Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

sábado, 6 de outubro de 2007

Entrevista com o poeta rei lagarto

Nossa redação esse sabado entrevistou o poeta Rei Lagarto,ele nos contou um poucode sua vida e entre um copo e outro,nos citou poetas amigos e textos seus ainda ineditos.


É com grande prazer que nós da redação da Agencia subversiva apresentamos a primeira de muitas entrevistas,mas como começo agora fiquem com o admiravel Rei Lagarto.




Julia:De onde voce é?


Rl:Sou de lugares umidos e confortavelmente marginas


(silencio na sala)






Rei Lagarto começa a ler um texto,olha para o teto,começa arabiscar na mesa olha profundamente muda a visão parecendo doce agora e ri para a janela e diz...


Vamos começar...




Rei lagarto:Tudo começou num periodo muito interessante da minha vida(pausa)...




Alaor:Qual o proposito da sua poesia e o que voce vem achando do mundo?




Rei Lagarto(entre risos):Eu fui a frança ano passado,tomei uns cafezinhos bebi bons vinhos e conheci uma galera interessante,eu gosto da poesia com esse sentido,a alegria me soa como uma canção menor diante da vida,acredito num mundo sem espaço para a ordem.quanto a minha poesia venho refletindo muito sobre isso,sobre qual o sentido da minha poesia,cheguei a concluir que enquanto penso sobre isso perco o tempo que eu poderia aproveitar para escrever mais poesia,sim sou um artista criticista!




Hubert:do que se trata o criticismo?




Rei Lagarto: É um movimento ...




(todos olham para o Rei lagarto)




Hubert(vermelho de tanto rir):O que é um artista criticista?




Rei lagarto,ele toma o resto de wiskey no copo olha para o fundo e diz:O critista é como um copo


vazio ou cheio,vazio e cheio.




Ele levanta da mesa acende um cigarro a fumaça nevoa o ambiente ele mexe no cabelo estilo Jonh Wayne,ri para julia e diz:Olha voce ja esteve no deserto do mexico?Talvez não presumo,porem voce precisa estar lá para sentir o mundo inteiro como no inicio,voce é muito bonita e eu puxei assunto apenas para conversar um pouco com voce sondar sua cabeça tentar ver qual sua reação ao ver que a estou sondando...




Alaor: Guerra no iraque o seu livro fala sobre o que necessariamente?




Rei Lagarto:Voce podera responder essa pergunta com mais autoridade que eu caso já o tenha lido.



Hubert:Cara vc esteve ligado ao movimento dos caras amarelas,na retomada da semana de arte ano passado,onde vc assinou um manifesto do deus passaro,certo?Qual a tematica do deus passaro?


Rei lagarto: Não sei...


Todos muito atentos com a calma nos olhos do Rei,ele olha agora para suas botas,rindo bastante como uma criança retruca:Não sei mesmo caras,talvez seja melhor sentir...(Alaor tosse interrompendo a cena de admiração e alheiamento na sala)cuidado com isso cara,apenas os repteis não fazem a diferença hahahaahahaha!!!Estou errado?Vcs tem uma familia?eu fui criado ao mundo quase como um cigano,talvez minha vida seja um pavilhão de anormalidades e isso é arte,não somos seres humanos somos seres criativos,somos novas criaturas rebeledas contra seu criador,anjos sem asas,desfilando pelas ruas frias em bares baratos e sem saude alguma,somos o que repudiamos,somos nossa maldição...


Alaor:Nos conte um pouco como foi descobrir a poesia?


Rei lagarto:Foi como descobrir que em mim haviam um bar e uma guerra,lutavamos e bebiamos eu e todos os meus alteregos.Hahahaahahha!Lutavamos contra o que somos o que fomos e o que seremos,era poesia assim eu descobri a poesia num dia,quando no colegial pensei em encontrar um bom motivo para ser o que sou hj,ler e escrever poesia,beber e fumar trocando os turnos pelas horas mais gostosas de ocio.

Julia:O que Vc tem a dizer sobree para a juventude que o admira e copia?

Rei Lagarto:Não façam isso.






Nenhum comentário: