Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

domingo, 28 de outubro de 2007

O velho mexicano

Certa vez um velho em Guadalajara no México me disse algumas palavras,era uma tarde quente e ele sorria enquanto o fumo queimava(estava ali no encontro da OCLAE),me olhando nos olhos disse apontando pacifico para frente com o olhar perdido.A esperança é como a manhã,a quem a espere chegar dormindo,mas existem aqueles despertam e caminhem á noite para alcança-la,digo que sou uma velha vitima dessa insónia benefica ue a minha condição colaborou para até aqui.E ele prosseguiu,a luta é apenas como um circulo.Pode-se começar de qualquer ponto,mas nunca uma vez iniciada,nunca meu jovem gringo,se pode encontrar um fim.Antes da dor a esperança,essa é a arte de se descobrir cada dia consciente,não para variadas opções ,pois a consciência só de deixa uma via,resistir...
Foi assim naquela tarde de 2003 que entre alguns minutos,aquele velho que me pediu um cigarro,me deu como troco um tesouro que eu sempre recordo toda vez que me vejo diante da vida e diante da luta.Aquele velho seu poncho e a fumaça,eu era um jovem conhecendo o mundo saindo de casa e do meu pais pela primeira vez ,agradeço a condição humana por gerar na luta figuras e situações dessa especia,retratos que guardamos sempre,como esse que agora alguns anos depois compartilho com vocês

domingo, 14 de outubro de 2007

Natalhia no Lugar de uma Carta uma Poesia

Nenhum coração partido
apenas meu pulmão ofegante
eu estou disposto a perdoar o mundo
e eu sei que isso pode soar ridiculo

numa casa estranha
onde meus amigos vão para beber
onde suas namoradas vão para conversar
eu vou para ficar sozinho

eu não vou magoar o mundo com a minha dor
nem entristecer o dia com as minhas lagrimas
e eu sei que a minha casa esta distante
num lugar onde eu ainda não sei chegar

Nenhum coração partido
apenas um braço quebrado
eu estou disposto a perdoar a vida
e eu sei o quanto isso pode parecer uma piada

talvez eu saia um pouco
ou seria melhor resolver meus problemas assim
talvez eu apenas siga em frente
eu deveria procurar outro lugar

Eu estou perdoando a vida
que me deu amor
e me disse que era errado amar
quando não se pode ser amado

Queria um pouco de voz
entendo o silencio como descaso
e a solidão fez em tudo,lar
e familia,um lugar onde eu não posso entrar

Nenhuma oração atendida
apenas mais um cara esperando o seu võo
e se parecer uma piada mesmo assim eu digo
estou perdoando a vida e o amor

...talvez eu caia um pouco procurando a perfeição
quem sabe eu só encontre a mim mesmo
onde eu não procurei
e mesmo assim,eu sei vou procurar

me deram o amor
e a vida disse
que se eu amasse tanto
seria pecado se o amor não fosse praticado

e se eu for em busca de mim
talvez eu não encontre o que espero achar
eu não vou magoar o mundo com a minha dor
nem entristecer o dia com as minhas lagrimas

me deram o amor
e a vida disse
e eu sei que a minha casa esta distante
num lugar onde eu ainda não sei chegar

Não vou olhar para tras e chorar onde falhei
melhor mesmo é ficar sozinho
na certeza que eu não devo me desapontar
eu não vou magoar o mundo com a minha dor

Yom Kipour

Eu conheço bem esse caminho
tenho alguns amigos
eu conheço bem essa canção
um garoto judeu e
uma garota linda

Não!Não!Não!

E eu conheço bem essa canção
alguns amigos são amigos
outros apenas gente conhecida

os dias parecem correr
a vida parece uma cena absurda
eu não quero mais sonhar
ou seria eu deveria não ter acordado?

Não!Não!Não!

Pareço bem engraçado
pena que minha vida é mesmo uma piada
longe de todos finjo proximidade
os dias aparecem
para distrair o trabalho
a vida é mesmo uma cena de improviso
ninguem é igual

garotinhos judeus
e suas ilusões ocidentais
elas parecem tão lindas...
elas parecem lindas

...não somos filme teen
voce não vai voltar com ela no final...

Eu conheço bem esse caminho e tenho o bastante para pagar um bom elenco
ninguem vai chorar por você
e seus amigos aqueles que te acompanham
nem eles vão conseguir fazer algo

Talvez não seja voce
talvez seja ela
mas é voce
e e voce sabe

Não!Não!Não!

Eu conheço bem esse caminho
tenho alguns amigos
eu conheço bem essa canção
um garoto judeu e
uma garota linda

E eu conheço bem essa canção
alguns amigos são amigos
outros apenas gente conhecida

ao seu lado a traição
e o desejo
calam o amor
por capricho e vaidade

eu sou o fim da linha
da arvore
e da descendencia

eu sou o garotinho judeu
eu sou o garotinho judeu
eu sou o garotinho judeu
eu sou o garotinho judeu
eu sou o garotinho judeu
eu sou o garotinho judeu
eu sou o garotinho judeu

Não!Não!Não!

eu sou o fim da linha
da arvore
e da descendencia

Eu conheço bem esse caminho
tenho alguns amigos
eu conheço bem essa canção
um garoto judeu e
uma garota linda

Não!Não!Não!

E eu conheço bem essa canção
alguns amigos são amigos
outros apenas gente conhecida

os dias parecem correr
a vida parece uma cena absurda
eu não quero mais sonhar
ou seria eu deveria não ter acordado?

Não!Não!Não!

Pareço bem engraçado
pena que minha vida é mesmo uma piada
longe de todos finjo proximidade
os dias aparecem
para distrair o trabalho
a vida é mesmo uma cena de improviso
ninguem é igual a voce

...se algum dia ela aparecer
talvez ela esteja apenas de passagem
não se engane
eu sou o garotinho judeu
e eu sei
ela entrou por engano...

Não!Não!Não!

Esse é o dia do perdão e voce deveria dar uma chance aos seus vicios
Esse é o dia do perdão e eu perdoarei
meu coração partido...

Terça-feira

Não fui trabalhar quarta
Não fui trabalhar na quinta
na terça vi meu amor com outro cara
durante a semana inteira
me senti o pior cara do mundo

Você vai me ver melhor
se estiver por aqui quando eu voltar
você poderá ser minha
se eu ainda for livre para ser seu escravo

Mas não eu não acredito em amor
eu não acredito no meu país
ainda não encontrei meu lugar
e sei que que vou demorar bem mais que uma temporada no exterior
talvez talvez talvez talvez
e ninguem vai me esperar no aeroporto

eu não vou convida-la para minha festa
e não vou convida-la para minha chegada
sei que eu sofrerei sua ausencia
e me parece comum sofrer a ausencia
sei que tenho alguns amigos
sei que tenho algumas canções
e muitas delas me fazem lembrar você

Não fui trabalhar na quarta
não fui trabalhar na quinta
na terça meu amor beijou outro cara
na quarta não fui ao campus
na quinta bebi no campus
passei a quarta inteira no litoral
dia chuvoso
dia frio
bebi algumas cervejas no litoral
na quinta passei o dia com meu tio
na quinta passei a noite no campus evitando meu amor
amigos que bebem comigo
amigos que me consolam enlouquecendo comigo

eu não tenho o remedio para a dor de sua perda
não tenho um espirito que me conduza para outra realidade

Não vejo anjos no céu
eu tenho uma canção que eu fiz para voce
...e eu só tinha uma canção que havia feito para voce
eu fiz uma canção para voce
fiz uma canção
com seu nome...

todos os dias desde agora
todos os minutos desde aquele tempo
nada é igual
e eu passei o dia com meu tio
e no fim da tarde
ele me disse
...fugir as vezes
é a melhor defesa...

bebi a sexta inteira
eu não queria ver voce chegar em meus pensamentos
distraindo a razão
eu só queria
espantar voce

ninguem vai me amar
ninguem vai me amar
como eu quero amar
e todos os dias
eu levanto de minha cama
eu acendo meu cigarro
e ninguem vai me amar...

todos os dias
sim toda a vida
desde agora
eternamente

voce poderia ficar ali
voce poderia não ter sorrido tanto
e agora sua alegria
me traz um sentimento
que briga com a razão

estou tão baixo
voando junto dos outros
voando junto dos seus planos descartados
sou magico
sou pequeno e fragil agora
e eu tive meus dias
paa chagar ate aquela terça feira

eu não queria a terça-feira
eu não queria essa semana
e a vida
aparece oferecer
exatamente o prato que menos se quer provar

Eu não trabalhei na quarta
eu não trabalhei na quinta
fui a litoral na quarta
na quinta visitei meu tio
e eu não queria ter ido lá naquela terça-feira
eu não queria ter saido naquela noite fria
alcool
e versos ruins
maços de cigarro entupindo meu pulmão
e voce não vai na minha festa
e voce não vai na minha festa
e eu só queria ter alguem que me recebesse com um sorriso
depois da minha festa

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Igor

Meu coração conjuga a vida no passado
como se viver fosse ação
minha poesia cansou de ser vida
e eu não quis saber por mim
sabendo assim pelas ações

A ignorancia é a mais forte anestesia
cada um em seu proprio mundo
longe da dor
que é ser feliz por alguem

Cara certo

Eu não quero ser o cara certo,cabelo penteado,livros na bolsa,musica boa para ouvir.eu quero é ser o cara errado,com discurso ensaiado e mentiras no bolso ou sorrisos forçados,eu não quero mais ser o cara certo,desejar sem pecado,amar incondicionalmente,pensar ou me preocupar com os outros,o ara certo chora,o cara certo perde,o cara certo acaba escrevendo em seu blog que quer ser o cara errado,mas o cara certo não pode ser outro que não o que é,a unica peça que interpreta é um monologo existencial,a mais linda garota não volta da festa com o cara certo,a mais linda garota não vê o cara certo,a a garota mais sensivel se engana pelas mentiras do cara errado,o cara certo espera a prrimavera passar,ele escreve seu nome junto do dela,ele acende um cigarro e conversa sobre o jornal com alguem no onibus,o cara certo é vitima da saudade por isso conjuga os verbos no passado.
Eu não quero ser o cara certo,escrever poesias,mandar flores ou mensagens,quieto num canto imaginando ser o cara errado.eu quero ser o cara errado e voltar para casa com a menina que povoa meus sonhos.

sábado, 6 de outubro de 2007

Entrevista com o poeta rei lagarto

Nossa redação esse sabado entrevistou o poeta Rei Lagarto,ele nos contou um poucode sua vida e entre um copo e outro,nos citou poetas amigos e textos seus ainda ineditos.


É com grande prazer que nós da redação da Agencia subversiva apresentamos a primeira de muitas entrevistas,mas como começo agora fiquem com o admiravel Rei Lagarto.




Julia:De onde voce é?


Rl:Sou de lugares umidos e confortavelmente marginas


(silencio na sala)






Rei Lagarto começa a ler um texto,olha para o teto,começa arabiscar na mesa olha profundamente muda a visão parecendo doce agora e ri para a janela e diz...


Vamos começar...




Rei lagarto:Tudo começou num periodo muito interessante da minha vida(pausa)...




Alaor:Qual o proposito da sua poesia e o que voce vem achando do mundo?




Rei Lagarto(entre risos):Eu fui a frança ano passado,tomei uns cafezinhos bebi bons vinhos e conheci uma galera interessante,eu gosto da poesia com esse sentido,a alegria me soa como uma canção menor diante da vida,acredito num mundo sem espaço para a ordem.quanto a minha poesia venho refletindo muito sobre isso,sobre qual o sentido da minha poesia,cheguei a concluir que enquanto penso sobre isso perco o tempo que eu poderia aproveitar para escrever mais poesia,sim sou um artista criticista!




Hubert:do que se trata o criticismo?




Rei Lagarto: É um movimento ...




(todos olham para o Rei lagarto)




Hubert(vermelho de tanto rir):O que é um artista criticista?




Rei lagarto,ele toma o resto de wiskey no copo olha para o fundo e diz:O critista é como um copo


vazio ou cheio,vazio e cheio.




Ele levanta da mesa acende um cigarro a fumaça nevoa o ambiente ele mexe no cabelo estilo Jonh Wayne,ri para julia e diz:Olha voce ja esteve no deserto do mexico?Talvez não presumo,porem voce precisa estar lá para sentir o mundo inteiro como no inicio,voce é muito bonita e eu puxei assunto apenas para conversar um pouco com voce sondar sua cabeça tentar ver qual sua reação ao ver que a estou sondando...




Alaor: Guerra no iraque o seu livro fala sobre o que necessariamente?




Rei Lagarto:Voce podera responder essa pergunta com mais autoridade que eu caso já o tenha lido.



Hubert:Cara vc esteve ligado ao movimento dos caras amarelas,na retomada da semana de arte ano passado,onde vc assinou um manifesto do deus passaro,certo?Qual a tematica do deus passaro?


Rei lagarto: Não sei...


Todos muito atentos com a calma nos olhos do Rei,ele olha agora para suas botas,rindo bastante como uma criança retruca:Não sei mesmo caras,talvez seja melhor sentir...(Alaor tosse interrompendo a cena de admiração e alheiamento na sala)cuidado com isso cara,apenas os repteis não fazem a diferença hahahaahahaha!!!Estou errado?Vcs tem uma familia?eu fui criado ao mundo quase como um cigano,talvez minha vida seja um pavilhão de anormalidades e isso é arte,não somos seres humanos somos seres criativos,somos novas criaturas rebeledas contra seu criador,anjos sem asas,desfilando pelas ruas frias em bares baratos e sem saude alguma,somos o que repudiamos,somos nossa maldição...


Alaor:Nos conte um pouco como foi descobrir a poesia?


Rei lagarto:Foi como descobrir que em mim haviam um bar e uma guerra,lutavamos e bebiamos eu e todos os meus alteregos.Hahahaahahha!Lutavamos contra o que somos o que fomos e o que seremos,era poesia assim eu descobri a poesia num dia,quando no colegial pensei em encontrar um bom motivo para ser o que sou hj,ler e escrever poesia,beber e fumar trocando os turnos pelas horas mais gostosas de ocio.

Julia:O que Vc tem a dizer sobree para a juventude que o admira e copia?

Rei Lagarto:Não façam isso.






La grande démance Belle et douce La Fille d'Ipanema se pousse Sur les rivages, Et toute la plage verte..Elle marche comme une algue... Portée sur l'aile d'une vague...Jusqu'au rivage, Et toute la plage verte...Ouço assim no meu radio ao acordar para mais um dia,ouço sempre assim em frances que é para esquecer um pouco da provincia e me alegrar com o pouco de metropole que uma musica possa me trazer.
Estou pensando em ir aochile,onibus e estrada,barracas e alcool,amigos,alguns amigos.Prometo não me apaixonar da proxima vez,prometo beber um pouco mais,prometo cair menos pelas escadas,quem conhece a vida,não encara a provincia sóbrio,sobriedade faz mal,omundo sabe bem disso.

Lier

Sou um clandestino em navegações romanas
num bairro pequeno
entre pessoas normais
num bairro normal
entre ruas umidas
num bairro umido
entre conversas pequenas

Sou o pior dos poetas de meu tempo
um cigarro
uma garrafa
sou opior e não posso canta-la