pise na grama
por favor deixe um trocado para o estado de israel...

Caindo pelos lotes mais estranhos
indo entre avenidas e transito
todo mundo acaba e eu prossigo
me inventado novo e comodo esquecido

eu dou tantos dentro de mim
e mais ainda sou se for contar aqueles que sou fora
eu para mim não basta
e é por isso que eu vivo fora de mim
eu não tenho eu
e nem tenho onde morar
sou um imortal por obrigação
sou um imortal
eu sou um imortal
exatamente por não ter onde cair morto...

Janelando

Olho para a rua
da janela do meu quarto a vida eu vejo na rua
pessoas passam e carros correm
tudo
tudo e nada é igual ao menos
pelo menos se comparar com a ultima vez que vi

Olho para o predio do lado
os bares mais baratos na esquina
o bolhar ruim e torto
a aposta feita para perder
da janela do meu quarto
toda vida
a vida inteira passa
na fração de um tempo minimo e noturno
vive mais quem não olha da janela
vive mais quem é olhado

domingo, 24 de agosto de 2008

Liberdade de Consumo

13.2 mm Espingarda Anti-tanque (Mauser);2,4-D;ASROC;Adaga;Alabarda;Arcabuz

Bacamarte;Baioneta;Bazuca;Besta (arma);Bodoque

Canhão;Catapulta;Chicote;Cimitarra;

Elmo;Escudo;Espada

Faca;Faca de mergulho;Flecha

Fuzil

  • AK 5
  • AK 47
  • AKS 74
  • AR-15
  • AR 70
  • FN FAL
  • HK 33
  • HK G1 A3
  • HK G3
  • HK G36
  • Imbel MD97
  • M16

Granada Hovercraft Katana Kunai Machado Metralhadora Mina anti-tanque

Mina naval Mina terrestre Mina-S Morteiro Mosquete Míssil Nunchaku

Pistola

22 LR (Long Rifle)

  • .25 ACP ou 6,35 mm
  • .32 ACP ou 7,65 mm
  • .380 ACP(Automatic Colt Pistol) ou 9mm Curto
  • 9mm Parabellum
  • .38 Super Auto
  • .357 Sig
  • .357 Magnum (cartucho de revólver, com aro, utilizado nas pistolas Desert Eagle)
  • .40 S&W (Smith & Wesson)
  • .44 Magnum (cartucho de revólver, com aro, utilizado nas pistolas Desert Eagle)
  • .45 ACP (Automatic Colt Pistol)
  • .400 Cor-bon
  • .480 Ruger
  • .50AE (Action Express
  • Pistolet-pulemet Punhal Pólvora Revólver Rifle Submetralhadora

    Torpedo V-1 Wakizashi Zarabatana

    É SÓ ESCOLHER!!!! ENCOMENDE JÁ!!!! NÃO É PROMOÇÃO!!!!

    solo de trompete

    Cantava a magia às brisas um solo de trompete.

    selvagem me abordava com a boca uma efusão de euforia

    e fogos explodiam cinzas do antepassado que a vida distorcida não via.


    vendo o que se vê, não se mostra o que não se percebe ,se não se mete
    os olhos esfumaçados e encarnados às vigas que sustentam a demasia.

    E a fumaça balança na escala menor que o vento entoa com veneno
    o trompete irrita enfeitiçado, ou pior, os ouvidos, não sensíveis, do sereno

    tudo retorna ao normal; a fumaça se esvai e a noite concebe o dia.


    Quanto torpor torna o viver corrosivo e, deteriora o pleno.

    atmosfera

    Todos os beijos que me foram prometidos
    hoje são de perfume, de setim, de neve.
    o que já tinha me esquecido que era leve
    retorna agridoce jorrando em meus sentidos

    pra que promessas..., pra que juramentos fingidos...
    se poderia fazer parte da sutileza breve
    de toda a beleza orgulhosa que em poesia se inscreve,
    e onde nossos lábios se expressam unidos.

    o perfume mais delicado, o mais suave setim
    aderem tão bem, perfeita e cálidamente à mim
    que é no mínimo estranho insinuar-se o desdém

    à distância, perdes o orvalho que escorre e lhe espera
    uma cândida canção lhe convida a esta atmosfera
    se lhes teme, infelizmente... permaneço linda, sabes bem.

    Ela vive!

    ela estava no canto das cortinas da sala
    na mudeza da esperança tão vazia
    esperei com amor, por tanto encontrá-la
    o fruto do meu ventre sufocante de alegria.

    E agora encontro-a e choro e choro por todo o dia
    ela está deitada, frieza sem cor com roupas ralas
    o sorriso que não vi da lágrima que não sorria
    serão jogadas junta e melodiosamente em minha vala

    todo o carinho que elaborado no me peito
    pensei poder transpassar com muito alento
    e assim, o acalanto tocar seus cabelos no leito

    enquanto dormia, sua feição dormente no pensamento
    era a frieza mórbida da memória que não aceito
    só a encontro enquanto durmo e choro meus sentimentos.

    sexta-feira, 22 de agosto de 2008

    Lamentavel

    Febre.Tosse,tosse,tosse a noite inteira,
    por volta do terceiro dia,vem o medico da familia...

    ...inflamações na garganta,mais tosse,febre,falta de ar
    o medico examina,pede para explicar o que ocorreu,
    nada doutor,absolutamente nada de novo...

    Já suspeitava!
    (sentencia o medico daquela familia de judeus)

    tome esses remedios
    procure comer vegetais verde-escuros,carnes brancas e vermelhas,
    bastante liquido,digo por liquido,apenas agua e suco,
    caminhadas pela manhã,nada absolutamente nada de alcool,
    procure guardar-se de fortes emoções e
    em uma semana estara novissimo!

    (uma semana depois...)

    Febre.Tosse,tosse,tosse a noite inteira,
    inflamações na garganta,falta de ar,
    escarra sangue e pus,
    duas semanas e não sai de seu leito durante o sol claro,
    começa a tomar a aparencia cadaverica dos tisicos,
    fala baixo,cada vez mais baixo,
    daqui a um pouco,
    apenas se tera a ideia de que quer dizer algo,
    apenas a ideia somente...

    Familia judia!
    Sim! Sim esta feita a esparrela toda!
    A mãe grita com o caçula
    o pai cuida em rever as notas e titulos de creditos e emprestimos
    devidamente cedidos,
    para logo se cobrar,
    em forma de especie
    ou mesmo influencia!

    Todo o mundo passa...

    Febre.Tosse,tosse,tosse a noite inteira,
    inflamações na garganta,falta de ar,
    escarra sangue e pus,
    agora é certo morrerá
    e como desejou
    e fez por merecer,
    nos tempos de liceu ou
    ali nos altos la na bodeguita,
    anunciava bufante de doses infindaveis,
    punho ao céus,
    zombeteiro ria-se e dizia assim:
    quero apenas essa maxima como sintese,
    fiz por merecer!

    ...inflamações na garganta,mais tosse,febre,falta de ar
    o medico examina,pede para explicar o que ocorreu,
    nada doutor,absolutamente nada de novo...
    o medico sentencia resoluto e triste
    que eram suas suspeitas...

    Morre nessa vida,
    apenas o imutavel!

    qual a solução doutro?
    a unica solução agora é esperar

    como assim com o tempo passa?

    Não,não!_ o medico adverte e segue explicando com frieza.

    então doutro o que fazer?

    Nada absolutamente nada,
    penso que esta assim exatamento pelo excesso de fazer,
    a unica solução é esperar e esperar
    reze,contudo eu e tu sabemos
    sequer um deus no céu nos espera...

    Morre nessa vida,
    apenas o imutavel!

    domingo, 17 de agosto de 2008

    Hoje

    Hoje não farei plano algum
    todo o mundo pode esperar

    hoje não,
    hoje sequer espero
    todo o mundo pode aguardar

    apos um bom dia
    o que se segue é o descanso,
    por isso hoje não farei nada

    ficarei deitado
    olhando o teto
    hoje sequer contarei as manchas de mofo

    nem bar ou esmo ideia alguma
    hoje não farei apenas

    para hoje,apenas não farei
    hoje sequer direi não

    contudo é verdade,
    tambem não direi sim,
    hoje ficarei calado,

    hoje apenas hoje
    amanhã talvez,outro dia quem sabe,
    mas hoje,
    hoje não.

    toda a Terra pode esperar ou seguir
    todo o mundo segue melhor sem mim,

    hoje não farei resolução alguma
    minha resolução por agora é
    hoje não
    apenas hoje não

    ficarei em meu quarto
    distante de qualquer ilusão,
    apartado de algum sonho possivel,
    hoje apenas hoje

    sem amores ou desejo
    hoje não desejarei,
    hoje não amarei,
    amanhã quem sabe tudo volte ao normal
    onde eu existo,
    onde existo para me cansar de existir

    então qual a razão de tudo isso?
    Ficarei em casa
    amanhã,caso amanha eu suspeite
    somente depois de hoje responderei.

    Apenas direi
    hoje quero assim assim

    todo o resto não me importa hoje
    todo o resto me importara
    outro dia,
    hoje não
    apenas hoje.

    sequer abrirei as janelas para entar sol
    alegria ou tristeza,
    a vida em tudo que a vida é

    nada me comove hoje
    ontem comoveria,
    certamente amanhã me fará sentir algo.

    Hoje apenas hoje
    por agora só o hoje me basta hoje,

    não meditarei sobre deus ou os conflitos mundiais
    do outro lado da rua não há nada
    sequer a rua é algo realmente

    Não pensarei na rua hoje
    amanhã certamente.

    Silencio agora!
    Não ,não direi nada
    só me parece boa a ideia de fazer silencio!

    Alias nem silencio farei
    deixarei o silencio acontecer

    toda a gente pode esperar
    o sol será o mesmo
    e os dias terão a mesma hora

    quero a hora de hoje apenas,
    todo o resto depois debateremos,
    amanhã ou depois de amanhã
    (evidentemente)
    Hoje nem que seja só por hoje apenas
    por agora o presente já é o bastante

    segunda-feira, 11 de agosto de 2008

    vermelho

    O sabor do sal nas palavras
    e a vista só o vermelho concebe
    os passos no espelho
    que a criança não percebe
    toda esta inocência
    será lembrança
    serão os traços de insolência
    e só o vermelho concebe
    no horizonte só o vermelho brada
    na fronte frieza escorrente
    de suor alado e veemente
    coagulos de azul sobre as escadas
    e o sabor do sal nas palavras
    a revolta a prece a praga
    e a esperança era cândida
    é bela e draga
    toda esta inocência
    que será lembrança
    serão os trapos de indolência
    ondulados no mar de dores
    nos sorrisos e nos credores
    que cobram as dementes cores
    que fogem de toda a crença
    coágulos do verde sob o asfalto
    e o fim derradeiro canta alto
    pois só o vermelho atravessa
    a fumaça degradantemente espessa
    dos suspiros errantes
    brancos e negros que acinzentam
    arrebentam as nuvens d'antes
    pois só o sal do sabor dos sons
    sentirá os gostos bons
    de toda inocência
    que será lebrança
    serão os sinais de dissidência
    colorida e suja de moralismo
    ou de cinismo do bom mocismo
    reinante e hipocrita da decencia
    onde só o vermelho avista
    só o vermelho brada
    no horizonte no futuro de margem arisca
    só o sal nas palavras mantem
    o sabor vermelho nos olhos do horizonte
    será morto de toda inocência
    que será lembrança
    serão os novos homens livres aos montes
    bradando vermelho em palavras
    pisando nas cores escravas
    onde a infância adormece morna e doce.

