Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 27 de janeiro de 2008

Canção Maior

Não quero escrever versos pequenos!
quero a poesia e não o espetaculo de minhas tragicas ações
poesia-luta e poesia-dia
Eu quero mesmo é abrir um sorriso espetacular cheio de dizeres piromaniacos

Não cantarei minha dor apenas se no mundo outras dores alem da minha apenas são uma só dor nos unindo como um musculo gasto lecionando dor!

Deixarei aos poetas os versos pequenos não os quero para mim
quero poesia e dia
quero a rua e a luta!
Esse não é um verso tragico
pequeno
ruim e banal
Eu quero cantar o comum e o igual e cantar para o canto ser maior
Não quero os poemas pequenos
pequenez é um artigo religioso
quero meu verso vaidoso e absurdo
não quero o meu verso antes de desejar um verso como meu
que a poesia o torne inteiro sobre tudo

Quero meus amores todos
não importando muito o que senti realmente
quero todas as minhas paixões desfilando enlouquecidas para o verso maior de nossos dias
Quero não cantar
quero uma poesia que lute
quero fogo na metrica e forca para o lirico e piegas
só espaço para o quixotesco e assombroso

Quero um verso
que não seja apenas poema
quero o amor que seja poesia

Cansei de tornar minha dor espetaculo
queimei a lona
espanquei palhaços

Animais estranhos
girafas e leões
macacos imperiais
e até a mulher barbada

Cansei de fazer da minha dor espetaculo quero a poesia que liberte inclusive o mundo
quero todas as minhas paixões desfilando esquecidas por mim
quero o outubro enlouquecido ateando terror nos atores canastrões
me cansei de ser atração do circo dantesco




Nenhum comentário: