Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

sujeito

sujeito a agir não agente passivo

verbo ativo do objeto regente

nome relativo ao sujeito vivo

do indicativo do plural do presente;

oculto no pronome o imperativo

ao futuro predicativo no ocidente

transitivo direto indireto e intransigente.

análise semantica do condicional subjuntivo

conclui-se a sintaxe destrutiva da humana gente

e a conjunção do valor privado e proibitivo

é adjunto as rimas pobres e indigentes

ao homem, o nome, a fome são cansativos;

a oração é coordenada por ideias insolentes

e subordinada as palavras de lexico inexistente

e a interjeição expressa negação do impositivo:

Lutae! mas só digo com todos a minha frente.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

coisas que não se faz mais....

Eu vos amava: o amor ainda pode existir
No meu coração ele não se desfaz
mas deixo-o ir, ele não vos incomodará mais
Não quero por nada vos afligir.
eu vos amava sem esperanças, silente
esta timidez este ciúme enfraquece e perdura;
eu vos amava com sinceridade com ternura
Como, dai- vos deus, oh amada, ser diferente!

Я вас любил: любовь еще быть может
В душе моей угасла не совсем;
Но пусть она вас больше не тревожит;
Я не хочу печалить вас ничем.
Я вас любил безмолвно безнадежно
То робостью то ревностью томим;
Я вас любил так искренно так нежно
Как дай вам бог любимой быть другим.

Alexander Pushkin (tradução propria e inedita)

domingo, 28 de dezembro de 2008

tendência

é isso mesmo...! embora infeliz
a tendencia é ao isolamento
isolamento! não solidão e ressentimento
etéreo ou efêmera flor de lis...
é porque não somos em nenhum momento
nós mesmos, como somos deveras
nossas palavras são consideradas quimeras
como se o que fazemos fugisse com o vento...
se uma idéia pode ansear ser perigosa
é melhor acostumar com o silencio sem prosa
pois quem escuta ou não entende e ignora
ou quem compreende encarcera e explora
obviamente, nada gratuito e bondoso
quem demonstrar coragem e preparo
pode estar querendo vender-se mais caro
do que realmente custa...é desgostoso...
e o que realmente custa se tudo tem preço
tudo se quer , consumo, felicidade e adereços...
a humanidade prepara seu tumulo desonroso....
pois meia duzia de isolados erguerão o punho sangrando!!!!
as multidões atacarão, e a exlplosão ressoando
acabará com o silencio tendencioso, hipocrita e moralista
e os olhos humanos recuperarão seu espelho, o horizonte e a vista!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

terra sã

terra acidentada, cor secreta
de máscaras negras insurretas
de olhares vibrantes, gritantes
são tantos os surdos na manhã
que pergunta-se se a terra é sã:
sim, é! ao horizonte bradante
e ela com o apaixonado sorriso
nada tão torrencial e preciso
molha-me de lagrimas duras
e a gota unica na terra doída
mostra que a dureza será vencida
por corajosos punhos a vida de secura
você que sabe a cor do dia
conhece estancar a sangria
da escuridão de alma persistente
trata de derramar o suor
ao chão ruim o que tens de melhor
aprumar a fronte e mostrar que é gente!


quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

biografia do meu tempo

Vertendo suspiros e mastigando agonia
respiro mentiras mas não reflito a hipocrisia
espero o destrato mas me exilo no afago

ergo-me, empunho, à fitar além do horizonte
caminho sobre a névoa fétida ao redor da ponte
como andar livre, há apenas um percurso através do lago?

todo o resto é vigiado, do obscuro ao insolentemente aceito
transgredir os sorrisos aparentes que flexam o peito
e tomar o arco à mão e arrematar o céu com belas melodias

assim, ensurdecer os despresos, os cativos do ruído
com toques humanos, bailantes, poéticos despidos
observar ao parapeito, sentado o fulgor do dia

porque não dizer que não creio na fé, na esperança
viveria deste modo, senão coubesse a minha lembrança
o fato de que sou humano, ativo e infinito!

por causa do feitio da vida, das vias com pedágio
com algemas, estratagemas baseados em sufrágio
é que acorrenta-se a alma supondo viver no delito

Não há motivo algum para o temor, ou medo
sabendo o necessário também não há folguedo
digno e constante muda-se a renegada contradição

ferindo com sorrisos e curando com fogo explosivo
jorrarão os vulcões humanos, humanamente incisivos
no futuro jovem, creio será a unidade; o que digo recordação

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Hola Chile

Me faz rir,aqueles que dizem que levo uma vida de playboy,viagens internacionais,bons livros,festas no meio da semana e pela semana inteira,mas quer saber eu pelo menos faço o que me proponho fazer,tomo meu uisquinho atoa,mas num fico de prosa sobre marx pelos corredores da academia,quando tem manifestação eu vou,quando tem ocupação ocupo e pronto,não sou membro da classe operaria,mas me solidarizo,realmente levo uma vidinha de playboy desgraçado,afinal os marxologos de biblioteca venderiam a mãe para estar na minha pele por pelo menos um fim de semana,quando eu estiver no chile no começo do ano que vem nossa vai dar pano pra manga,os projetos de intelectuais da universidade irão querer morrer,dai dirão judeu é assim neah?Vida boa a sua,pois bem vda boa é a de voces,que criticam todo mundo,sim dou meus tiros,aperto meus becks,mas enfim tou sempre por ai,alias por ai não que por ai é perto de voces e voces nunca estão a luta,estão mais pra puxa saco de professor,detesto isso de policiar a vida alheia,andam policiando a minha vida,olha aqui canalhas de plantão,atras das mascaras de bom moço e defensores da classe operaria existe,eu sei que existe,existe sim,um embuste para aparentar aquilo que não são.
Parabens enquanto estarão em seus nucleos de estudo,em seus circulos fechados para a realidade,eu vivo e não adiante dizer que me alieno por que uso recreativamente algumas substancias,porque se for assim voces tambem se alienam co suas leituras que se realmente as tivessem compreendido não seriam ou agiriam como agem,parabens essas ferias estarei no chile,lendo neruda em cada rua que eu passar de Valparaiso a Santiago,e voces provincianos como são,a não por conta de classe mas por mesquinhez mesmo,vão espernear e se indignarem com meus trofeus,mas quer saber o bom mesmo é saber que,não sou igual a nenhum de voces.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

nela me inscrevo

que será este dourado de seda e setim
nos lençois envoltos em marcas de batom ?
o que diz a silhueta dormente pra mim,
o que escuto é verdadeiramente bom?


é ela,que abraça com suspiros e com tons
de gracejos o sabor da manhã sem fim
escuto o suave e doce canto sem som
feito um toque, à brisear jasmim

será mesmo que no leito é apenas sonho
disfarçado de langor brando e risonho,
ou melhor, tão belo que não sei o que descrevo?

é só o que amo e essa manhã é indiferente?
apesar de não ser pouco, na ousadia rente,
na contemplação prática, nela amo e me inscrevo.

domingo, 30 de novembro de 2008

Improviso olhando para Botafogo

Chega do lirismo piegas com formula pronta
entregar rosas
fazer poemas
dar presentinhos e só apenas
parece mesmo que sujaram de caretismo o amor
ao anular a suas liberdades

Agora mesmo em algum canto da cidade
deve haver alguem esperando como um poste
por alguem que não vai chegar na hora certa
isso é se realmente chegar

Chega do romantismo na espera
de promessas feitas para si
e de toda a loucura que é a insonia e o pieguismo

Tudo isso no amor cabe mas e então
não apenas disso é composto o amor
essa essencia humana demais para limitar-se
e livre de mais para ter formulas pré-estabelecidas
como quem ve e sente e fosse preciso checar com tabela e gabarito
atendendo aos requistos ai sim podendo ser chamado de amor

não isso não é amor
nem tem o azul das coisas sequer é sentimento que valha algo
puro pieguismo
falso e moralista
careta ate nas intimidades

chega de tudo isso que venha o novo
pois sendo assim que seja para derrubar os lares
e libertar os grilhões
que seja a doença mais absurda
e o remedio mais criminoso

que seja o improvavel
por voce por mim

como numa manhã de sol no verão em recife
eu pudesse te responder com metaforas
aos passos mais insolidos e percussivos de nossa alma
com lingua verde de coisas e fatos

que seja improvavel
quase onirico
longe
longe da caretice dos livros
que os livros se limitem a nos citar apenas
mas alem diso não seremos limitação apenas

Vence na vida quem se vende

As mentiras continuam viciando os ouvidos
com bajulações e falsos conselhos de amor
como me feriu da ultima vez
e foi tão bom enquanto eu não sabia
que podia ser pior e foi bem mais que isso
quando disse aquilo que te ensinaram

vence na vida quem mente
e quem trai é tido como heroi em vida
virtude só é vista no 2 de novembro mesmo
parece que ser bom saiu de moda
humanismo é coisa tão demode
afinal o que interessa mesmo é gritar aos quatro ventos
tudo aquilo que não somos
tudo aquilo que eles não são como se eles fossem

parei no meio da cidade olhei para os predios mais altos
e ouvi as vozes mais diferentes na confusão do dia
na pressa das horas remuneradas ou não
e vi a mentira e ouvi a traição
nenhuma verdade para hoje
afinal no seu cardapio só existe desafeto e pouco caso

quando a dor é uma piada
e vida apenas uma desculpa para se esquecer
perdemos o necessario ao olharmos para dentro apenas
perdemos o que é bom quando dissemos certas coisas
quando rezamos de uma cartilha viciada em mentiras e dor
o que escolhem por voce te faz cegar o que veria
se fosse voce quem escolhecesse por si

Mas tudo bem
vence na vida quem rouba
é bem feliz quem trai e mente e causa dor
entre as cidades com meu tenis de borracha e pano
feito na china possivelmente por uma fabrica de mão de obra semi-escrava
onde crianças trabalham
onde mulheres gravidas trabalham
onde na vida assim como aqui
lá tambem
vence na vida quem causa dor ou mente ou trai ou faz pouco caso

dentro do moralismo revolucionario e pequeno-burgues
do falso-moralismo
essa cortina a esconder a cretinalhia travestida de marxismo
os seres podres escassos de humanidade
repletos de si e de suas vaidades egocentristas
essa cortina a vestir de pompa o que há de pior
entre criticas e pouca ação

o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica
o criterio da verdade é a pratica

Um pensamento que pode ser ideia e tambem pode ser apenas contra-ideia
para respirar o ar da apatia com quem ingere o licor da tempestividade
serenos demais em suas farsas de cinema italiano e frances

Mas en então esta feliz agora com tuas colinas de areia e agua
onde pode enfim construir os mais formidaveis castelos de mentira
para atacar reinos de solidez e verdade com a dor que agora faz sentir
e logo tambme por isso sentirá
mas então eu sei que vence quem trai
que é mais feliz quem rouba
e a apatia é mesmo o dom mais divino
nos faz mentir para o melhor de nós com doenças
que nos cegam para o que existe

na vida e no mundo
na vida de farsas ardil para esquecer o mundo e suas dores
nos corrompemos com as sujeiras e sanidades de agora
mas quando enfim do sonho nos acordamos
sabemo que não era sonho o que sonhamos
sabemos ao sentir a dor e a mutilação
que nos causou tentar evitar viver o mundo
ao escolher o que escolheram por nós.
e nunca esqueçam

a pratica é o criterio da verdade.
Todo o resto apenas perfumaria
todo o resto invenção de quem nos engana
todo o resto se afastar da realidade
engraçado mesmo é ver o quanto e triste controverso
vence na vida quem mente
vence quem se nega a lutar e fica em casa
vence quem não quer o bem
vence mesmo quem deveria perder
vence quem deveria estar do nosso lado mas nos trai
e recua e se acovarda

Vence na vida o que é feito para destruir.



heroína da torre

uma heroína levará minhas invenções
no inverno,
ao alto da torre
sobre as nuvens...
com seus lábios com aroma de maçã
elas terão a altivez e brio,
e o brilho das farsa do mundo
serão afogados na enxente e no frio

Podendo buscar a qualquer momento
toda a verdade cairá com a chuva
exato, essa é a invenção:
seus lábios doce heroína
soprarão as verdades sobre as nuvens
serão o orvalho em lágrimas de menina
abrindo os olhos vãos.

Ela cantará durante todo o inverno
e a música que compus soturno
transformar-se-á alegre e eterno
a manhã em ardor noturno
a noite no fervor do dia
assim quem sofre o frio
terá o calor que se escondia;
se fracos os trajes
forte o ânimo
forte imagem

Humana minha heroína
levará toda minha esperança iludida
ao fato e terei porque orgulhar-me
a torre sobre o monte de miséria
feito de braços
contaminados e milenares ,
ruirá sobre os reis
que determinam o motivo dos amores
e do percurso das vidas em dores.

sábado, 29 de novembro de 2008

Poema sem titulo por enquanto

Voce é tão linda quanto uma manhã de sol,
seus olhos são magicos como um lugar da infancia,
estou gostando de conhece-la essa noite
por favor,me deixe ir mais adiante nisso,
pois voce,me faz querer ter poderes magicos,
estou me sentindo como um lenhador,
mas sei que sou um cara com um passado improprio

Voce é tão especial,
e faz sentir como os outros caras do mundo,
voce sabe realmente o que faz comigo,quando conversamos,
voce tem olhos magicos e vivos demais,
como uma manhã linda,num lugar especial da infancia,
então me diga,o que voce acha de caras como eu?
Quando conversamos eu consigo sonhar sabia?
Voce sabia que costumava suspirar pouco
e quando saio por ai fico no lugar mais escuro,
tenho uma cicatriz no rosto
e adoro as pintinhas no seu rosto,
pois seus olhos são como uma manhã magica,
no mais lindo lugar de nossas infancias.

Eu poderia roubar o sol,
sim eu poderia cair e rolar com alguma estrela,
mas sabe estou me sentindo tão bem...
Pois estamos conversando
e quando vejo suas mãozinhas,
meu deus,eu quase posso voltar a acreditar em deus
e ninguem me fez isso,
então por favor me faça isso de uma maneira incrivel...
Agora me sinto como um desses caras normais,
voce me faz sentir que a Terra é o meu lugar realmente.

sim eu costumo sair com alguns amigos,
e somos os caras mais loucos da cidade,
mas conversar com voce,me faz sentir tão normal,
como um milhão de outros caras:
felizes com suas namoradas lindas,
lindas,carinhosas e normais tambem,
é tão magico encontra-la agora
seria uma honra ir com voce para onde tivessemos que ir.

domingo, 23 de novembro de 2008

De onde eu venho chamamos eles de...

Engraçado como a vida é , lembro agora de minha priminha me perguntando sobre como chama o homi que voa no céu , eu quase que automatico disse homem não voa keka , mas ela seguiu e disse o homi que ta no ceu la na lelevião , entendia que ela tava falando do astronauta brasileiro , como chama esse homi , ela me perguntava enquanto apontava para a televisão , respondi Cosmonauta , esse homem keka se chama cosmonauta , meu tio entrando na sala disse que chamava-se astronauta , o que rendeu uma breve discussão , mas enfim minha priminha me olhou e perguntou novamente , como chama esse homi , dai respondeu meu tio astronauta e eu respondi cosmonauta , ela sem saber me olhou caladinha , como esperando uma resposta definitiva , olhei para ela e disse que de onde eu vinha costumavamos chamar esses homens de cosmonautas , mas isso era passado mesmo para o lugar de onde eu vinha.
Por um bom tempo , segui a um partido como quem segue a uma religião , odiando quem odiava o partido , admirando o comite central,isento de pensar o secretariado refletia a politica contida em cada passo meu , fui disciplinado demais , tramava contra quem sabia ser um problema para o que eu acreditava o partido servisse , lia e relia sobre a historia de nosso continente , viajei e trabalhei a serviço da revolução , dediquei minha vida dos 14 aos 18 aos mandos do bureau politico do pc , esse foi meu país , minha causa e meu unico amor , ali aprendi a odiar e como trabalhar esse sentimento , aprendi a engolir sapos inteiros e sem digeri-los , exatamente para depois num momento oportuno vomita-lo inteiro , aprendi a considerar que aliado é bem diferente de companheiro , em suma entrei idealista e sai mais realista e frio que um punhal.
No meu país costumamos chamar esses homens de cosmonautas , somos barbudos , fumamos bastante , falamos frances e espanhol , gostamos de de beber rum e vodka.
Engraçado mesmo é pensar que o muro caiu faz um tempão , mas ainda choro e conheço uma porrada de gente , que ainda chora quando ve o muro caindo , ainda somos ou tentamos ser como aquela velha guarda , somos camaradas da noite e da subversão , comunismo e coca com pizza num combinam mesmo , fico tentando imaginar o Maiakovsky bebendo uma sukita enquanto escrevia para Lila e bebendo sukita no maximo ele escreveria uns michas versinhos como a cecilia meireles , oras marxismo que num vai pra fabrica panfletar , no país imaginario agora , resto de ideia planando no peito , onde os cosmonautas figuram como pioneiros no espaço pelo progresso do socialismo , onde os cartazes fazem anuncios de campanhas populares de formação e treinamento , no meu país onde vivem uns michas lutadores de verdade , onde o rocky balboa perde facil pro Ivan Dracov , sem perestroika ou glasnost .
Minha priminha me fez pensar nisso , me fez lembrar num tempo que eu andava descrente que , mesmo que não seja por mim ou pela humanidade , que seja no minimo pela memoria , pela memoria de meu avô , que lutou na guerra civil e veio para cá , e nos seus ultimos tempos me contava sesu feitos como se fossem estorias de ninar , quando ele morreu eu era bem jovenzinho , mas lembro dele sempre que topo com um desses pensamentos durante a vida , apartir de ali nada nem ninguem me faz parar um segundo , e se paro um segundo recobro rapido e sigo em frente , lembro de meu tio que apesar de ser como é hoje , voltou nas primeiras levas de anistiados em 78 , poxa as vezes fico pra baixo , mas ai lembro desse país sem fronteiras onde os homens são herois exatamente por serem mais humanos e onde sensibilidade não é uma desculpa para ser afeminado,mas sim algo bem maior e superior , nesse país onde chamamos homens que vão ao espaço de cosmonauta , talvez menor para a visão cirtica dos intelectualoides de classe media , mas o melhor lugar da terra exatamente por me lembrar um tempo incrivel onde viver não representava uma deculpa para a fuga , esse país para mim é meu avô.

sábado, 22 de novembro de 2008

Branco demais

Poema para uns tipinhos tipicos nas universidades


Somos brancos demais
e conservadores
pra que acordar cedo e panfletar

Somos brancos demais
e intelctuais demais
pra que sair em passeata

Somos brancos demais
e lemos marx demais
pra que o trabalho de po-lo em pratica

somos brancos demais
e é bem melhor comentar
pra que lutar a luta que não é minha

afinal não sou classe operaria
sequer sou classe
filho da classe media
branco demais
moderno demais

Somos brancos demais
e eu vou ler engels
e criticar trostsky até o final
e fazer cena com cinema
para conquistar menininhas ingenuas

Somos brancos demais
e foda-se os soviets
eu quero andar com meus patins
e foda-se a greve geral
não vou ocupar reitoria
estou preocupado em inventar insultos
vanguardistas baratos

somos brancos demais
e tão afeminados
e sempre tão moderno
e sempre tão honesto
e tão intelectualizado
esclarecido como um professor

somos brancos demais
e a causa popular
não é minha causa
afinal sou branco demais
e gosto de comentar a revolução
que eu devia fazer
se tivesse alguma vergonha na cara

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

vazios e completudes

Hoje que não estou ocioso me toma o cansaço
se houvesse descanso o tempo seria escasso
hoje que tenho emprego certo me falta sossego
quando desempregado ninguem me queria nem pra pelego
vivo no oficio sem beneficios, no proprio abandono
não teria sequer minuto de sono

hoje que amo e sou amado plenamente
me arrebatam aos montes belas nubentes
é tanto amor, tanto cansaço a empreender
que tenho todos vazios e completudes do haver
me tentando e me elogiando junto a meu ao lado
e como resistir se tão bem aprisionado.

domingo, 9 de novembro de 2008

Campus

Quando ando por aí costumo lembrar de seus olhos
tenho ocoração cheio de amor triste e intocado
voce nunca percebeu como eu realmente era
lembrar seu sorrizinho pequena
como me dói recordar nossos momentos juntos
hoje no café lembrei de sua voz
e quando tocou a sirene
como estou sozinho sem voce
por favor me salve desses dias

tenho alguns amigos ainda
tenho alguma razão para continuar
mas tenho pensado ultimamente em voce
quando ouço aquela canção do noel
quando ouço aquela canção que lembra voce

tenho medo do que possa acontecer com voce amor
essas noites sem mim ou mesmo essa noites sem voce
estou triste pois nunca quis me amar
tenho um coração triste e cheio de um amor intocado
as ruas vão se repetindo no meu caminho durante a noite
ouço ua voz familiar e não é como a sua
pois só sua voz me faz sentir o amor
capaz de me tirar da solidão

Palaciano

Parecemos fios de seda enfeitando os olhos
tentar agora seria um erro
só encontrariamos nossos passados nos acusando
a hora da loucura acabou precisamos transcender agora
como faremos essa noite minha pequena perola do pacifico
como faremos agora com toda essa loucura contida em nossos corpos

pegarei meu carro até o litoral essa noite
vamos acender a maior fogueira para despistarmos
entraremos naquela antiga cidade de nossas vaidades
com escudos de pretensão e odio impresso nos ossos
como crianças pagãs dançaremos para a lua
até a serpente lá fora invadir nossas almas castas

precisamos de um pouco de insanidade é certo
mas eu sei que podemos transcender essa noite
com toda essa vida apagada não podemos sequer rirmos
a hora da virgem
a hora da virgem
como faremos essa noite minha pequena perola
pequena perola do pacifico transbordando em luz

sim eu sei que iremos causar frisson neles
a febre de nossos dentes fomentará intrigas douradas
terminaremos por nos encerrarmos em prazer e palacianismos
mas não me faça ser nada alem de imperador
não me faça ser nada alem de infiel e carrasco
eu quero acabar com tudo diante de meus olhos

por favor essa noite
entraremos nos lugares de nossa infancia
promiscua de imagens e ideias
como acabar com essas sombras
somos suditos revoltosos no pais dos morcegos
prepare-se minha doce perola de viagens
essa noite adentraremos como barbaros no castelo dos fortes
pouparemos apenas nossa dignidade
a hora da loucura acabou precisamos transcender agora
as legiões do medo enfeitam seus cavalos com nossos sonhos
parecem arvores agora mas adiante nos engoliram jocosamente
prepare-se para essa noite
amnhã ceiaremos com os demonios
no pais dos morcegos entramos como dois jasmins de cristal
o tempo da loucura passou agora apenas transcenderemos

adoro o cheiro de sangue estranho
adoro o barulho de outros gritos detestavel paz de outrora
precisamos beber mais rum agora minha pequena e doce mulher

vamos cair por nossos vicios eu sei
cairemos por nossos vicios eternamente
então por favor me deixe preparar as mortalhas
essa noite entraremos acompanhados no inferno

Fronteira

Querida vamos cruzar a fronteira esse verão
eu sei o ar anda pesado demais
fugir só pioraria saiba disso
então nosso exilio será nas ilhas do norte
eu sei muito bem como tudo nos cospe aqui
parece mesmo que nenhuma alma atravessou viva
ate aqui permanecemos como amantes frios
adiante nos amaremos como cães sem pudor

por favor me açoite
os cavalos anunciam o lastimavel pressagio
tenda no deserto por uma decada
lagartos reinam em minha oração
sou o sacertode dos malditos
fugir agora só pioraria saiba disso
então nos guardaremos no litoral ao norte

Pegue a serpente de vidro leitoso
ela persegue o homem com as chaves do abismo
todas as mentiras já se revelaram ate aqui
a fome nos aplaude como num enforcamento
crianças abortadas e pedaços humanos
secos e podres demais para o consumo
pegue a serpente de vidro e seremos como a criança do demonio
lindo sorriso de açucena e calice cerimonial
tunica de sal e ventania
devemos punir o santo homem com suas acusações insanas

Hei cara no banheiro saia dai agora
estou com uns amigos hoje e a coisa vai ser diferente
poremos voce para fora antes de articular qualquer talismã
voce quebrou o selo da ingenuidade com os seu deuses
adeus homem de mil kilometros de paz
queremos atirar na sua cara e depois pintar os espelhos com seu sangue
parece uma piada suave e recomendavel tirar sua vida agora
saia daqui agora cara
estou com uns amigos e hoje a coisa será diferente
duas quadras até o utero
tres mil leguas até os erros
ninguem pode ouvilo dentro dessa cupula noturna
esfera dourada e esmaecida de outras intrigas
cale a boca agora e por favor seja um bom cadaver

Por favor me açoite minha linda mulher
os cães cismam com meus olhos de feitiço e maldição
chute o bau das heranças divinas
cuspa na arca sagrada minha doce prostituta
tenho que servir as hostes nefastas do leste
pois osu o homem do ocidente que as profecias falaram

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Maiores

Não chegarei no céu nunca
talvez as portas do paraiso nunca se abram para caras como eu
eu sei muito bem como é esperar e esperar
foram anos ate aqui e n final
eu sei que não vou para o céu
o paraiso não aceita caras iguais a mim

dentro da noite o frio acaba com nossos sorrisos
desculpe vou fazer a curva agora
todo esse tempo apenas pensanod se é permitido estacionar aqui
mas no final a festa acabou mais cedo para quem desejava não acordar

Tenho medo de todos essa noite
luzes ameaçam meus olhos dentro de quartos sujos demais
adoeço cm corpos iguais ao seu
com almas que nunca me salvariam como a sua
desculpe
eu sei que não vou para o céu
o paraiso não aceita caras iguais a mim

ruas e mais ruas
escuras e vazias
apenas filas apenas
ninguem vai me convencer que tenho chances agora
por isso naquela noite eu sai com meus amigos de sempre
enquanto todos bebiam nos saimos para outros lugares
enquanto a vida seguia tudo se perdia

eu sei que não existe salvação para mim

outros corpos iguais ao seu
outras almas que não são capazes de me trazer a salvação

Breve

Parece mesmo que vou cair da ponte
vejo meus pés deslizando mesmo antes de chegar a ponte
o carro vai sozinho o cinto não quer abrir
eu sonhei com isso a vida inteira
eu sonhei com isso a vida inteira
e ela não vai se importar se eu for
e ela não vai chorar tanto se eu for
Parece mesmo que nunca se importou comigo

Estagio

Meu coração espera um novo estagio
de cor e força ainda maior e igual a duvida
por favor me deixe quieto agora
minha alma esta trancada e umida
feito um quarto escuro de criança morta

Meu coração espera que chova essa noite
a tarde quente me faz espirrar demais
eu quero um pouco de seu otismismo
e outros tantos de sua fé na vida
me desculpe amor
mas o amor passou feito um tango de adeus

Meu coração espera o ritmo marcado de seus olhos
mas como eu posso ver adiante e saber o que acontecerá
desculpe tudo e eu ja sabia como iria ser
e o erro meu foi exatamente acreditar
que todo o erro foi apenas meu
num ourtro estagio
num outro tempo
e se chover eu fico um pouco feliz
mas isso passa
com a chuva
como a chuva passa
eu sei...

olha que bonito esse verso de amor
que eu guardei para ler só para mim
e lembrar que no final só houve voce
e lembrar que no inicio foi voce
como eu sou triste
mas isso passa
com a chuva tudo isso vai passar
como a chuva
eu sei
sim eu sei que vai passar...

domingo, 26 de outubro de 2008

Um soneto feito como um jasmim

Me beija agora amor
que a flor de seu desejo
é o mapa dos meus sorrisos
pois todo o mamar parece menor agora amor

se essa noite não beijar voce
me beija agora amor
quero ser como aquele menino dentro de seus olhos
que nas canções é só feito a liberdade

e se depois de tudo eu te perder
me beija agora amor com todo seu desejo
eu quero um beijo,me beije agora amor apenas

pois todo amar vai parecer menor
se essa noite amor eu for embora
eu for embora sem te beijar

a grande festa no castelo de triste conde das asturiasquando de seu aniversario de 34 anos de poder e ostentação

Outro amor acabou,como eu sei?
Leio em jornais ou suponho pelas fotos,
tantos romances se rompem,
na angustia de amar
gasta-se todo o amor,
mesmo o que não se pode dar.

Assim do riso se faz pesar
e da recordação um duro golpe,
ao perceber que tudo agora é só saudade.

Outro amor acabou,
tudo que nasce,
nasce mesmo é pra morrer,
mesmo a verdade com o tempo cansa os ouvidos,
angustia da vida,
cada dia nasce e morre
abrindo novas feridas.

Acabou e é o fim,
ja era o esperado,
agora só resta irmos ver
o que sobrou de cada lado.

Um coração ferido demais,
outra manhã e o banho frio
o café amargo lembra o gosto da cura
a maquiagem borrada de outras noites
em outras caras.

Outro amor acabou,
vê agora que tudo acaba,
e não há casa fortenem mandiga ou feitiço certo,
quando o teto desaba
o jeito mesmo é desaguar.

É triste constatar que acabou,
foi necessario rirem juntos ali
se rirem um do outro?
Não sei...
Seria pouco cientifico responder agora e assim,
é certo porem
outro amor acabou,
um chora e o outro segue...
Vale dizer que valeu
foi necessario amar
então agora que tudo acabou
ainda é necessario começar um sonho
se mais cedo ou mais tarde
não importa haverá sempre a hora de acordar
outro amor acabou...

sábado, 25 de outubro de 2008

7 copas

Sete copas de carbono e derivativos
entrelaçam-se no seu colo mais opalas
penso se é mais valioso beijá-la
ou roubar-te os adornos atrativos

Sua pele aparenta suavidade
mas há tantos brilhos e artificios
sobre ela, que desvendar é dificil
quem é você, qual beleza e qual idade

É impressionante tamanha grandeza
fortuna e altivez, entre todos há consenso
és escultura florentina nas barcas de Veneza

Mas meus olhos, meu apreço põem-se tensos
entregarei meu amor vivo de certeza
apenas àquela que tudo vejo e sempre penso.

oferta

Ofereceram-me dinheiro:
mereço ou pereço?
à prazo ou inteiro
minha alma, minha calma
meus versos no vespeiro
minha alma, ou dinheiro?
fugaz e vivo na palma
meu nome é o endereço
quero ou me desespero?
nunca mais terei tal chance
é uma vida futil de relance
ou o abandono de mim nada sincero?
Me perco no possivel cerco
ou cerco o cotidiano mero
com inevitavel dor, com muros de esterco?
Você me indica, o que mais fica?
o sucesso o progresso algo explica?
pretendo ser mais do que sou
devo me vender ou entender que nninguem me roubou?

Pop

Na angustia de viver os limites do amor
gasta-se o amor todo de uma vida
gasta-se até o amor que não se poderia dar
gasta-se todo o amor e logo é o fim
logo não se tem mais com o que sentir
acabado o amor
acabado os sonhos
nos resta a solidão essa canção tão pop nesse começo de seculo

Mexico

Lembro agora dos meus ultimos momentos no Mexico
a poeira seca e quente nas narinas
o som aspero do vento soprando diante do meu corpo pequeno
lembro agora daquele tempo lindo e de como doeu me despedir
mas prometendo voltar e morrer ali
essa noite eu recordei da agua fresca na pia
daquele hotel vista pro deserto
e do jasmineiro e de todos os murais
cactos e mulheres
ritmos femininos demais
sons brilhantes e aveludados

e como chorei ali naquele aeroporto
quis cortar minha alma e distribuir os retalhos
dentro de uma duna
entre os os jasmineiros
pelo caminho e na estrada até o deserto

como me doeu lembrar guadalajara
o mexico querido de meus herois campesinos
Villa e seu cavalo ainda galpa pelas fronteiras do norte
sorriso de leite e madrugada de tequilla
tudo agora me faz recordar aquele mês no mexico
a terra onde podia andar desapercebido
os lugares e os sorrisos
as mulheres que me encantara se sequer saber ao certo
se era apenas uma apenas ou então o recorte de todas

sim eu chorei ali naquela manhã de terça
ao sair do taxi e entrar com as bagagens naquele aeroporto
ao sentir o avião decolar e aos poucos ir sumindo aquela paisagem
chorei ao deixar o mexico
ms ali tambem eu metade minha
a parcela louca de meus sonhos
verde,branco e vermelho
deixei-me ali e chorei ao prometer uma voltar para me buscar

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Foto-jornalismo

Hoje revirando recortes e fotos

jornais velhos,velhos demais

repletos de noticias recentes

e fotos que se amarelam em nossa alma

dei de cara co aquela foto de todos ali no patio

e voce ainda era loira

havia me esquecido de que um dia foi loira

e isso foi um turbilhão

como se voltando apartir de um objeto

um recorte paralizado do tempo

eu pudesse rete-la entre meus braços

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A breve historia do pirata mais estanho da espanha quando ja estava descrente dos seu coração repleto de historinhas tristes e frageis demais

Não sei mais o que fazer
tenho medo de tudo agora
e pensar que ate outro dia eu poderia ser forte e maior
como num sonho bobo onde se voa ao tentar pular
era eu ali diante de sua boca
e seus olhos gigantes se fechando doceis demais
como num vento louco e infantil
feito lembrança de tempo de escola
por favor amor me rouba
rouba logo um beijo
ou me deixa leva-la comigo ate amanhecer

Me escuta moça eu sei muito pouco
e se o tempo passando tudo se apagar
e num restar sequer uma lembrança do fogo
que juntos queimamos um na alma do outro viu

E eu não mais o que fazer
me rouba ou deixa logo que eu roube
quero leva-la comigo por desertos e mares
brincar de ser pirata e faze-la de donzela
e se o tempo passar apagando tudo
meu deus como eu temo
que num reste sequer lembranças daquele jogo
que livres um do outro jogamos bem jutinhos

me colhe a etiqueta e desdecore meu sobrenome
me faça teu sonho e me chame de todos os nomes

Ah...como eu tentei por outras
e se ja cansado ao encontra-la ali onde ja via muito
e por ser tanto descri
e pela a descrença e não querer
eu acabei querendo com nunca quis

(por favor um beijinho)
continua...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Minha fantastica aventura com as maçãs

Não me importo com deus ou sesu seguidores
mesmo porque não acredito em nada alem de mim mesmo
e em toda a humanidade
e em toda alegria e prazer carnal
pouco me importa ir ao céu ou alcançar o paraiso
eu quero em essencia alcançar o nada
para depois não figurar entre as vergonhas desse tempo

quero um cigarro agora
e eu tambem quero uma dose de rum

essa é a minha fantastica aventura com as maçãs celestiais
pulando fogos e tiroteios
eu chegarei antes daquele wester acabar
e farei festa no saloon
para as moças e todas as escarradeiras pobres

eu só não quero alcançar a gloria
de ser lembrado junto as vergonhas desse tempo
meu amor
todo o amor cantando em meu peito
deslizando por minha alma ja inexistente
enquanto tomo meu suco de laranja

espero que a bailarina fique melhor
espero que a bailarina fique melhor
espero que a bailarina fique melhor

todos os dias eu quero acordar
todos os dias eu quero me sentir maior

espero que a bailarina fique melhor
espero que a bailarina fique melhor
espero que a bailarina fique melhor

e todos os meus amgos vão comigo dentro de meu nariz
para a maior festa dos excessos
dentro do castelo das artes
onde vou qual um sacerto
na busca eterna pela perfeição

espero que a bailarina fique melhor
espero que a bailarina fique melhor
espero que a bailarina fique melhor

assobio

dois dedos aberta a janela
e o vento me acorda com frio
e o sonho que era ela
passou a ser insone e sombrio
o acalanto com carinho do anil
despertou-me nublado em serração
beijos tão claros sorrindo doce visão
agora são toques invernais e assobios.

Querida, adormeça-me depressa
quero retomar a longinqua alegria
que aos poucos já esqueço às avessas
do gelido despertar do dia
minha boca em teus cabelos vertia
suspiros, langor contentamento
se meu sonho não habitar meu pensamento
farei do frio cálida poesia!

CARTINHA

MAIS CEDO OU MAIS TARDE TUDO FICA NO SEU DEVIDO LUGAR
E COM PLUTÃO SAINDO DESSA CASA,
QUEM SABE SATURNO PONHA EM ORDEM TODO ESSE INFERNO ASTRAL,
MAS ISSO,
ISSO ERA SÓ PARA PARECER UMA CANÇÃO,
VOU FAZER TUDO QUE EU DISSE E AINDA UM POUCO MAIS,
NÃO DE PROPOSITO,
MAS POR TRADIÇÃO MESMO,
SIM MAIS CEDO OU MAIS TARDE TUDO VAI DAR CERTO
E O DESENCANTO ENCONTRA SEU LUGAR BEM PERTINHO DA MINHA VIDA,
QUANTO A FORMALIDAD,
DEIXE ESTAR,
DESCULPE MESMO.
FAREI O QUE FIZ AO 5/10 BEBEREI EM SUA HOMENAGEM,
E QUANDO ESTIVER BEM CHATO MESMO
LA PARA O FINALZINHO,
VOU TENTAR PENSAR QUE VC ESTA LÁ CONOSCO,
MAS PRINCIPLAMENTE QUE VC ESTA LÁ COMIGO,
NA MIA MENTE PELO MENOS SER FELIZ
NÃO PARECE TÃO IMPOSSIVEL

vós sereis perpetuos

se eu não tiver vida a ser vivida
vós sereis perpetuos
e enquanto não estou por perto
estareis junto à distância sofrida
sempre que lhe chamo e não escuto
sei que dizeis mais do que espero
pois tudo que se ouve e é mudo
ou não tem sentido sincero
em vós terá a vera esperança

se eu tiver a morte ao meu aguardo
trazei-me a chave do silencio
e enquanto aos poucos já não penso
já sabereis gritar com o amor que ardo
sempre que reclamo de luz ao escuro
sei que iluminais humanamente a existencia
sabereis ficar no lado do muro
em que nossos abraços vencerão com resistencia!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

rogai por vós!

no mais alto dos biblicos edificios,
por que não abraças as nuvens...
o calor seduz envolto em vicios
e são humidos os labios, beijam-nos!
palavras! divagar pelo vento não é libertação
no alto dos edificios e rente ao chão.

do alto dos braços sem virtude
necessario se faz que a vida mude

O rosto corado, o orvalho da madrugada
sopra cruel com as mãos em nosso pescoço
o sorriso morno e calmo, é praia isolada
abraçai o mal, o tesouro sujo de um coração moço:
vês a frieza e o alivio tão mediocre e feliz
uma caricia falsa, de quem, não amou, nada quis.
elegia da vida enganada, um irmão companheiro
testemunha das nuvens de miseria, ganhai dinheiro!

do alto dos braços sem virtude
necessario se faz que a vida mude.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

pés ao ar

As folhas secas estão sob os pés

espaços se penduram feito frutos
multidões correm em corredores brutos

pisam nos ombros nos lombos
naqueles que caíram aos tombos

as escadas e o paraiso eterno
estão muito mais alto que o miseravel inferno

junto ao chão folhas homens e mulheres
subirás na vida se quiseres

quiseres gritos aflitos doridos
a revelia de nuvens de mentira vendidos.

os galhos são poucos os pés ao ar
vais cair, e quando cair hão de pisar

sábado, 11 de outubro de 2008

Outro dia

Hoje ainda não é outro dia
as mesmas conversas pelos cantos
o mesmo lirismo barato de quem passa as noites bebendo
as mesmas pessoas de sempre
dentro das mesmas noites de desde então

não ainda não é outro dia
ainda é hoje e pronto
as rosas ainda são rosas
os pedestres ainda transitam pelas faixas
os carros se apressam atendendo as exigencias de seus atrasos e fusos

pois bem entra agora numa sala
na mesma sala de antes de agora
os mesmos papeis dessa vez com outros numeros
mas ainda sim os mesmos papeis
quando der seu turno enfim sairá novamente
sairá para constatar que ainda é o mesmo dia
hoje ainda é o mesmo dia

não dividiram corretamente as parcelas corretas
sequer existe o que corrigir nesse dia
se o corrigissem já não seria mais esse dia
se mutaria em outro dia ou outra coisa
certamente outra coisa que ja conhecemos bem
contudo fiz esse verso
para ti homem ou mulher
homem ou mulher que entra para o trabalho antes do sol
por entre trens lotados
onibus velhos e fetidos demais
para o trabalho
para o mesmo dia de desde sempre

já és mais humano
te fizeram em qualquer outra materia
viajando no tempo e no espaço
dentro da capsula cotidiana e mesma

contudo quando cerra seu turno sais
mas é a mesma noite
e da esquina ali mesmo no ponto onde o onibus para
podes ver o mesmo apartamento simples
o mesmo apartamento com as luzes acesas
então é a mesma rotina de homem ou mulher
casado ou solteiro
repleto de turnos e vicios
luzes acesas alguem ainda não dormiu

mas com certeza chegaras
ligara a Tv ali naquele mesmo canal
rira de alguma noticia
rira mesmo é da desgraça de tua vida
inclusa num mundo sem cobertura jornalistica

toda a vida se repetiu
agora sabe
mas de nada adiantou saber não é mesmo
afinal hoje ou amanhã
ainda não foi ou será outro dia

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Coração

Ele a olha ali sentada em sua frente
enquanto chegam as cervejas eles tomam coragem,
ela quer falar e ele num sabe ao certo
como reagir ao que irá ouvir.

ela diz um monte de coisas confusas,e ele não entende nada
entende apenas a intenção e abaixa a cabeça,
faca numa mão,copo na outra toma um gole de cerveja
e enfia a faca em seu proprio peito,
sangra,sangra,sangra,
a moça esta estarrecida com tal ato
enquando o coração salta de seu peito,pela incisão até o prato.

Ele começa por dizer então que esse era,o presente dela,
ela não entende nada ainda,então ele diz:

Sim eu sei que esta tudo acabado,
exatamente por isso ele é seu,
no começo vai ser dificil e doloroso demais,
no começo vou comparar todas com voce,
e vou tratar todas com desafeto e pouca atenção,
exatamente por isso,fica com ele por algum tempo,
pois por algum tempo eu não vou usa-lo,
ele vai apenas pulsar e lembrar de voce.

O coração pulsando no prato pula para a mesa apenas,
vai na direção dela parece reconhece-la,
como o sacerdote,o templo maior de seu culto.

Ela sai da mesa e o coração vai junto feito cãozinho,
não poderia ser diferente disso,
não poderia ser melhor que isso no final.

E ele apenas acena para ela
como para chama-la afim de uma ultima maxima,
ela vira-se e ele diz:

Me devolve do final de tudo,
pois eu sei que no final até voce vai entender,
mas hoje eu sei que é melhor ficar assim,
então toma cuida dele,
já que por algum tempo,
enquanto estiver com outras ele estará contigo mesmo,
nada melhor que leva-lo consigo.

e no final ela sai do bar
ele sorri e toma um gole
chora ao ve-la cruzar a rua e dobrar a esquina
bem longe,bem longe mesmo,
ele ainda sente o seu coração.
Enquanto a vida cruza a rua e segue
o sol vai desaparecendo no cinza,
cinza,cinza,cinza,
até ser apenas noite,
noite por um bom tempo...

Scott

Tanto faz não é mesmo
afinal não sendo como um de nós
ja é pelo menos feliz
ou pensa ser e sabemos
pensar é pelo menos alguma coisa
Tanto faz mesmo
quero correr como um louco
pelas estradas e avenidas
com uma garrafa do lado
e uma arma no porta-luvas
Quero me meter em brigas
até não poder sair delas
e depois se nada foi como quis
foi pelo menos agitado
Voce me olha e recrimina
gosto de rir do jeito como me olham
gosto do desagrado
que causo nos corações
e pensar que toda a vida
toda a vida eu cansei de tentar
e nunca me amaram
nunca me aceitaram
Agora eu sei bem
sei o tanto que interessa
e se nessa roda eu sobrar
eu desfaço a ciranda
com toda a raiva do mundo
toda a raiva que recebi de presente
e que as vezes gosto de disparar
Eu tenho um coração sem sentimentos
tenho uma vida cheia de nós
matei minha esperança
com doses de vaidade
e toda noite costumo rodar por ai
até encontrar alguem indesejado
por favor me odeie
quero que sinta algo por mim
quero que sinta de qualquer maneira
e tanto faz não é mesmo
se for diferente de nós dois
pelo menos será alguem feliz

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Subcomandante

Tão engraçado como tudo aconteceu não é mesmo
esses caras gostam mesmo de provocar
mas se eu estiver do seu lado e segurar sua mão
eu sei que podemos superar com facilidade

eu pareço o Subcomandante Marcos
eu não acho isso mas voce disse e eu acredito
esses caras gostam mesmo de provocar
mas se eu estiver ao seu lado e segurar sua mão
podemos pular tão alto quanto nos seus sonhos de infancia
pois voce parece Olga Benario
e eu pareço o Subcomandante

basta um beijo dentro da noite
e então seria engraçado ver como seria vivermos juntos
mas isso é outro dos meus sonhos
e eu assim como o subcomandante sonho demais
talvez essa seja a linha que nos aproxima
mas voce parece Olga Benario
parece Clarisse Linspector
parece Amy
e outras tantas que desde de voce
povoam meus sentidos

pegue na minha mão e olhe nos meus olhos
segure minha mão e sente no meu colo
me beije essa noite
me deseje com fome e sede
peque comigo nessa vida
pois eu sei agora que é com voce que eu quero fugir para o Mexico

eu pareço o Subcomandante e voce a Olga Benerio
voce tem olhos de céu e sorriso de sol
e tudo que de mais lindo vejo
faz referencia a voce
e não é saudade apenas é um sentimento lindo
tenho um jardim e guardo uma rosa para voce

em todas horas eu semeei esse verso
e colhi exatamente a petala que guardo e cuido
para quando voce voltar

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Carta do Henfil


Acordei dia 23 com a Sônia me dando um abração alegre, me cumprimentando pela anistia. Sabe o que o poté aqui fez? Ficou duro e resmungando: que anistia o quê? Que anistia poxa? Depois me arrependi, mas era tarde e já tinha cortado o barato dela.Mas não é gozado? Apesar de a gente ter conseguido uma anistia quase total, apesar do Betinho agora poder voltar, não dá para ficar feliz.Que foguetes poderemos soltar sem magoar os trezentos que, além de terem sido torturados feito cobaias, continuarão presos ou exilados? Cheguei a pensar na gente fazer a festa da volta do mano bem longe, talvez em Ribeirão das Neves. Mas, que diabo, será que vamos ter que comemorar escondido feito ladrão em festa de partilha?Por outro lado, poxa, a gente conquistou uma vitória que parecia utopia nem seis meses atrás. Temos que valorizar , é preciso valorizar para animar o crioléu. A gente finge que não gostou pra não acomodar, mas, na realidade, nós ganhamos, sim!Falo em acomodar porque, se antes animava muito lutar por 10 mil, d'agora pra frente será só por uns mixas trezentos. Viu o Petrônio na TV com as mãos desdenhando: "Só ficaram alguns nenhuns…"É este o meu medo. E já tenho a solução. É simples. O DOPS, SNI, DOI-CODI não continuam aí? Vamos encher as cadeias, tudo de novo! Que cada um comece imediatamente a fazer por onde ser preso. Aí teremos um número imenso de presos políticos para motivar a luta pela anistia TOTAL.Para ser preso? É fácil. Basta manter a dignidade por meia hora. Dependendo do cargo que ocupe, 5 minutos de dignidade continuam dando prisão perpétua.Olhaí 50 presos políticos! Guentaí que já serão 20 mil, 30 mil. Vocês não estão sozinhos.Primeirão.
A bênção do seu doril,
Henfil

Poetica sincera

Deus é um cara calado pra caramba
nunca ouvi ele falar nada
isso é talvez até ande falando esses tempos
mas ultimanente não tenho puxado assunto com ele
engraçado mesmo é o irmão dele e o filho
engraçado mesmo é ele tão ter esposa
engraçado mesmo é ele não ter rosto
engraçado mesmo é ele não existir
e todo mundo botar uma fé danada que ele existe
mas o mais engraçado mesmo é que eu sei que ele não existe tou escrevendo sobre ele
e disperdiçando meu vocabulario e dedos
que poderiam ser usados para compos algum verso de amor
algum verso de amor para um linda moça que
essa sim existe e como existe...

Teorizando

Como eu fiquei sabendo de tudo isso eu não sei
talvez nem saiba só suponha ou palpite
mas no fundo eu sinto que sei
e sentir que sabe não é saber realmente
ou seria saber de uma forma provavel e incerta
saber assim é apenas supor portanto eu sei
mas sei apenas supor

domingo, 5 de outubro de 2008

Apenas detalhes

O chão está coberto
de manchas escuras
infinitas manhãs cobrem o asfalto
rasas de perto.
amoras cobrem as ranhuras
de medo dos passos
e a rua, marcada cítrica
da fruta, passante e empírica
vencida de embaraços
são apenas detalhes.

Alguém adormecido na derrota
agora certamente desbota
de suas proprias cores
tristes de esquinas insurretas
ou de buracos sarjetas inquietas,
alvo de assubios, de amigos e pudores.
Esquecei de tudo! a chuva de ramas despertas
lavará as manchas, levará os amores
o vencido será retirado... talvez.... um milagre
ou enquanto o vinho se torna vinagre
sangrarão os braços...e alguem recorde sem dores
mas são apenas detalhes

em direção a...

Os pisos de mármore ou de nuvens de sussurros
se assemelham, quando passas em vagas, ao andar;
e ao falar palavras sem minutos de seu caminhar
cristalizam-se lágrimas na bela sombra dos muros

As mãos correm pelo vento e pela imagem
dos prados que renascem sob o asfalto sem poros
e sobre o céu dos horizontes alvos, rememoro
em tênues margens doces fissuras em passagem.

pássaros buscam sementes de suavidade sensual
no fulgor de seu lábios. Nos sons de teus pés descalsos
busco o futuro de minha alma, um destino não mais falso.
Tomam-me a imaginação a esperança sutil e fervente do real.

Conflito entre o amor e a boemia

Sera que seus olhos tem lugar para meu espirito
é possivel ver com outros olhos o que o sentido cega

Talvez fosse melhor passar adiante
que domingo é dia de missa
e a de tardinha tem sempre chops la na mariana
samba ruim e gente feia
mas tudo bem são meus amigos
e pelo menos a cerveja é boa e de graça

eu amo uma garota e ela mora tão longe
uma garota me ama e mora no bairro vizinho
a vida é mesmo engraçada
e eu me sinto tão distante agora
quase posso me ferir sem medo ou dor

mas amanhã tem o julio e o marcos
moram juntos mas num rola nada serio
tem sempre aquelas festas absurdas de segunda
tem sempre aquelas meninas dadas demais pro meu gosto
mas mesmo assim eu gosto e como eu gosto...

Seria provavel uma fuga agora
ou uma prisão de afeto e sentimentos puors e nada inocentes
eu quero sujar o altar e praguejar contra a moral
blasfemar e transgredir tudo
para mostrar que sou poeta e que estou feliz
feliz exatamente por estar apaixonado por voce

venha comigo na chuva
me dê a mão agora vamos atravessar juntinhos
nessa vida eu sei agora
que desde voce só voce é capaz de me alegrar
nessa vida eu sei agora
é com voce que eu quero ser preso
é com voce que eu quero insultar o senso comum
e inflamar os corolas

mas se na terça não der apareço la pela sexta pode ser
mas é que tambem sexta não rola
tem sempre aquilo de beber na faculdade e gritar discursos
mas eu prometo que apareço ainda essa semana
levo aquele rum e aqueles charutos
prometo que levo o Alex e algumas amiguinhas

Espera por mim sim
que ja esperei por voce até hoje
mas num espera sozinha vê alguem enquanto eu chego
alguem parecido comigo
que é para a saudade ser maior

substancia ilicita

Lua de egoismo e poeira de estrelas
vamos para a festa mais absurda dessa noite
se cairmos eu seguro a barra com alguma grana
mas se voce precisa de uma noite incrivel e absurda
eu tenho uma coisinha para alegrar e transcender

no banheiro as coisas estão acontecendo agora
se voce teve um dia horrivel e pesado demais
por favor me deixe leva-la comigo
vamos para a festa mais absurda dessa noite
e lá brincaremos com a poeria estranha

se cairmos eu seguro a barra com alguma grana
mas se nos pararem no caminho não polpe esforços em esconder
eu tenho um pouco aqui comigo vamos ali para melhorar
mas não se preocupe chegando la
os caras sempre tem um pouco mais

uma coisinha para transcender essa noite
alguns condenam demais sem saber como é bom
outros criticam apenas em publico
eu tenho um pouco aqui e vamos la
acho que o banheiro seria o melhor lugar
fileiras feitas na pia depois de tudo é hora de lamber cartões

brincaremos a noite inteira e por favor me avise quando acabar
brincaremos essa noite e quando estiver afim de mais
por favor me chame no banheiro

se voce teve aquela semaninha ruim
por favor não faça cena
venha comigo para a festinha mais absurda da cidade essa noite
no começo voce fica confusa mas depois ficará eletrica
e se no outro dia ficar para baixo
é só me chamar e eu certamente terei um pouco para voce

lua de egoismo e poeria confusa
hora de limpar a pia depois damos um jeitinho nos cartões
claros e apagados
flashes e batidas
agora parece melhor não é mesmo
agora parece melhor não é mesmo
então o que voce precisava era o mesmo que eu
um pouquinho disso
duas ou tres gramas e ah...

Ps:não esqueça de verificar se deixou pistas no nariz
faz parte de mim e agora de voce
e se amanhã pela manhã fcar para baixo
não se preocupe
me ligue
eu terei um pouco para anima-la novamente

Esqueço de mim

Não consigo lembrar de mim
enquanto ando meus sonhos se esfarelam aos meus pés
tenho um nome e um referencial
tenho uma cidade e uma nacionalidade

só o que lembro é que faz bem esquecer as vezes
e as vezes é quase sempre

tenho um amor e algumas paixões
eu tenho medos e nojos
sou um soldado caindo pela minha propria arma
sou o filho que eu rejeitaria

Não consigo lembrar-me
me reinvento todo dia
e me esqueço o que fiz ou destrui
é sempre uma noite a mais
e eu esqueço sempre da noite que passou
eu só sei desejar o futuro
eu só sei temer o que esqueço

sou meu pai
e minha casa
e isso já é o bastante para alguem

o bastante mesmo para lembrar as vezes
por isso esqueço as vezes
e quase sempre me vejo sem saber o que sou realmente

Eu volto

Ando preocupado demais esses dias
voce pode chegar a essa conclusão facilmente
mãos nos bolsos
olhar perdido no céu
as vezes cabisbaixo

sem alcool a uma semana
sem nada que fazia tão bem e me levava a vida

sem mentiras
ou desculpas aceitaveis só para mim
amigos vem me ver agora
estou começando a acreditar de novo numa chance

Talvez eu viaje nessas ferias
a tardinha converso com meu pai ou meu tio
costumo andar sozinho e chorar escondido
costumo olhar as estrelas e pensar num lugar feliz

mas no final eu sei vai dar certo
eu quero conseguir acreditar novamente nisso
eu quero me olhar no espelho um dia
e não me lamentar pelo que fiz comigo na noite passada

eu consigo um dia
e eu sei que posso conseguir um dia

no final eu vou acreditar novamente em mim
e nos sonhos que eu desisti de sonhar um dia
eu só preciso desses dias
e se não for o necessario eu quero mais um tempo

um dia eu volto para mim mesmo
mas hoje eu quero dar uma volta a noite
olhar as estrelas
tentar lembrar quando apenas sonhar já era motivo de alegria

a tardinha conversei com meu pai
e depois fui na casa do Wagner
eu pude ver neles a lembrança
de quando meus olhos não eram perdidos como esses tempos

Reamor

As horas passam e estou tão pesado e leve ao mesmo tempo
la fora não sei se ainda é noite ou veio o dia
todas as garotas passeando com seus namorados
todas as familias tomando seu café
estou tão calma pelo efeito do que isso causa
e é tão bom e tão nocivo
confortavel demais estendido numa cama de flores e texturas
perfumes e duvidas eu posso pular e alcançar o campo
voar e voar mas e dai isso passa e eu tenho um pouco mais
adoraria aproveitar e me esquecer
ficar aqui e não sair
mas então é tudo tão pequeno e humano demais
eu poderia tomar o lugar de deus tenho certeza
me deixem sair agora mas ainda não passou
e mesmo se eu saisse agora
ainda sim eu estaria por aqui
dentro de mim é o melhor lugar que visitei
dentro de mim é meu lugar predileto
E mesmo que eu saisse agora ainda sim eu estaria aqui
e eu nunca gostei tanto de me guardar
todo o amor que o mundo não conhece
é todo o amor que me dou todas noites
sim voce poderia me amar
mas eu seria incapaz de reama-la

Essa noite vou esquecer seu nome de uma vez

Parece incrivel eu ja quis ser melhor
pode rir se quiser eu não me importarei
tenho algum tempo antes de ir para casa
posso dar voltas e voltas
até realmente chegar onde eu desejo

chutar uma lata pelo caminho
arrumar a jaqueta para afastar o frio
como seria bom abraça-la agora
como seria bom poder leva-la até sua casa
ouvir seu sorriso e contar o dia

eu nunca saberei como seria ter isso
coisas como conhecer sua estrela no céu
coisas como passear no domingo pela tarde
eu nunca saberei realmente como seria ter isso

Parece uma piada não é mesmo
pode rir se quiser eu não me importarei
tenho algum tempo antes de pegar o onibus
então pode dar todas as voltas necesarias
até realmente chegar onde desejar ficar

costumo gastar muito tempo com a dor
parece terrivel para quem vê
e é ainda pior para quem sente sabia
não eu não sou um anjo me martizirando
e talvez essa culpa seja medo de amar
mas eu queria tanto poder olhar nos seus olhos
olhar nos seus para enfim lembra-los pela eternidade

eu não tenho mais sonhos
e é ate aceitavel não sonhar quando não se dorme
pareço triste demais e não apenas pareço
talvez passe na proxima vida
e eu tenho a ligeira certeza não existe proxima vez

onde esta voce agora
onde esta voce agora
e eu sou aquele anjo tolo que voa e voa
eu não sei mais como chorar
e não eu não sei mais como dizer tudo
o vocabulario da dor me cansou a alma

adeus amor quando nunca nos vimos por completo
só eu sei a face real do que senti
somente eu fui realmente liberto do que é pequeno
e adeus voce me fez amar e o amor me libertou de voce

essa noite eu esqueci seu nome...

Aviso!

Quando estou voltando para casa todos os dias
costumo lembrar das nossas conversas

quando estou voltando para casa
costumo rezar para bater num poste antes de chorar

tenho vergonha de mim mesmo
com eu consegui perder aguem que me completa
como alguem pode escolher ser apenas metade

é estranho quando o sol nasce lembro do seu sorriso besta
sempre tenho a impressão de ouvir aquela nossa musica
não sou o melhor sujeito eu sei
não estou entre aqueles que ressucitarão quando o dia chegar
eu sequer acredito que esse dia chegue

quando abro a porta sempre espero por algum sinal seu
sem cartas ou noticias me contento
em pensar que esta sozinha tambem
mas sei que não estará
mesmo eu não estou
engraçado não é mesmo
nunca foi para ser assim
o trato era seguir e continuar

Quando estou voltando para casa todos os dias
costumo lembrar das nossas conversas ...

Cortejo Sikh

Talvez algum dia encontrem o que eu tanto procurei
quem sabe em seus olhos outro encontre o que eu busquei
as noites passam desse lado do globo enquanto o vento sopra

Posso ouvir os anjos num cortejo funebre e satirico
todos estão no estabulo esperando por meu corpo

Posso ouvir meus melhores amigos me chamando para junto deles
e a traição de outros tempos manchou minha sombra

eu só queria ouvir aquela voz novamente
tudo que posso ouvir agora são esses gritos de furia dentro de mim
ninguem reparou como meu rosto foi desfazendo-se esses dias
e eu ainda estou esperando por alguem


Talvez algum dia encontrem o que eu tanto procurei
quem sabe em seus olhos outro encontre o que eu busquei
as noites passam desse lado do globo enquanto o vento sopra

Posso ouvir meus melhores amigos me chamando para junto deles
e a traição de outros tempos manchou minha sombra

A canção de amor que o diabo compôs

Sera que voce vai me amar depois que eu contar tudo?
Preciso entrar naquela sala novamente
olhar todas as estrelas no teto daquele quarto escuro
contar todos os detalhes daquela noite
não sei se ainda a amo como deveria amar
estou confuso demais dentro da noite

as horas passaram rapidas entre nossos dedos
diante de nossos olhos a vida escapou chorando de tristeza
quantos amores eu fingi dentro de nosso amor
sim agora eu sei que voce não vai me amar

voce seria capaz de me amar depois de tudo que eu fiz?

Pareço forte e doce agora
voce talvez fosse capaz de me salvar disso tudo essa noite
mas não sei se ainda seria capaz de me amar depois de tudo
por favor me perdoe pelo que fiz esses dias
por favor me perdoe pelo tempo que vomitei para fora
pare o carro na proxima esquina e me deixe viver essa mentira
quero pular pela janela do carro e escapar do meu corpo agora!

Será que voce seria capaz de me amar depois que eu contar tudo?
talvez eu fiquei na proxima esquina
adoraria fazer carinho no seu espirito branco e saudavel
quem sabe eu fosse digno de salvação se voce ainda me amasse
adoraria beijar sua voz feminina e calma
beijar com paciencia e tempo indeterminado

sim eu sei que nunca me salvaria
preciso cair de uma moto
preciso dar com a cara no poste

Será que voce ainda me amaria depois que eu partisse
tenho quase certeza que não

Me faça feliz por algum tempo e depois me deixe naquele bar
sim eu preciso de um pouco de sorriso no meu coração

afinal eu não vou para o paraiso depois disso tudo
afinal inventei um pecado só meu

Sim eu sei muito bem que nunca me amará como a amei
dentro da noite atravesso aquela porta
e a lua ainda esta distante demais para meu ego alcança-la
voce vai contar sobre nos dois para seus netos
gostaria de saber se daqui a 60 anos voce ainda vai lembrar de mim
talvez no paraiso fossemos mais felizes juntos
mas é uma pena ter quase certeza que estou a caminho do inferno

Chorando como uma garotinha

Essa noite sonhei que não podiamos nos encontrar
voce havia terminado tudo e se decidido por mim
mas eu ja estava em outra como ja estou
e como se do altar de algum templo a pudesse ver
eu a via envelhecendo sozinha e chorando sozinha
morrendo em cada moemento de solidão
sua dor doi em meu corpo

e quando olho para o alto só posso ver voce
envelhecendo triste em sua solidão
de sua solidão quase posso ler
nos olhos a melancolia entre suas escolhas
que pena sonhar assim não é mesmo
mas hoje eu ouvi aquela musica
que voce diz que te faz lembrar de nós

não existe mais um lugar para ir nessa cidade
todos os bares não me deixam entrar
e estou sangrando pelo nariz dentro do banheiro
acordo muito tarde todos os dias
e não tenho motivo algum para acordar desde sempre

sim eu choro todas as noites no meu quarto
como uma garotinha sem paz eu choro todas as noites
por voce minha pequena eu choro todas as noites

eu sei que nunca vamos ocupar o mesmo teto
eu sei que não vamos aos mesmos lugares
e quando eu pensei em nós dois
essa certamente foi uma das minhas maiores loucuras

Sim essa noite eu sonhei que voce o deixava e vinha comigo
mas já era tarde demais
tarde demais para voce e tarde demais para mim
seguiamos outros trilhos e no final eu era como um santo

bendito pelo milagre do perdão
e no altar eu podia ve-la envelhecer triste e solitaria
se apagando cada dia mais ate morrer de solidão

Talvez eu esteja errado mas no sonho não era eu o santo
e não era voce a pecadora talvez o reverso
certamente o reverso me parece mais provavel
eu nunca fui um bom namorado
eu nunca fui um bom sujeito e olha que pretendia ser
mas sempre havia uma pedra no sapato para alguem
e sempre ou eu era a pedra ou eu era esse alguem

então não sei mais
não sei tanto o quanto eu devia saber mas estou triste
triste por ter sonhado algo assim sobre nossa vida

Como ficar louco

Parecemos um multidão de cegos guiados por ignorantes
todas as ruas até a proxima esquina
festas cheias de vicios e vaidades demais
Sem amor ou qualquer paixão humana
é necesario o que mais
desumanizar o que se desumanizou
ler bulas de soniferos e cair pela rua
dormir e esperar que o sonho seja melhor que essa ilusão

eu cansei de tanto navegar e me apagar por ai
talvez se fosse na semana passada
quem sabe se fosse com outro cara
mas foi justamente entre nós
é uma pena amor mas o amor ja passou

a mentira de nossas vidas devastou o meu espirito
quando eu pensava que seriamos nobreza em palacio de prazeres
veio o tempo das tristezas
em aliança com as brigas e confusões
numa piscina de feridas eu me afoguei com seu retrato
promessas de amor
mentiras de amor
tudo que voce me disse agora eu sei
era só me treinar para essa dor
para a dor de não saber mais o que fazer sem voce

Até o outro mês eramos tão proximos e intimos
agora eu já nem sei que horas são ou em que predio voce trabalha
ando pelo centro e entre prostitutas,alcoolatras e mendigos
nada faz sentido agora e sei bem mais de mim do que antes
sei o bastante para dizer que nunca fez sentido algum
quando chego em casa e algum amigo liga eu não atendo eu não respondo
sei que ainda lembro daquilo que conversamos
daquela vez que chovia e voce teve sair correndo para não se atrasar

porque voce aparece tanto dentro de mim e nos meus habitos
se tanto tempo ja passou e ja esqueci ate seu rosto
eu ainda lembro seu sorriso
ainda lembro seus passos abafados pelas meias coloridas
pela sala ou na varanda enquando o domingo seguia e a gente só tomava um cafezinho

parcemos cegos agora
crianças cegas e tolas demais
guiadas por ignorantes barulhentos
nossa vida é fria como a noite de ventos
retalhando nosso rosto com o passado e os nossos medos
é tão triste não é mesmo
mas foi a nossa escolha minha pequena

A igreja de mim mesmo

Primeira parte

Ando preocupado demais esses dias
voce pode chegar a essa conclusão facilmente
mãos nos bolsos
olhar perdido no céu
as vezes cabisbaixo

sem alcool a uma semana
sem nada que fazia tão bem e me levava a vida

sem mentiras
ou desculpas aceitaveis só para mim
amigos vem me ver agora
estou começando a acreditar de novo numa chance

Talvez eu viaje nessas ferias
a tardinha converso com meu pai ou meu tio
costumo andar sozinho e chorar escondido
costumo olhar as estrelas e pensar num lugar feliz

mas no final eu sei vai dar certo
eu quero conseguir acreditar novamente nisso
eu quero me olhar no espelho um dia
e não me lamentar pelo que fiz comigo na noite passada

eu consigo um dia
e eu sei que posso conseguir um dia

no final eu vou acreditar novamente em mim
e nos sonhos que eu desisti de sonhar um dia
eu só preciso desses dias
e se não for o necessario eu quero mais um tempo

Segunda parte

um dia eu volto para mim mesmo
mas hoje eu quero dar uma volta a noite
olhar as estrelas
tentar lembrar quando apenas sonhar já era motivo de alegria

a tardinha conversei com meu pai
e depois fui na casa do Wagner
eu pude ver neles a lembrança
de quando meus olhos não eram perdidos como esses tempos


Não tenho lider nem herois
apenas o que é humano demais
e não choro quando erro
e nem choro quando acordo
tenho alguns amigos legais demais
tenho outros amigos que tambem são bem bacaninhas

dia e noite eu penso sempre
que se a vida é isso mesmo
então valeu pelo menos ter buscado

sem deuses ou gurus
meus passos parecem livres e serenos
uma crença que não me cansa
e não me faz pior ou cego
eu posso até amar sem que amar seja pecado

e se eu sou outro
ainda existe em mim um batalhão de outros eus

um cigarro para acalmar
outro tipo de cigarro para acalmar ainda mais
sem culto a virtude
meu dom é apenas seguir e pensar
como se eu fosse meu mestre
nos meus sonhos eu me ensino
tudo que meu universo mais precisa

todas as manhãs eu pratico
aquilo que me convem
e se querem saber
eu ainda lembro de quando eu era como voces

tenho ainda algum tempo e se nada funcionar
é porque eu não olhei direito
a culpa dos meus sonhos é minha
e culpa não é crime ou pecado

sem medo de ter medo
eu posso enfim ser a criança sem problemas
marchando e cantam seus prorpios hinos de guerra
sou do meu exercito e o uniforme é a esperança boba
de que uma manhã acordarei de outra maneira
mas ainda sim serei eu
só que de outra maneira

Terceira Parte

Deixar de existir agora...
Sem vaidades ou anestesia
me anular para alcançar a transcendencia
pouco me importar com perfumarias ou pequenices
sequer ser eu mesmo
apenas não ser e quando o universo me abraçar

estrelas de açucar me beijam
minhas mãos fazem amor com o vazio
meus olhos vitimas de minha dor
acusam com medo
o que parece perigo
mas é apenas o novo chegando
para me anular e tornar tudo vazio demais
eu quero me deixar ago...

Retalhos de algodão por entre os cabelos
seios de maçã e neve
todo o amor que é dor
toda a paixão que é anestesica
sem vaidades ou pregos
me desligar do tudo e ser o todo

12 passos até o lar do todo
chegar onde as estrelas fazem sombra
beijar a alma divina no sacrario do nada
12 passos e não estou mais aqui nesse instante

o melhor lugar sem ego ou dor
onde a busca se encerra onde as mãos entoam canções maravilhosas

12 passos e eu sei que posso cantar a mais linda canção
onde eu não existo e nada existe
ali o todo é o bastante para mim
sem ego ou vaidade
quero me desprender e deixar de existir
a liberdade é apenas não ser mais

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Junkie

Ando pensando em tudo que não importa mais
talvez eu ponha a casa em ordem e mande tudo que me faz querer mudar pra fora
nunca serei completo se eu for seu
nunca serei o melhor de mim se eu mudar e for outro
pulei da janela no meio da festa caindo de cabeça na piscina nada me aconteceu
pareço melhor agora com algumas noites a menos
pereço melhor agora que sei o quanto posso me esfolar
todas as noites por ai
todas as noites eternas até as oito da manhã para me enganar
o sol de sabado me faz querer ser cego
as tardes de domingo me fazem querer passar a navalha no pescoço
Todos os dias eu saio dentro da noite
eu poderia sair hoje e ver os fogos anunciarem o que chegou
eu poderia sair essa noite com aquela galera e subir até a lua para ver as ondas
descer com meu carro até as marés mais revoltas e conquistar um final alternativo
gosto de me fazer rir com as tragedias gregas e cotidianas
pedaços de angustia e traços de jazz nas horas
tudo esta tão macio e azul
quase posso alcança-la cm minha barba de fidalgo
quase posso rouba-la com meus aneis de pirata e rabino
eu não sei mais nada
o melhor seria ficar um pouco mais alto essa noite e acender aquele cigarro
para colaborar com a nevoa
Vamos sair esa noite e então estou jogando tudo que sou pelo abismo
minha alma eu vendi a algum tempo
tudoque sou eu jogo pelo abismo e pornto
essa noite poderiamos sair
engraçado demais não é mesmo sair por ai e ficar louco sempre
estou indo embora dessa Terra então voce tem algum tempo para conquistar meu coração
portanto entre aqui na sala vamos tomar uma vodka
e dançar essa noite até pelo menos eu esquecer quem sou e pensar que sou parte do seu corpo

Calmissimo

Voce esperava desculpas quando eu pedi sua atenção novamente
entrei por aquela mesma porta que sai chorando
e dessa vez sorriso no rosto olhos vermelhos
voce ouviu e disse tudo que era necessario
eu não tenho muito dinheiro no bolso para essa noite
mas sei muito bem que no 05 de outubro brindarei em sua homenagem sozinho
naquele café
pensrão ser mais uma de minhas manias absurdas
eu no entanto
eu e voce saberemos
não é uma de minhas estranhas manias estou apenas brindando seu dia
Um dia sai por aquela porta lembra?
Pois hoje entrei pela mesma e então disse tudo e ouvi todo o necessario sobre nós
quando eu disse estar noutra voce disse que logo noivaria
fiquei absurdamente magoado enraivecido
levantei meu nariz abri de maneira dragonica meus olhos e bufei feito um maniaco
tão logo repetiu a noticia sai da sala
louco feito um paquistanês louco absurdamente louco fumei um cigarro
e voltei calmo e esta imagem a imagem de minha calma esconde o pior de mim sempre
sabe a pior imagem que posso fazer
é exatamente quando estou calmo sabia
extremamente calmo como nunca se ve em outro
Tenho meus medos é cert mascalmo supero o medo e apenas o temor me acredita pior que os piores demonos da infancia
Manda dizer para todos que eu ando assim desde aquela conversa e que ando melhor pois me libertei do fardo que era ama-la
amar agora só se for de um amor que me valha amar mesmo

terça-feira, 30 de setembro de 2008

caixa de papelão

Ignoro as letras vou dormir
em uma caixa de papelão.
correr sem choro calado
há sussurro no grito
traidores ao lado
muito facil me irrito
irritante a espera
não aceito perdão
e já era.

Ignoro as contas
vou dormir vestido de verão
no frio.
tremer agarrado ao isopor de televisão
comer as partes do que resta
se ainda encontrar algo que presta
muito facil eu brigo
todos são o perigo
brigo com tudo a vera
não peço perdão
e já era.

não desafio

deixei os meus suspiros no vazio

e os desesperos cheios de certeza

borrados numa folha sobre a mesa

ao lado do retrato de sorriso sombrio




Deixei tantas palavras pelos cantos

e a poeira que em meus olhos arde

lembra que em teus braços nunca é tarde

os motivos belos e sinceros são tantos

deitado no horizonte já passado

o beijo certo divagava errado

mas teu amor não desafio

e a canção que cantava sozinho

recorda a tua voz doce espinho

não quero dor então me distancio

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Apequenado

Voce precisa acordar todos os dias e me pagar um drink
gosto de rir das nossas conversinhas sem interesse algum
mas enfim voce precisa acordar todos os dias
e ter alguem que diga o que eu digo agora ate voce perceber:

Voce é linda tão linda de uma maneira que so voce pode ver...

Me pague um drink ou me dê um cigarro
todos os dias antes de ir ao trabalho voce acorda triste eu sei
todas as duvidas que existem no universo da sua vida
os medos de terminar no fim da noite sozinha sem amigos ou um amor

voce precisa acordar todos os dias e ouvir que é linda
e eu sei que todos os caras diriam isso para voce sem esforço algum
mas voce não é linda apenas eu sei muito bem
naquela noite na festa eu descobri isso e posso não saber tudo
posso não saber tudo como eu sei sempre sobre todas
mas sei de uma maneira sincera e pura
inocente e clara como uma criança dentro de seus olhos

voce é linda tão linda de uma maneira que só voce pode ver...

Sou um cara pequeno e cheio de livros e poemas
todos me pintam como algo inexato e epleto de interrogações
mas eu sei muito bem que naquela noite na festa...

Voce precisa acordar todos os dias e antes de ir ao tralbalho
ou chegar na universidade ouvir pelo menos uma centena de vezes
a importancia de seu sorriso num mundo feio como o medo
pois mais cedo ou mais tarde
eu não quero voltar sozinho como naquela festa
eu não quero sair com a cara cheia de tudo como todas as noites

sim eu tenho os mesmos medos que voce
sim eu sou um cara pequeno
menor que voce e isso não importa muito
pois afinal tudo que eu sei é que voce precisa acordar todos os dias
e ouvir como voce é linda tão linda
linda de uma maneira que só voce pode ver

é dificil ver se voce não quer abrir os olhos
as mesmas palavras sempre e novamente
gastando seus ouvidos com tudo aquilo que qualquer cara diria
mas eu sei que naquela noite na festa
se ficasse um pouquinho mais eu descobriria muito mais
e poderia ver a bleza em voce que ate agora só voce pode saber

voce é linda tão linda de uma maneira que só voce pode ver...

12 passos

Hoje eu lembrei de tantas coisas enquanto andava pelo meu antigo bairro
parece mesmo que as coisas vão diminuindo enquanto a gente cresce
e se no fim é tudo tão fragil da ate vontade de proteger
gosto de caminhar pelo passeio enquanto tudo acontece
e lembro das conversas e dos amigos que sempre me ajudaram

Não importa o que digam
sei muito bem o que eu deixei de ver e as coisas que não vivi
não importa agora tudo que cuspitram em minha cara
pois eu tenho alguns amigos e quado nada da certo eu sei para quem devo ligar

os doze passos aqui para os lugares que devo seguir
respirar e mentalizar um bom lugar
palavras que me libertam do passado chato que insiste em visitar algumas vezes
tudo que eu não quis para mim e sei que foi bobagem não querer
não imposta muito agora
pois se tenho amigos é no final de cada dia que converso com eles

tudo que tenho posso levar no meu coração
e pouco importou me importar tanto com todos
se o que sempre foi importante esteve ao meu aldo
agora eu sei tenho alguns amigos
e quando nada da certo sei para quem devo ligar

mentalizo um lugar melhor como ponto de fuga
e se meus gritos atrapalham o coração
eu canto um mantra
eu tento respirar melhor

Hare Rama
Rama Rama
Hare Hare
Rama Hare

Lobo do mar

Tenho muitos amigos e tive muito mais a algum tempo
meu nariz sangra e dói agora
o frio rasga meu rosto dentro da madrugada
como um corsario me embreago com rum enquanto conto historinhas
e pensar que meu peito tem uma cicatriz por dentro
é que o anzol do tempo me impos tal condição
sou um cego pelo exercicio do vicio

Cruzando mares dentro da tempestade
dobrando cabos e naufragando em busca
talvez a vida tenha sido apenas a busca
e sendo apenas busca ao menos busquei

Tenho os pés firmes dentro da noite
sequer um passo durante os dias que passam
velas expostas ao vento me recolho ao convés
ela é linda como uma carranca espanhola
ornando meu galeão estilhaçado de outros portos
ela é linda como a imagem de um oasis
o paraiso seria seu sorriso numa tarde pelo parque

Mãos tremulas como a carne mais instavel
todos sabem de meu estado fragil e tempestivo
dedos caindo pelo caminho de entrigas
a proa é meu trono
e dali eu corro o mundo rasgando as marés

Tenho alguns amigos e tive muitos a algum tempo
sou um maldito entre os rejeitados
cuspindo na hostia santa da moralidade
fiz meu oficio entre os piores dessa epoca
talvez se houvesse uma garota me esperando quando eu voltar
mas não há garota alguma me esperando apenas

tenho uma centena de olhos espiando meus passos
3.000 crianças sedntas por meu sangue
meu nariz coça demais e dói
o frio rasca meu rosto dentro da madrugada violenta e suja
o horizonte é uma extensão de negrume e solidão

Eu sou um velho lobo do mar...

Postumidades

Segui meu caminho por não ter onde ficar
e mesmo assim sempre sentido a dor
de não poder encontrar um lugar meu
hoje eu sei muito bem como começou
e não sinto felicidade ao prever o serei daqui a uma decada

Poetas serão sempre postumos!
A morte nos traz a gloria em troco dos insultos em vida
exatamente por não sentir segui sem destino algum
meu destino parece que é mesmo seguir apenas
seguir somente e seguir novamente
ate que a mort uma noite venha me desposar da casaca
para que enfim meus olhos possam dormir
o sono tranquilo dos que não podem errar mais

Acordo num apartamento vazio
no centro nobre de uma cidade vazia durante o dia
nenhuma das vozes na noite anterior estão aqui
o que resta para enganar a soidão são apenas os vultos da noite passada
eu não tenho mais o que fazer n globo terrestre
acabado o lirismo
encerrada a poesia o que mais um poeta pode fazer senão cair por si

todos os bares e festas e mulheres e o amro que não aconteceu
o amor que sequer aconteceu me martelo todas as noites dentro do peito
toda a vida que poderia ter sido e não foi
o lirismo atoa que gastei com quem não devia
o amor infantil que rompeu meus olhos da inocencia
a maquilagem dadaista para mascarar a dor da existencia absurda

enfim esta tudo acabado e nunca houve um começo ao certo eu sei
segui meu caminho por não ter onde ficar
um porto um oasis ou uma distração
passei pela vida e não me perdi um segundo com o prazer de viver
não encontrei meu lugar
hoje eu sei muito bem como começou
e não sei mais como poderá ser daqui a uma decada ou duas

Poetas!
Poetas serão sempre postumos!

Arq

Para um grande amigo e sua ex, num momento um tanto delicado,onde torço para que tudo de certo.

Gostaria de ouvir sua voz agora
gostaria de ouvir sua voz feliz invadir o espaço de meu escritorio
adoraria ouvir uma daquelas bobagens que costumavamos dizer
uma semana ou duas sem nos conversarmos e ontem enfim voltamos a conversar
eu sei que a feri demais com meu egoismo
eu sei que a feri demais com minha vaidade aparente
eu sei que a feri demais com meu senso de auto-proteção

Gostaria de ouvir sua voz agora sabia
mas sabe como eu gostaria de ouvir sua voz de uma maneira alegre
pois agora que nada aconteceu eu sei que nada vai acontecer
e no final vai continuar o mesmo de sempre mesmo não é?

e ontem conversamos de maneira breve e seca
eu sei o quanto me costou tudo isso ate aqui
pode parecer egoismo querer um tempo para si
mas é o que todos precisam
mas se enfim sou o que continuo sendo
posso agradecer por isso a voce
pois em voce tudo em mim teria que mudar

Gostaria de ouvir sua voz agora
conversarmos sobre tudo que um fez ao outro nesse quase um ano
jogar limpo sem medo de ferir mais do que ja se feriu

e por mais que eu tenha posto o pé na estrada
e conseguido me livrar de tudo que me amarrava
agora queria ouvir sua voz alegre
só um dessa vez apenas como uma amiga sincera
se no amor não conseguimos sinceridade um do outro
esperava ao menos isso na amizade

Gostaria de ouvir sua voz agora sabia
sei que custou muito esse nosso ano
e que tambem a feri variadas vezes
com meu egoismo
com minha vaidade aparente
com meu senso de auto -proteção

domingo, 21 de setembro de 2008

Itinerario noturno

Essa noite pode caber noutras conversas
dobro a esquina e espero no ponto
já estou bebado
e lembro bem que as oito da manhã eu ainda estava bebado
pode ser engraçado contar todas as loucuras quando a loucura passar
mas e se nunca passar
desejo que quando tudo se for eu tambem possa ir

caminho diferente de tudo
horario maluco de quem sabe onde e como conseguir
o que o vicio lamenta a ausencia

Essa noite cabe noutras noites
paredes umidas pela urina corrosiva e fedorenta

mulheres que nunca amaram
e caras com eu que amam demais

sou como um milhão de caras nesse mundo
queria ser um milhão de caras e encontra-la sem o medo de sufoca-la

todas as noite sou o mesmo ator
escalado para uma peça chamada
degradação e loucura

todas as perguntas que os dias apagaram
eu nunca me importei realmente com o que acontecia enquanto eu viajava

tenho essa nite aqui nesse ponto
enquanto espero as 2:00 da manhã que algum amigo me leve para algum lugar
tenho esse ponto para refletir e meia Tequila para ajudar

fumar um cigarro e olhar as estras talvez fosse poetico
mas sou paulistano e minha poesia tem céu fechado e chuvisquento
agora tudo faz algum sentido e alguem diz algo
pronto quem disse que iria ser facil

sou como um milhã de caras no mundo esperando no ponto
e em qual ponto eu deveria esperar
as perguntas voltam como se a muito tivessem saido para passear
essa noite eu só tenho isso e um pouco daquilo
nada que me faça normal
só coisas para me manter aceso e mascarar o cansaço de toda essa vida
que como num ponto foi apenas espera

sábado, 20 de setembro de 2008

Já foi novo

Novo amor?
não existe novo amor
amor é sempre o mesmo
é de repente cruzar a rua entrar na padaria para comprar o pão
o leite
e a paçoquinha de troco
e ver ela ali

Novo amor?
Não existe novo amor
existe apenas o mesmo amor de sempre
o que muda é o ser amado
mesmo quando se trata do mesmo ser sempre
mas não se trata do mesmo ser agora
e nem se trata de novo amor
que amor mesmo ando desconfiando que nem exista

Mas tudo bem
compro meu cigarro acendo a muito custo
leio meu jornal e falo palavrões
penso muito besteiras
engraçadas
tragicas
melosas
nada absolutamente nada
de nada me vale

no fim o que importou para mim nem eu saberei
estudarão meu caso postumamente
e darão o veredictus:
nada absolutamente nada
importou
Cai e fiquei pelo chão dormir ate minha hora chegar
e me acordarem aos chutes
vadiagem
desboquismo
e outras felinidades proprias de quem se considera poeta
não fui nada alem disso
Novo amor?
Nenhum novo amor eu amo sempre igual
errando onde ate uma semana atras eu dizia não mais pecar
Todo poeta é no fundo
um cara esperando a chuva passar

terça-feira, 16 de setembro de 2008

L'ancien mur

Même si les rêves

traversée, le plus ancien mur,

je couvrirais vous de soie e de la neige

avec la pluie tropicale, douce et dur.

ainsi les printemps est les piège:

Baisers a fait des fleurs dans es jardin obscure

crient tes cheveux d'or d'amour bref!



perdu dans la joie, mon lit fait sur la lune

je me réveille d'un volcan et des dunes

à l'aube dans tes yeux. Je vais, je veux.

Je vais te souspirer avec parfum et fraîcheur

et en flammes fêtives, les traites, je vencerais;

fait la plus belle chute d'un dictateur

comme le plus Frivole pétale de fleur

L'ancien mur rouge a été mon coeur

Il a tombé par la neige de vos bras

Je veux me rapeller des cygnes nageant dans l'un lac

Baiser votre visage en coulers

En vrais, tous les temps. J'y vais.

domingo, 14 de setembro de 2008

Tem mais

Tem mais solidão na sombra viva
da árvore que verdeja sem sofrer
do que o sofrer claro que se esquiva
sobre a copa em companhia do alvorecer.

Tem mais sombra a nuvem só que escurece
o sol, no dia resplandescente de azul e branco
que as cinzas e granizos, com o vento se esquece
de todos humores e expulsa silhuetas pelos flancos

Tem mais brilho na distração coerente
e no sorriso comprometido com a vida
que a boa vontade que se impõe sorridente
impondo os homens sob a imagem aparecida

Tem mais tristeza em mim que sou feliz
na aparencia, e na inocencia do futuro
que em ti, que espera que tudo é fruto que se quiz
e esquece do suor que perde-se em apuro

Deste modo o mais brilhante distraído
que envolto na sombra e no lume escondido
e mais triste e mais seguro do que ocorre

É mais ornado de digna verdade
do que alguma pequena particularidade
que esguia desfarça e estranhamente morre.

Cantiga

Todas as miserias do mundo num verso
seriam poesia?
Não preciso de conhecimentos sobre metafisica ou estetica
a resposta é que toda a miseria do mundo
não é poesia
toda a miseria do mundo não é artigo que se compra
para se verificar e embelezar com rimas

Essa madrugada uma crinaça morreu de fome e frio
não tinha nome sequer a idade sabiam

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

sem nome ou documentos
morreu ali mesmo naquela esquina que fede a urina e sangue
sabe-se apenas cheirou cola
deitou e morreu
o cadaver sorria

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

a criança sem nome que quando morre torna-se em cadaver
o cadaver que sorria
talvez sorrise pela efeito da cola
talvez apenas sonhasse algo
talvez seu sonho fosse mesmo morrer
e do sonho não acordou

todas as miserias do mundo num verso
sim a miseria não cabe na poesia
talvez o amor tolo dos que amam e nunca serão amados
talvez o lirismo tuberculoso dos poetas sem visão
cegos pelo amor afogados em seu egocentrismo infantil
todas as miserias num verso
a miseria não pode ser poesia

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

por exemplo seria bizarro cantar que uma mulher é violentada a cada 5 minutos
e que na Africa as guerras etnicas são o a cobaia belica do grande capital
não isso não é poesia mesmo

se eu dissese que um povo não tem direito a nacionalidade
se eu falasse do gás mostarda lançado nos Curdos
sim eu poderia matar essa tarde contando fatos interessantissimos
mas nenhum deles agradaria os ouvidos sensiveis de alguma bela moça
portanto não essas miserias não podem ser poesia

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

O projeto nuclear norte coreano não tem estetica o bastante
nem o regime chines e suas insanidades absurdamente desumanas
sequer a corrupção tibetana encarnada
nos discursos de ovelhinha proferidos pelo Dalai Lama
não é poesia criticar as teocracias e o populismo
todo o fetichismo
toda a hipocrisia
toda doença e as armas biologicas

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...

me nego a cantar um mundo onde só o que é belo tem lugar
se o que canto não é poesia
parece loucura dizer
mas não ha poesia o bastante então
aos poetas cabe então arma numa mão caderno e caneta na outra
transformar o mundo num lugar realmente poetico
ja que não ha poesia o bastente na miseria humana

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

Poderia ser seu filho o estudante morto pela policia
e que no jornal insistem em chamar de de usuario
e despejar todo aquele discurso moralista
de defender pistas de guerra e comandos da morte
poderia ser sua filha a menina estuprada todos os dias na capital sem esquinas
pelos senadore bem votaods brancos e protestantes demais
todo o odio do mundo para quem odeia junto com o mundo
e parece mesmo que nessa cantiga
enquanto capital compõe a burguesia canta
e sou e é voce e é tambem a menina e o menino mortos
e sou eu e voce e todos
nos dançamos enquanto a ciranda segue

Ciranda
cirandinha
vamos todos cirandar...

Vamos dar a meia volta
volta e meia vamos dar...