    sexta-feira, 8 de agosto de 2008

    Bom moço

    Não serei bom moço
    todo o resto eu prometo que ponderarei se necessario for
    quanto a ser bom moço
    faça-me o favor de mudar de assunto
    chegar cedo em casa tomar leitinho quente com torradas
    não quero essa vida que assim não é viver é masturbar-se
    chega de tudo agora
    basta dessas vidas que vendem como exemplo comum e pratico
    do verdadeiro cavalheiro galante e casadoiro
    eu já disse que não serei bom moço nem agora e nem nunca
    filhos na escola
    profissão regulamentada
    mulher gorda reclamando no ouvido
    cabelos caindo
    bariga crescendo
    segurar as filhas para um bom casamento
    não isso eu não quero então me deixem sim!
    Já dise que não serei isso
    serei apenas o que sou e me parece bom ser isso apenas
    me parece formidavel ser quem sou
    no mais não serei bom moço
    chegar cedo em casa namorar no portão
    sexo apenas depois da cerimonia
    jamais eu digo a tudo isso

    Basta!
    Toda essa apatia sobria e afeminada demais
    calando os hormonios
    só resta mesmo é os ver vestindo saias
    contudo conheço mulheres bem mais masculinas que certos rapazes

    eu quero beber ate cair
    andar por lugares que as mães tremem de pavor
    ao supor como destino a suas filhinhas
    não serei bom moço
    pois sou apenas artista nacional
    e como disse a mae de alguem
    repleta de uma razão quase butequista
    tudo
    tudo é desculpa
    o que sobra é melhor nem contar

    Na boa eu não serei bom moço
    me deixem aqui
    daqui a pouco estarei ali
    mas então ja sabem
    não serei bom moço
    e no fundo eu sei só o bom moço volta sozinho sempre

    domingo, 3 de agosto de 2008

    A Estrela

    Se no céu uma estrela que brilha
    esse é o proposito das estrelas

    as crianças,velhos,prostitutas,bebados

    as crianças riem
    assim como os velhos

    as prostitutas riem
    asim como os bebados tambem

    é certo estrelas não riem
    acima do céu que gira
    o proposito é brilhar
    assim como não é humano
    não é necesseriamente humano o céu
    o céu apenas,
    é humano ver a estrela brilhar

    a lua não beija é fato
    tambem o mar não abraça a praia
    nada é como o humanismo vê
    humano mesmo é o nosso olhar
    que humaniza o céu,a praia,estrelas e mar

    a criança mais linda
    não é fruto de amor algum,
    o velho e sua vida
    não nos conta nada,
    as cidades são apenas complexos urbanos
    tudo é simples e comum
    com seus horarios e propositos
    sem fabula alguma

    mas então olha o céu essa noite
    vê aquela unica estrela
    o rsto no céu é nuvem
    todo o resto no céu é girar
    olha a estrela e vê o que diz
    estrelas não riem ou beijam
    sozinhas no cosmo vacuo e curvo
    as estrelas brilham
    pois é seu proposito brilhar

    assim então humanize
    que isso é nosso proposito abaixo do céu
    apenas humaniza
    que é nosso exemplo humanizar

    sábado, 2 de agosto de 2008

    Eu lirico

    Tenho algo jno bolso
    calma minha gente
    ninguem vai cair na batida
    pois o que tenho
    é apenas poesia
    e lirica o que piora ainda
    as possibilidades
    É ciranda de roda para a cirandar
    choro da lapa para a gente parar e chorar
    é samba-canção para cantar
    marchinha de salão
    matine e carnaval
    para dançar e recordar
    Na boca meu amor
    na boca
    põe na boquinha amor
    põe logo na boca meu amor
    e saia cantando esse refrão
    por bocas meu amor
    outras tantas bocas
    é ciranda e samba
    e marchinha ranchada
    sou eu mesmo e
    de repente posso nem ser
    calma amor
    queria apresentar
    o meu amigo
    -prazer me chamo eu lirico