Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Poema em 10 atos para contar minha historia

Ato I:
(Ela)
Logo exibirão minha cabeça
ando a premio
e fiz por merecer

foram tantos que nem sei mais
e assim tão linda
roubava a paz

se assim como sou para outros
ou todos sou apenas minha

Amor...
Mas amor
meu amor assim é minha alma
de cada hora
entre essas noites
meu lugar é esquecer

ando á premio
por merecer e ofertar tão pouco
para os olhos e as bocas
meu corpo

eu só quero apagar um amor
desfazer minha insonia
e fazer outras
e outros
e outras muitas

estou a premio
e por merecer é que oferto tão pouco

assim como sou
sou confusa
assim como sou
sou minha
e quando se resolver
serei sua
só sua

Para olhos e boca
meu corpo
para essa noite misterio
e quando acordar ao me olhar
serei minha o bastante para dizer
Não!
desafetos...

Ato II :
(Eu)

Sei dela o pouco que meus olhos encantou
a medida que minhas mãos mediram
e ainda mendigam um pouco mai
a saliva doce noturna e quente
dos beijos que ousamos beijar

com ela meus sonhos vem
com ela meus sonhos vão
e vão e vem
as vezes parecem seguir com ela
para ela adiante de mim
até sei tudo dela até o que parece seu fim

sei dela nas cores que ganho
do peito que ela gosta de ouvir
depois dos beijos
e olhares que para ela costumo me ousar
tambem estou a premio
e por merecer e ofertar tão caro

Para meus olhos e boca
seu corpo

até a manhã quando despertar
de nossos abraços liberta
ela vai
eu sei que ela vai
me evitar

mas depois eu só quero
sonhar e sonhar e sonhar
mas depois de sonhar e sonhar e sonhar
eu quero acordar
e ela vai
como eu sei que ela vai
e eu sei tão bem
que nas manhãs das noites mais absurdas
tambem
ela vai acordar
e me evitar

meu peito ela gosta de ouvir bater
enquanto dorme
enquanto meu peito dispara
a pequena dorme
por ela meu peito canta canções de ninar

um encanto é quando minha mão segura a sua
minha baeba grande e espetada
roçando sua nuca

meu deus a pequena é linda
e mais ainda
quando esta nua
é que tambem essa rima em nada favorece
pulando quadras e estrofes
é só na poesia
que esse roamance cresce

minha cabeça a muito anda á premio
confesso que foi um erro
supor ela minha
se até na poesia
ela só para ela por toda a vida

Ato III :
(Ela)

Se ainda sou assimfeliz ou infeliz
ainda é por outro que me fez assim
o caminho sozinha é bem mais distante
se assim então
faço dela felicidade e encanto
e eu só canto
ele é engano
por imaginação
saudade
e esperança dele voltar
e me usar
me amar
me cantar

Ato IV :
(Eu e Ela)

Eu:
Desconsidere a atenção em claro
desconsidere o que considero
leve em conta
pensar o que se pensa
considere o que convir apenas
pois depois no final não vai restar muito

Ela:
Deixe de lado esse exagero gigante
sei como é frio e triste
esse caminho pequeno
é sozinho e distante
deixa o tempo ir
e com isso todo o resto vai

Eu:
Mas aquela lembrança
aquela vida
deixa sempre para se perguntar
se são maiores essas dores
ou se essa vida
que apenas dói é que não cabe em tudo.

Ela:
Sei que vai me dizer que a noite
que a noite ao cair se vai
nos cobrindo com seu manto definitivo
como para abrigar os beijos

Os dois:
Cair é cair
iso faz parte em lutar
a vida é amar
e amar meu amor
é cair um pouco

Ato V
(Eu)

eu só quis amar seu amor triste
e viver sua dor
para ter seu olhar de tristeza
eu só quis amar e amei
e tanto que amei
hoje sou tristeza
não a tristeza de seu adeus
mas a fatalidade
em cada ato ou cena

como eu quis sonhar
me perder das noites
sem me ver direito
alheio me encontrar sem receio
percorrer a noite
pelo medo
em ouvir de sua voz
o som de palavras dizendo
para voltar cedo
bem mais cedo
eu só quis um amor
desses sem respeito
que se entregam as mãos curiosas
pelo corpo a boca
entre minhas mãos
seu seio envolto na saliva de meus beijos e nos suores de meu corpo
para viver a vida
a vida é para o amor
viver não tem vez
já o amor cabe em qualquer lugar

hoje sou tristeza
para me perder das noites
me perder na vida
percorrer com medo
eu
nunca ouvi de sua voz
o som de meu peito
essa noite é triste
triste como o silencio lacrando a noite
calando suspiros
apagando
sua boca

(Ela)

Sei que já cansou de dizer tanto iso
e a confusão
e a poesia em seus olhos
parece tanto
é muito mais que isso

mas eu sei ao olhar
que em seu caminho
não existe uma apenas
e no fundo estará sempre sozinho

voce parece comigo
e isso
eu bem sei
é apenas perigo
apenas perigo
perigo
meu mais doce e triste destino
sei de sua voz gostos
poeta judeu,poeta vermelho,poeta bandido

Sei que já se cansou de falar comigo
e a confusão no peito
a poesia de olhos noturnos
em seu
apenas seu caminho
sou a menina alva de seus versos
com olhos profundos
negros e profundos
perdidos
perdidos

voce meu doce e triste
poeta
de nossas dores e destino
eu só sei de voce
voce parece comigo

e bem sei,como só eu sei isso
de um saber bem solitario
que é poeta
poeta e menino
menino febril

(Ela e Eu)

Não diga mais nada
que cada som
semi-palavra
é só palavra apenas

conversar sempre foi problema
e cada som
semi-palavra
é nada

e o amor recusa
e a paixão apenas
a paixão essa louca
a paixão nunca se furta de beijos
silencio
e
poemas

então não diga nada
que cada som é som e mais nada
nossas loucuras gritam
dentro da noite calada

Ato VI:

Eu:
Aquela nossa ultima noite
Ela:
Nossa ultima noite
Eu:
Minha ultima noite
Ela:
Deixe me dizer um pouco
que voce me levou
Eu:
Mas voce não quis seguir
e seguir
Ela:
Eu só sei que segui e depois
que aprendi a seguir com voce
quis aprender tambem a seguir sem voce
Eu:
Tanto voce me ensinou das coisas que quis aprender
me ensinando a liberdade
aprendi a escolher
e optei por perder
Ela:
Minha vida é minha
Eu:
Minha vida é sua
Ela:
Minha vida é minha
Eu:
minha vida é sua e de quem desejar
dos amores que eu amo
encontro mais paixão em te amar
Ela:
minha vida é só minha
Eu:
Sua apenas sua
Ela:
Minha...
Eu:
Toda sua é apenas sua
toda a festa de minhas veias
canta seu nome
num refrão que repete
entre luzes outros nomes
cidades,festa,festa e rua
Ela:
Minha vida é minha
Eu:
Sua toda sua
Ela:
minha vida é minha
Eu:
Minha vida é sua
Ela:
Adeus...
Eu:
Diga logo adeus!
Ela:
Adeus
Eu:
Não consigo acreditar,diga adeus!
Ela:
Acredite é isso,adeus...
Eu:
Adeus...
Ela:
Bem mais facil dizer que sentir
Eu:
Como eu sei...
Ela:
Foi triste aprender...
Eu:
Sim voce me ensinou
Ela:Adeus...
Eu:
então diga logo!
Ela:
Adeus...Adeus...Adeus...Adeus!
Eu:
Sim...

Ato VII:
(Ela dizendo adeus)

Eu bem sei agora
tanto que disse
era só para viver ali

mas voce assim como é
e voce assim como eu já sabia

agora pelos cantos a cantar essa canção
pequena e sem rima
canção que é nossa
pois canta de maneira sofrida
cada lembrança todo o caminho
nossas marcas em seus sorrisos
minhas feridas
suas feridas
vida
apenas vida
vida...

Ato VIII:
(Eu dizendo adeus)

Fui com voce e nem sei mais
e era só para viver ali
eu que ignorei
e voce assim como eu já sabia

se só me resta isso
se é essa e assim a vida
digo adeus
pequena,
adeus para toda a vida
digo adeus
e isso e assim a poesia
adeus...

Ato IX:
(Lembranças minhas e dela)

Eu:
Lembrar que a conheci
enquanto passava
que dançamos naquele ano-novo
lembrar que eu usava camisa verde
que na noite de nosso primeiro beijo
eu usava camisa verde
e que ali tocou meu peito
procurando meu coração

Ela:
Deixo para mim
qualquer recordação
voce já não é
pois voce foi
e foi só para esquecer

Eu:
Sei e me dói
dói saber

Ela:
Adeus

Eu:
Adeus

Ela:
Adeus

Eu:
Adeus

Ela:
Até mais

Eu:
Adeus

Ela:
Adeus

Eu:
Adeus

Ela:
Adeus

Os dois:
Adeus...Adeus...

Os dois:
Fez me ver
faz me ver
que todo o amor e febre
faz esquecer quase sempre
que amar
é maior que viver
das palavras tristes
é o seu nome que quero esquecer..
.Adeus...


Ela:
Das palavras tristes
é su nome que quero esquecer

Eu:
Das palavras tristes
só seu nome me faz sofrer

Ato X:

Adeus
adeus meu amor
Adeus
adeus essa dor
Adeus
adeus meu amor
Adeus
adeus e dessa vida fomos apenas dias
Adeus
adeus fomos apenas tres noites
Adeus
adeus desculpe todo o sentimento
Adeus
adeus e nunca mais
Adeus
adeus apenas
Adeus
adeus foi uma pena
Adeus...Adeus...Adeus...

Adeus
adeus alguns beijos
Adeus
Adeus não toque mais em meu peito
Adeus
adeus dessa vida fomos apenas tres noites
Adeus
adeus carnaval
Adeus...
Essa era para ser o nosso final
nosso final desde o inicio

2 comentários:

Lean Dromoi disse...

Grande Igor!!!

Grande amigo és tu , meu caro!!!

Belíssimo poema, li com sorrisos trágicos e retumbantes a peça!!!

pela simplicidade e pela beleza merece ser musicado!!! que achas?

todos abraços luta e arte.

Rodrigo It's Not My Cross to Bear disse...

Igor meu caro amigo!!!

esta muito bom, um pouco melancolico mais ainda sim muito valoroso, muito bom!!!!!

vc esta ficando um grande fantastico !!!!!!
e conte comigo no que der e vier!!!