Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Sabado

Agora meu peito dói tanto que chega a gritar por um final
eu não sei o que fiz para receber ao troco de carinhos a dura rejeição
eu não sei mais se é dor na alma apenas esse suspiro intenso que me chega
ou
se é já a morte reclamando sua quota de cada salivar entre losnas e opiaceas
sei apenas que agora dói como uma pergunta que não se sabe a resposta
como uma estrela linda que é triste
mas é linda
como a noite que é vazia mas nos traz suas horas repletas de versos
agora eu queria deixar tudo e me calar de uma maneira tão intensa e firme que já não haja volta para o grito de dor
Para meu peito que pensou infantil e foi alegre brincar sem segurança
a noticia urge pelos cantos de algum maldito
sim amor com desprezo se paga
é valor de troca
é quota razoavel e boa
é noite entre os dois que nada fez valer
Mas então se por outro enfim existe isso de se querer e não querendo o outro ainda ela mais quer
eu que tenho um coração afobado e torto
não vejo mais o que dizer se a meu contato foge com armas grosseiras e de mal-gesto
ela que eu quis e ainda quero de um querer liberto e sem laços
que não apenas a liberdade e a vida
eu já não sei como escrever
pois meu peito dói como folha jogada
pois minha cabeça treme e viaja enquanto a noite passa
Estou com febre e lembro bem que voce seguiu para sua casa enquanto eu parti sozinho
sou azul e triste agora
não em inteiro por voce
é uma verdade que o mundo me faz chorar mais que um filme meloso
é real sim que agora enquanto chove eu penso onde voce deve estar
talvez se meu peito parasse agora
olho o céu da noite de sua indiferença e ali no céu reside a alegria
na estrela mais distante junto das rotas mais incogitaveis ali
eu não vejo
mas na noite de sua indiferença meu coração começou a doer
e alegre mesmo são os que sabem quando é a hora de não olhar e nem ser visto pelo céu da noite
ou por toda a gente inclusive por si mesmo
Enquanto chovia eu chorava e a noite era fria e triste
o céu chorava junto a mim
estou cansado de sentir meu peito palpitar
se viver é dor suspeito qual a solução


Um comentário:

Rodrigo It's Not My Cross to Bear disse...

esta otimo !!!!!!

qualquer coisa ligue para mim!!!

grande abraço amigo!!