Aos comentaristas


Devido uma avalanche de comentarios torpes e não identificados, decidimos que só aceitaremos comentarios devidamente identificados e que não contenham mensagens ofensivas, alias se comentar e se identificar, serão permitidas as ofensas. Quem quer debater, tem que ter coragem de se mostrar para que o debate ou critica seja fdemocratico! Okay cara palida?

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2007

Absinto


Ainda sinto o ultimo trago
noite fria e comum
Ainda lembro da ultima festa
festa triste e verde
Óh absinto
doce e leve fada verde
é ainda minha unica fuga
tuas doses são de leveza e esquecimento

O vapor dos cigarros baratos
A luz baixa dos quartos do centro
a voz dissimulada das meninas dos tempos loucura e poesia
Óh absinto beija-me com tuas feições
pois nada tenho que não queira ver findar-se

Absinto...

Brinda-me ofertando
com viagens nessa mente
quarto nebulos,neblina espessa de sombras e sussuros.
Não quero mais que uma noite o resto deixo para os outros quero apenas essa noite o todo me cansaria


Não quero mais que o convite dessa taça ou o beijo dessa garrafa,

Quero partir
e se nessa terra existe alma alguma
que unir-se a minha alma desejou um dia
maldiga esse infame desejo
que é improprio amar loucos

Absinto!Sim uma dose apenas
pelas asas dessa fada verde
entre os olhos de uma qualquer bastarda

Digo adeus e me canso de andar e ler
me canso de em vão navegar entre ideias insolidas
paixões,mulheres baratas,amores vulgares
distancia...Poesia silenciosa,calma e dolorosa
Meus olhos se cansaram de ver dias que chegam
para se deixarem parir sem novidade alguma

Adeus e apenas adeus
saudade alguma levarei
e a unica tristeza é não ter partido antes

Beija-me essa ultima noite
que meus labios adentrem o ultimo cenário com embreaguês e loucura
com embreaguês pois esta é a unica virtude necessaria aos poetas



Nenhum comentário: